O senador Oriovisto Guimarães divulgou nota a rebater o deputado estadual Romanelli. Oriovisto quer a fusão dos municípios menores. Romanelli não gostou e disse que o senador não conhece a realidade dos municípios paranaenses. Oriovisto explica e contesta o deputado, mostrando que estudou a fundo a questão.

“Propus o Projeto de Lei Complementar 195/2019 por conhecer a realidade dos municípios do Paraná, principalmente. Na quarta-feira passada (28), o IBGE divulgou um dado muito interessante: as dez menores cidades do Paraná têm menos que 20 mil habitantes juntas. Jardim Olinda, que fica no Noroeste do nosso estado, por exemplo, é a menos populosa, com 1.331 habitantes. No total, 101 cidades do Paraná têm menos de 5 mil habitantes. Essas terão um estímulo maior para se fundirem, caso o projeto de minha autoria seja aprovado no Congresso Nacional.”

E cntinua: “Essa proposta implica na eliminação das “redundâncias administrativas” dessas cidades pequenas, permitindo a melhor aplicação dos recursos nas atividades-fim da administração pública, possibilitando mais investimentos para o bem-estar da população (saúde, educação, infraestrutura, etc.).

Inclusive, cito em meu projeto, um estudo feito pelo Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE-PR), que aponta para a seguinte conclusão: os municípios que têm uma base econômica diversificada e com fontes sólidas de receita própria têm mais condições de prestar serviços públicos básicos de melhor qualidade aos seus habitantes.”

É pau, é pedra

O presidente da AMP (Associação dos Municípios do Paraná) e prefeito de Pérola, Darlan Scalco, criticou duramente o projeto do senador Oriovisto Guimarães de promover a fusão dos municípios com menos de 5000 habitantes: “Por que não acabamos com o Senado, que gera um custo altíssimo para a sociedade?”, reagiu. O Paraná tem 102 cidades com menos de 5000 habitantes. Para o presidente da AMP, o fato de os projetos federais precisarem ser votados em duas Casas – a Câmara e o Senado – atrasa, muitas vezes, a votação das matérias e o próprio desenvolvimento do País.

PP filia novas lideranças

Os Progressistas filiaram na noite de segunda-feira (03) mais 250 novos integrantes na legenda em Curitiba. Com casa cheia e foco nas eleições do ano que vem, o PP se reforçou com lideranças de todos os bairros da capital. O evento contou com a presença da presidente municipal e estadual, Maria Victoria; do deputado federal, Ricardo Barros; do deputado estadual, Luiz Carlos Martins; da ex-governadora do Paraná, Cida Borghetti; prefeito de Wenceslau Braz, Paulo Leonar e das vereadoras de Curitiba, Maria Manfron e Julieta Reis (DEM).

Garotinho e Rosinha presos

Os ex-governadores do Rio de Janeiro Anthony Garotinho e Rosinha Garotinho foram presos na manhã desta terça-feira, 3, no Rio de Janeiro em uma operação do Ministério Público estadual. O casal e outras três pessoas são suspeitos de fraudes em contratos da prefeitura de Campos dos Goytacazes com a empreiteira Odebrecht.

Superfaturamento

A denúncia foi baseada em suspeitas de superfaturamento na construção casas populares em dois programas habitacionais do município, em licitações que superam o valor de 1 bilhão de reais, durante os dois mandatos de Rosinha na cidade do norte fluminense, entre 2009 e 2016. Segundo o MP-RJ, o prejuízo aos cofres públicos é de 62 milhões de reais.

Pode?

Parece piada, mas não é. O caso ocorreu eu Araraquara (SP). O Juiz de Direito José Roberto Bernardi Liberal, simplesmente se recusou a apreciar um pedido, devido ao tratamento que recebeu. “Comunico a Vossa Excelência que deixei de apreciar o pedido porque o pronome de tratamento de Juiz é Excelência e não Senhoria”, anotou Liberal, em seu despacho. “Na oportunidade, apresento a Vossa Excelência protestos de elevada estima”, completou o magistrado, em mensagem ao juiz auxiliar de Araraquara, Carlos Eduardo Zanini Maciel.

Com a casa em dia

Com a casa em ordem na virada de 2018 para 2019, o Governo Paraná investiu 202,79 % a mais no primeiro semestre de 2019, no comparativo com o mesmo período de 2015. O levantamento foi feito pelo jornal Valor Econômico e mostra que o Estado já liquidou R$ 497 milhões no período analisado.

Desempenho

O impresso avaliou o desempenho dos atuais governos com o início das administrações imediatamente anteriores (2015) nos 26 estados brasileiros e no Distrito Federal. O índice de crescimento do Paraná está bem à frente dos demais entes federativos. Alagoas ficou com a segunda melhor marca (78%) e Rio Grande do Norte com a terceira (62%). Os dados são da Secretaria do Tesouro Nacional (STN).

Palocci: a bomba

Enquanto, no sábado e domingo, muito tempo foi gasto discutindo a mesa preparada pela mulher de Sergio Moro, pouco se falou sobre a bomba da semana anterior: a delação de Palocci. O ex-todo poderoso do PT confessou à PF que a ex-presidente Dilma Rousseff o autorizou pessoalmente a pegar propina milionária na Camargo Corrêa a fim de financiar sua campanha e sepultar no STJ, presidido por Asfor Rocha, a Operação Castelo de Areia. Dilma continua posando de santa, mas é muita areia até para o caminhão da corrupção petista.

Obras do PAC

O Ministério da Economia liberou R$ 600 milhões para destravar obras do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento). A decisão consta em portaria publicada no DOU (Diário Oficial da União) desta 2ª feira (2.set.2019). Segundo o Ministério do Desenvolvimento Regional, do total do valor, R$ 443 milhões serão destinados ao Minha Casa Minha Vida para ajudar a aliviar atrasos no programa. As informações são do Poder 360. A Cbic (Câmara Brasileira da Indústria da Construção) afirma que as dívidas do MCMV com mais de 60 dias de atraso superam R$ 500 milhões e afetam ao menos 600 empresas e 200 mil trabalhadores.

Isenção de taxas

O projeto de Lei 515 de 2019, proposto pelo Deputado Boca Aberta Jr, dispõe sobre a isenção de taxas aos feirantes no âmbito do Estado do Paraná. Com a finalidade de possibilitar melhores condições aos feirantes, e aumentar as oportunidades de trabalho para aqueles que não teriam condições de adquirir a justa atividade laborativa por serem prejudicados por altas taxas de contribuição. O projeto aguarda a apreciação dos parlamentares para votação. É notório que as taxas, acabam por desencorajar os feirantes locais que por diversas vezes não conseguem obter lucro de sua nobre atividade, não alcançando meios de promover o sustento de suas famílias.

Lula no semiaberto

Preso desde abril do ano passado na Superintendência da Polícia Federal (PF) em Curitiba, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) pode progredir para o regime semiaberto a partir do dia 23 de setembro e, eventualmente, até mesmo ir para a prisão domiciliar. O petista cumpre a pena imposta a ele no caso do tríplex no Guarujá. Depois de uma revisão no Superior Tribunal de Justiça (STJ), a pena foi reduzida de 12 anos e 11 meses para 8 anos e 10 meses de prisão. Pela lei, a progressão do regime fechado para o semiaberto pode acontecer depois do cumprimento de um sexto da pena – o que ocorre a partir de 23 de setembro.

Moura na Celepar

A Celepar tem novo presidente a partir de segunda-feira (02). O atual diretor de Tecnologia da Informação e Comunicação da empresa, Leandro Moura, é quem assume a função no lugar de Allan Costa, que volta a atuar na iniciativa privada. Moura é bacharel em Informática e antes de chegar à Celepar atuou por seis anos como coordenador de Tecnologia da Informação no Serviço Social Autônomo Paranacidade, vinculado à Secretaria de Estado do Desenvolvimento Urbano do Paraná.

Mudar o Bolsa

O governo federal planeja a maior reformulação já feita no Bolsa Família desde a sua criação, há 15 anos. Para reestruturar e ampliar o número de pessoas atendidas pelos programas sociais de transferência de renda , a equipe econômica encomendou um estudo ao Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). O documento, ao qual O GLOBO teve acesso, propõe cortes em benefícios voltados para os brasileiros de maior renda, como o abono salarial e deduções no Imposto de Renda (IR) como contrapartida à ampliação da cobertura do Bolsa Família, que hoje atinge 13,8 milhões de famílias, e a criação de um benefício universal para crianças e adolescentes.

Nova marca social

O plano é considerado por integrantes do Ministério da Economia uma forma de construir uma “marca social” para o governo Jair Bolsonaro, marcado até agora por medidas de ajuste fiscal, como a reforma da Previdência.

Perto da sentença

Dois anos e quatro meses após ser flagrado e filmado pela Polícia Federal recebendo uma mala com R$ 500 mil em propina de um executivo do grupo JBS, o ex-deputado federal paranaense Rodrigo Rocha Loures ainda não foi julgado em primeira instância pela Justiça. Denunciado em junho de 2017 por corrupção passiva pelo Ministério Público Federal, o ex-parlamentar virou réu no processo que também envolve o ex-presidente Michel Temer (MDB). Desde o último dia 1º de agosto, o caso está pronto para receber a sentença da 15a Vara Criminal da Justiça Federal do DF, mas não há prazo para a decisão.

Boca fechada

Bolsonaro não falou nada para os quase 10 mil fieis presentes no Templo do Salomão, em São Paulo, no final de semana, quando foi abençoado pelo bispo Edir Macedo, o todo poderoso da Universal. Vontade não faltou, mas o próprio Macedo tratou de avisá-lo que nessas reuniões (é assim que é chamado o culto pela manhã) quem fala é só ele ou outro religioso. Macedo também tratou de dizer que está a seu lado nesse período em que vivemos “o inferno da mídia”. Bolsonaro é católico e ganhou o voto nas eleições da maioria do eleitorado evangélico.

Pé frio

Bolsonaro quer mais é manter o apoio de parte das emissoras de televisão: por isso foi encontrar Edir Macedo, dono da Record e depois, assistir o jogo entre Palmeiras (ele é torcedor do time de São Paulo) e Flamengo, que venceu por 3 a 0. Mais uma vez, nas redes sociais, Bolsonaro foi acusado de “pé frio” pelos palmeirenses.

Um e outro

Na Polícia Federal do Rio, fica o diretor-geral Mauricio Valeixo e sai o superintendente Ricardo Saddi, que deverá passar um tempo em Brasília para depois ser enviado para algum posto no Exterior, provavelmente Paris. Bolsonaro havia acusado Saadi de “baixa produtividade”. No ranking da própria PF, que apura o desempenho dos delegados, Saadi passou de 24º lugar para 4ª posição. Há quem diga que o presidente não gostou de como Saadi atuou na investigação sobre a morte de Marielle Franco.

Saia justa

Nesses dias em que resolveu ir conversar com Donald Trump, sem ter nenhuma função oficializada, o deputado Eduardo Bolsonaro, candidato à embaixada brasileira em Washington passou momento de saia justa. Na antessala de Trump tentou conversar em inglês com altos funcionários da Casa Branca. Eles não conseguiram entender nada e acabaram propondo falar em espanhol (ele não topou) e depois sobrou para o chanceler Ernesto Araújo. E finalmente, interprete.

Novo ataque

O senador Jorge Kajuru (Patriota-GO) resolveu investir, de novo, contra o governador de São Paulo João Doria chamando-o agora de “picareta social”. E diz que ele “vendia entrevistas em seu programa na Rede TV! a R$ 150 mil”. Ganhará novo processo (já perdeu um para o próprio Doria)

 

De luxo

Bolsonaro será operado (hérnia) no próximo dia 8 no novo hospital Vila Nova Star, de luxo, que acaba de ser inaugurado pela Rede D’Or. Seu médico operador foi convidado a se bandear do Einstein para lá: Antônio Luis de Vasconcelos Macedo é considerado um craque em sua área. Bolsonaro espera estar em forma para falar dia 22 na sessão de abertura da ONU.

 

Borsalino

Madonna, que havia apoiado o #EleNão na campanha contra Bolsonaro, foi parar no Trending Topics do Twitter, pedindo ao presidente que mude sua política na Amazônia, ajudando “não só o seu país, mas o mundo inteiro”. Detalhe: por um tropeção, chamou-o de “Borsalino”. É o nome de uma tradicional fábrica de chapéus na Itália fundada em 1857 e foi titulo de filme em 1970, com Jean-Paul Belmondo e Alain Delon, que interpretavam gangsters e usavam chapéus Borsalino (modelos para mulheres viraram mania na Europa e Estados Unidos por um tempo).

 

Nova chapa

O governador João Doria não tem nada contra a candidatura de Joice Hasselmann à prefeitura de São Paulo, mas quer apoiar José Luis Datena, que deverá se filiar ao DEM e sair em disputa num bloco que inclui PSDB e PSD de Gilberto Kassab. Mais: Doria quer Alexandre Frota na vice de Datena.

 

Tem mais

O ex-delegado Fabiano Contarato (Rede-ES) está ganhando espaço como primeiro senador gay. Posa para fotos ao lado do marido Rodrigo Grobério e do filho Gabriel. Detalhe: ele não é o primeiro senador gay, mas é o primeiro assumido publicamente. Lá, há quem garanta que existam mais dois senadores entusiastas do mesmo gênero, só que mais recolhidos.

 

Já tem partido

Roberto Freire, presidente do Cidadania, já conversou com Luciano Huck, que voltou a ter seu nome nas pesquisas sobre presidenciáveis, para que ele saia candidato em 2022 por sua sigla, pela qual, à propósito, o animador até nutre muito simpatia.

 

Previsão

Na semana passada, Bolsonaro andou prevendo a possibilidade de novo escândalo envolvendo “pessoa muito próxima dele”. Alguns apostaram que pode ser a primeira-dama Michelle Bolsonaro, que teve cheque de R$ 24 mil depositado em sua conta por Fabrício Queiróz e que poderia ter seu nome envolvido em algum esquema de caixa 2.

 

Na mira

E nem poderia se esperar outro tipo de comportamento de Jair Bolsonaro que, depois de oito meses de governo, está mais do que atento no que pode acontecer em 2022. Agora, diz que João Doria “está morto” para a corrida ao Planalto e que “não existe nenhum compromisso meu com Moro em relação ao Supremo Tribunal Federal”. E emenda: “Moro é ingênuo, falta malícia. O Paulo Guedes também era assim, mas está aprendendo”.

 

Até médicos

Nos resumos de acontecimentos apresentados em celulares especialmente pelo Google (há outros), crescem mensagem publicitárias e há até um certo excesso, a ponto de prejudica a leitura. O mercado imobiliário aposta nessa alternativa de comunicação e se mistura a “poções mágicas” para emagrecimento e até cabelos ressuscitados. A novidade, agora, são reproduções de cartões profissionais de médicos.

 

Penúria

André Esteves que, através do BTG Pactual está ajudando nessa nova largada da Editora Abril na área de salários, deverá mesmo comprar Exame. Enquanto isso Veja sai da programação habitual das agências e o pessoal do comercial da revista sai em campo para garantir, pelo menos, as capas de cada edição (e a 70% menos do preço da tabela).

 

Esquerda unida

Fernando Haddad, pré-candidato ao Planalto, acha que, se a direita derrotou a esquerda nas últimas eleições, em 2022 será exatamente ao contrário (e sempre com Lula empurrando). Agora, está quase acertado com o governador do Maranhão, Flávio Dino, do PCdoB, para ser seu vice. A região Nordeste (e parte do Norte) estaria mais do que garantida.

 

Apoio de Trump

Depois de visitar Donald Trump, o deputado federal Eduardo Bolsonaro, que foi aos Estados Unidos sem cargo oficial foi ao seu Twitter garantir que o presidente norte-americano está apoiando o Brasil e o presidente em qualquer situação. “Esta visita marca uma nova fase nesta relação e dá um recado para o mundo: os EUA não apoiarão qualquer investida contra nossa soberania”.

 

Não trabalha mais

Depois de ver seu nome estampado nos jornais José Luiz Dantena Junior, filho do apresentador José Luiz Datena pediu demissão do gabinete do senador Jorge Kajuru. Ele havia sido nomeado assistente parlamentar sênior no dia 16 da agosto. Ao contrário do que se pensa, Datena Junior não gosta muito de se expor.

 

Contra Bendine

O ministro da Educação, Abraham Weintraub, ficou muito revoltado com a anulação da sentença de Moro que condenou Aldemir Bendine na Lava Jato pelo STF. Ele acha que Moro, ainda na posição foi até generoso com Bendine. E foi ao Twitter reclamar. “Pensamento da semana: o ministro Sérgio Moro foi ‘generoso’ na avaliação. Tive o desprazer de conhecer o Bendine…gostaria vê-lo apodrecendo na prisão”.

 

Tudo de novo

O que não falta nas eleições municipais de São Paulo, ano que vem, é candidato a prefeito: tem de todos os tipos, tamanhos e gostos: além de José Luiz Datena (há quem aposte que ele cairá fora em cima da hora), tem Celso Russomano (PRB), Andrea Matarazzo (PSD), ameaçado por uma união  do partido por Datena e Eduardo Suplicy, se conseguir partido. No PT, também querem cair candidatos Paulo Teixeira, Jilmar Tato e Carlos Zaratini.

 

Sem apoio

As ciclofaixas da cidade de São Paulo para quem quiser pedalar nos domingos e feriados com toda segurança poderão terminar. O Bradesco não renovou patrocínio e não há novas empresas interessadas. O que equivale dizer que não haverá, nesses dias, mais cones e funcionários nos cruzamentos. O ciclista poderá continuar usando a faixa por conta própria.

 

De fora

No novo livro de Constanza Pascolatto, A Elegância do Agora, onde fala de moda, de usos e costumes e cita algumas pessoas, incluindo dois maridos que teve, deixou de fora um terceiro com a qual viveu tempos apaixonados: era Nelson Motta.

 

Agente laranja

O cacique Raoni disse ao presidente Emmanuel Macron que “nunca se viu no Brasil esse tipo de queimada”. Não é bem assim: já se viu queimadas assim na Amazônia e teve momentos ainda mais tristes. No final dos anos 80, madeireiros de Rondônia foram denunciados por estarem usando agente laranja para desfolhar as árvores antes de seu abate. O mesmo agente laranja usado pelos EUA na guerra do Vietnã para descobrir esconderijos de vietcongs.

 

De cadeira de rodas

O presidente Jair Bolsonaro foi, mais uma vez, ao Twitter afirmar que estará na reunião da ONU no dia 22 deste mês, no qual fará abertura. Seus médicos afirmaram, que em 10 dias, ele estará recuperado. “Vou comparecer à ONU nem que seja de cadeira de rodas”

 

Tomando as dores

Renzo Gracie, embaixador do Turismo designado por Jair Bolsonaro, sai na defesa do presidente e ataca o presidente da França Emmanuel Macron. Gracie chamou Macron em suas redes sociais de “micron”, “franga” e “palhaço”. O embaixador ainda ameaçou o presidente francês, falando que ia “dar um gogó no pescoço” se encontrasse com ele. Renzo pertence a famosa família de lutadores de jiu-jitsu Gracie. E para finalizar, ainda ofende a Brigitte mulher de Macron: “Não é porque ele dorme com o dragão que entende de incêndio”.

 

Olho na cadeira

Rodrigo Garcia, chefe da Casa Civil do governo de São Paulo, é quem comanda toda a máquina administrativa, supervisiona secretarias e demais órgãos, assina (e não assina) o que vai para o Diário Oficial e por aí vai. Tem noção de todas as áreas enquanto João Doria trabalha com imagem política, estratégia, novos investimentos e até obras (quando tem dinheiro). Resumo da ópera: Rodrigo é candidato à sucessão de Doria.

 

Sem ajuda

“Queiroz é nota 10, mas não respondo por ele”. Era Jair Bolsonaro falando sobre o antigo amigo e companheiro de pescaria, envolvido na novela de Flávio Bolsonaro, desaparecido e agora localizado fazendo tratamento de câncer em São Paulo, no Hospital Einstein. Queiroz não fala com jornalistas, mas teria comentado, até com um médico amigo, que “nunca viu ninguém mover uma palha para tentar me ajudar”.

 

Nem pensar

O ex-governador Geraldo Alckmin, candidato derrotado à Presidência, não quer saber de conversa sobre a possibilidade de sair candidato à prefeito de São Paulo, no ano que vem. Precisa de muito mais tempo para tentar recuperar seu eleitorado e além de tudo, se quisesse sair candidato à prefeitura, enfrentaria o bloco comandado por João Doria e não conseguiria legenda. Teria de mudar de partido.

 

Pepino

Está nas redes sociais que a tentativa de Bolsonaro de transformar João Doria em comunista usando melancia – “verde por fora, vermelha por dentro” – vai fracassar. Há os que dizem que ele é, no máximo, um mamão – “verde por fora, laranja por dentro”. Já os mais irônicos dizem que ele é mesmo um pepino – “verde escuro por fora, verde claro por dentro”.

Frases

 “Na campanha estava andando na feira e mordeu uns 30 pastéis, mas nenhuma foto ficou boa. A pessoa não pode tentar ser o que não é”,

Jair Bolsonaro criticando João Doria.