Escrito por Morris Menashe

As tecnologias inovadoras desempenharão um papel cada vez maior na melhoria do engajamento de funcionários. Não precisamos discutir o impacto do engajamento dos funcionários na experiência do cliente, nos resultados financeiros, na produtividade e em outras áreas, pois as pesquisas já provaram sua importância. No entanto, como realmente fazer isso acontecer tem sido um dos problemas mais difíceis de resolver.

As pessoas propuseram gamification, mais colaboração, mais reuniões, treinamentos melhores e até filhotes no escritório. Ok, talvez não o último, mas tenho certeza de que isto foi mencionado durante alguma reunião. Embora muitas ideias tenham sido implementadas com sucesso, um dos aspectos mais difíceis de se avaliar é o impacto da tecnologia no engajamento dos funcionários. Contudo, dada a mudança na dinâmica da força de trabalho dos baby boomers em relação às gerações mais jovens, esse impacto tecnológico no engajamento provavelmente assumirá o centro das atenções. Com a aposentadoria dos boomers e a chegada dos trabalhadores digitalmente nativos, o serviço em campo poderia ser visto como o marco zero para medir e detalhar o impacto da tecnologia no engajamento e, por sua vez, nos resultados.

Turnos Geracionais

Os millennials têm pouca tolerância para processos desatualizados ou ineficientes que se estabelecem entre eles e o trabalho. Isso significa que o tempo desnecessário gasto para fazer a papelada manualmente ou consumido na estrada em função de rotas mal planejadas, não só levará à insatisfação no trabalho como tem o potencial de impeli-los a mudar de empregador. A tecnologia torna-se então fundamental para o engajamento e a satisfação das gerações mais jovens. Considere estas estatísticas sobre a importância da tecnologia para essas novas gerações:

– Uma pesquisa com mil pessoas da geração do milênio conduzida pela Microsoft revelou que 93% dos millienials citaram tecnologias modernas e atualizadas como um dos aspectos mais importantes de um ambiente de trabalho.

– Segundo a Penn Schoen Berland, 42% dos millennials afirmaram que deixariam uma empresa devido a “tecnologia abaixo do padrão”.

– 92% dos funcionários dizem que ter a tecnologia para realizar seu trabalho afeta eficientemente sua satisfação no trabalho

Esses dados só comprovam que o impacto da tecnologia no recrutamento, retenção e engajamento dessa nova geração é de suma importância. Soluções desatualizadas de gerenciamento da força de trabalho móvel, otimização de cronograma deficiente que não inclui atualizações em tempo real, por exemplo, afetam tanto o funcionário quanto o cliente e não serão toleradas por esses novos profissionais. Na verdade, essas novas tecnologias estão dando origem a um novo perfil de trabalhador digital que pode impactar positivamente seus negócios em várias áreas.

Por que é valorizado?

Considerando que 30% dos 13 milhões de novos empregos criados desde 2010 nos EUA, por exemplo, exigiram habilidades digitais, não surpreende que as novas gerações tenham preenchido essas posições. No Brasil, o domínio da tecnologia foi o requisito mais exigido pelo mercado de trabalho em 2018 segundo uma pesquisa de headhunters.

Mas por quê?

A resposta mais óbvia é que essa nova geração cresceu com a tecnologia. Esta é a geração Uber de smartphones, laptops, Facebook, Waze e outros brinquedos digitais que os mantém conectados às informações e recursos que precisam para desempenhar bem o seu trabalho em seu dia a dia. Ter que preencher um formulário em papel, procurar uma rota em um mapa ou ter que ligar para o escritório para esperar que as informações sejam retransmitidas é considerado algo da idade da pedra.

No entanto, existem outras razões também. O estudo “Technology at Work 2018” da PwC descobriu que os funcionários são motivados a usar novas tecnologias por uma das três razões a seguir:

– Isso os ajudará a avançar em suas carreiras ou a obter status (citado por 37% dos entrevistados).

– Eles estão curiosos sobre as promessas tecnológicas de melhor eficiência e trabalho em equipe (34%).

– Isso os ajuda a fazer seu próprio trabalho com mais facilidade e em um ambiente previsível (29%).

Esta geração é muito auto suficiente e um dos motivos é que eles confiam na tecnologia para fornecer-lhes sempre os recursos que necessitam para facilitar suas vidas. Encomendas instantâneas da Amazon, Netflix sob demanda, Uber, comunicação imediata com os amigos por meio de diferentes aplicativos, tornam suas vidas dependentes da tecnologia. Sem isso, eles sentem-se perdidos. Como resultado, a adoção de tecnologia é fundamental para engajar essa geração e é por isso que as equipes em campo precisam investir nas tecnologias corretas para preencher as vagas em aberto.

Como as empresas estão se saindo?

Dada a importância da tecnologia para a próxima geração de trabalhadores, faria sentido que o C-level estivesse implementando as mais recentes ferramentas digitais. No entanto, os resultados são misturados quando os executivos são questionados sobre tecnologia versus seus funcionários: por exemplo, no estudo referenciado da PwC, eles descobriram o seguinte:

– 90% dos executivos de alto escalão acredita que sua empresa presta atenção às necessidades das pessoas quando introduz novas tecnologias, mas apenas metade (53%) da equipe como um todo diz o mesmo.

– 92% destes executivos diz estar satisfeito com a experiência tecnológica que sua empresa oferece para fazer progressos em seu trabalho, porém apenas 68% dos funcionários concorda.

– Apenas metade (50%) do pessoal e 64% dos gerentes estão satisfeitos com os recursos de que dispõem para aprender a usar as novas tecnologias.

– 46% dizem que a empresa não valoriza funcionários tecnologicamente experientes.

Obviamente, há uma disparidade entre os dois grupos. Isso pode sinalizar a necessidade de mais treinamento, uma estratégia de gestão de mudanças mais robusta ou mesmo um método diferente de escolher a tecnologia com mais informações do campo.

Se no passado os funcionários não tinham acesso à tecnologia de ponta, como laptops, dispositivos móveis e outras ferramentas, já que eram muito caras, tudo mudou conforme o avanço tecnológico. Hoje as pessoas têm acesso a uma tecnologia mais rápida, imediata, precisa e possuem interfaces e experiência de usuário significativamente melhores do que as que interagem no local de trabalho. Dada a predominância desta nova geração, as organizações precisam fornecer aos funcionários capacidades e experiências semelhantes no ambiente trabalho às que já possuem em sua vida privada. Como resultado, a tecnologia possibilitará melhores níveis de engajamento, pois os funcionários terão as ferramentas e os recursos de que precisam para realizar seus trabalhos de maneira muito mais produtiva e eficiente.

Morris Menasche é Vice Presidente de Vendas da ClickSoftware para América Latina, líder no fornecimento de soluções para a gestão automatizada e otimização da força de trabalho e serviços em campo.