Muitas áreas são bem desenvolvidas ou estão se desenvolvendo ao longo dos anos no Brasil. Dentro deste aspecto é possível citar, apesar da constante necessidade de melhorias, a ascensão social de milhões de pessoas que deixaram a pobreza extrema, a inclusão de mais alunos nas escolas, o saneamento básico, o fortalecimento da democracia, dentre outros temas. Mesmo com tantos avanços, a crise econômica tem emperrado o desenvolvimento humano no país, de acordo com análise do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud).

Dados revelam que o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) do Brasil ficou estagnado devido à queda no rendimento bruto nacional em 2015. A posição brasileira é a 79ª, numa lista com 188 países. Como se vê, a crise da economia gera efeitos catastróficos que, se não forem tratados, tornam-se permanentes. O país precisa acordar. O povo precisa acordar. É preciso acabar com a recessão e levar a nação a experimentar novamente um desenvolvimento humano consistente e permanente. E isso é papel da própria população, dos governantes, das empresas e organizações sociais. De todos, enfim.