Presente na Mostra 2019, a Mundana Refugi, orquestra que reúne músicos refugiados em torno de um repertório de sotaques, é a grande novidade nesta edição do Festival de Teatro de Curitiba. As apresentações são gratuitas, em praça pública, nesta sexta e sábado. Seus componentes são imigrantes da Síria, Palestina, Congo, Guiné, Irã, França e China.
Vozes e instrumentos como o kanun, acordeão, piano, violino, cítara chinesa, bouzouki e tantos outros e “celebram a universalidade da música e a generosidade de aceitar o outro”dão vida a várias culturas.
A origem do grupo é a Orquestra Mundana, formada por músicos profissionais de várias partes do Brasil e da Índia, do Japão, do leste europeu, de diversos países africanos e das Américas, que viviam na cidade de São Paulo. Fez centenas de concertos, incluindo o exterior. Ao comemorar quinze anos, a orquestra tornou-se um projeto de refugiados.
Foi numa conversa informal entre a assistente social e historiadora Cléo Miranda, na cidade de Paraty-RJ, e o regente Carlinhos Antunes que a ideia surgiu, tendo foco nos refugiados e os novos imigrantes de São Paulo e que transcendesse a música, envolvendo os aspectos sociais e humanos.
Em junho de 2017, o Sesc São Paulo acolheu o projeto Refugi. Dezenas de refugiados e imigrantes tiveram oficinas de música e dança, debates, encontros e concertos que duraram dois meses. O primeiro CD, gravado ao vivo em agosto de 2017, é fruto desse trabalho intenso que uniu muitas vozes e muitas mãos sem as quais ele não existiria. A antes Orquestra Mundana passou a se chamar Orquestra Mundana Refugi, com novos músicos vindos da Síria, Palestina, Congo, Guiné e Irã, França, China.
Com direção musical do multiinstrumentista Carlinhos Antunes, Caravana Refugi, segundo CD da Orquestra Mundana Refugi está a sendo gravando. Suas nove faixas prestam uma homenagem a Milton Nascimento e apresenta um novo arranjo para o tema Caravanas, de Chico Buarque, além de um rap palestino e um frevo composto por seus músicos.
Imperdível: nesta sexta dia 5, às 19h, na Praça Santos Andrade, e no sábado às 16h, na Praça Santos Andrade, sendo uma das atrações gratuitas do festival.