EM OPERAÇÕES REALIZADAS na semana passada nos estados do Rio de Janeiro, de Goiás e Minas Gerais, a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) autuou 63 postos de revenda de derivados do petróleo, distribuidoras e caminhões-tanque. Segundo nota divulgada ontem pela ANP, as operações resultaram de ações conjuntas iniciadas no ano passado em parceria com órgãos de diferentes esferas da administração pública.

2,4%

Pela sexto mês seguido, aumentou, em abril, a proporção de dívidas em atraso há mais de 90 dias. O Indicador Serasa Experian de Inadimplência do Consumidor registrou alta de 2,4% em abril sobre março. Na comparação com abril de 2013, a inadimplência caiu 2,2%.

6,7%

Entre as modalidades analisadas, ocorreram avanços nos atrasos de débitos com os bancos (6,7%) e de 7,3% no percentual de títulos protestados. Já as dívidas em atraso não bancárias (cartões de crédito, financeiras, lojas em geral e prestadoras de serviços como telefonia e fornecimento de energia elétrica, água etc.) caíram 0,1%, e os cheques sem fundo, 5,7%.

ONS: melhora capacidade de reservatórios no Sul e no Norte

A melhora na situação dos reservatórios das regiões Norte e Sul do país equilibra a questão energética e compensa a tendência de queda nas condições dos reservatórios dos subsistemas Sudeste/Centro-Oeste e Nordeste, onde as chuvas continuam insuficientes.
Essa é uma das conclusões tiradas a partir de uma análise detalhada do Relatório Executivo do Programa Mensal de Operação divulgado pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), relativo à semana de 17 a 23 de maio e divulgado na última sexta-feira.
Os dados do relatório preveem a ocorrência de chuva fraca a moderada nas bacias hidrográficas da Região Sul, na Bacia do Rio Paranapanema e no trecho da Hidrelétrica de Itaipu, além de chuva fraca na Bacia do Rio Tietê no fim de semana.

Balança comercial tem superávit de US$ 563 milhões na terceira semana de maio

Depois de registrar resultado negativo de US$ 20 milhões na semana retrasada, a balança comercial (diferença entre exportações e importações) recuperou-se na terceira semana de maio e voltou a ter superávit. Segundo o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, as exportações superaram as importações em US$ 563 milhões na semana passada.
No mês, a balança comercial acumula superávit de US$ 789 milhões. Apesar do resultado positivo em maio, o indicador, no entanto, continua negativo em 2014, acumulando déficit de US$ 4,777 bilhões no ano, um pouco menor que o de US$ 5,089 bilhões registrado no mesmo período de 2013.

QUEDA

A melhora do saldo da balança comercial é mais resultado da queda das importações do que do desempenho das exportações. No acumulado do ano, as vendas para o exterior totalizam US$ 80,691 bilhões, queda de 2,1% em relação ao mesmo período de 2013 pela média diária. As compras externas, no entanto, somam US$ 85,468 bilhões, recuo de 2,2% também pelo critério da média diária.
Nas três primeiras semanas de maio, as exportações acumulam queda de 0,5% em relação ao mesmo período de 2013 pela média diária.

BÁSICOS

As vendas de produtos básicos (bens agrícolas e minerais) cresceram 7% nesse tipo de comparação, impulsionadas por minério de cobre, petróleo bruto, carne bovina e suína e pelas safras de café e de soja. No entanto, as exportações de manufaturados caíram 7,8%, principalmente por causa da redução da venda de veículos e aviões, e as de semimanufaturados recuaram 13,5%, puxadas pelo açúcar bruto. As importações registram queda de 4% pela média diária nas três primeiras semanas do mês em relação ao ano passado. A maior retrações foi registrada nas compras de combustíveis e lubrificantes (-27,6%).