O TCU estima que, dos mais de 38 mil contratos de obras públicas, cerca de 14 mil estão parados, um inaceitável desperdício de dinheiro. Na última terça-feira, dia 2, a Câmara dos Deputados instalou uma comissão para acompanhar a execução de obras inacabadas. O mais recente levantamento do Tribunal de Contas da União (TCU), assumidamente incompleto devido à carência de dados consolidados, revela um cenário exasperador. O Tribunal estima que, dos mais de 38 mil contratos de obras públicas, cerca de 14 mil (38%) estão paralisados.

Os valores destes contratos totalizam R$ 144 bilhões. De R$ 11 bilhões a R$ 12 bilhões já foram executados, de modo que seriam necessários R$ 132 bilhões para os concluir – sem contar gastos com danos resultantes do abandono. Além dos valores investidos, há prejuízos indiretos de difícil mensuração, como os entraves à movimentação da economia local e a privação de serviços à população, como atendimento hospitalar ou esgotamento sanitário. Um estudo citado pelo TCU constatou a paralisação de 3 mil obras de creches (75 mil vagas), resultando em um impacto na renda anual das famílias desamparadas da ordem de R$ 3 bilhões.

Bitcoin em crise

O grupo paranaense Bitcoin Banco, que atua no ramo de criptomoedas, tem enfrentado alto volume de reclamações e ações de clientes que apontam impossibilidade de saque de saldos custodiados. Em suas plataformas, clientes e traders relatavam ser comum rentabilidades muito acima da média de mercado, acarretada por arbitragens entre suas exchanges, que possuíam preços diferentes da unidade do Bitcoin. A compra em uma exchange, transferência para outra para venda por melhor preço e refazimento constante do ciclo era uma prática comum por muitos usuários, o que despertou interesse e atraiu vultuosos aportes de capital de terceiros no Grupo. Nos grupos de Telegram eram comuns usuários que apontavam rentabilidades acima de 500%.

Na porta da Bitcoin

No entanto, com o encerramento das contas do grupo em bancos comerciais, a falta de informações sobre o lastro das operações frente a não divulgação de balanços contábeis e endereços dos criptoativos armazenados, além da grave falha sistêmica que possibilitava transferências duplicadas por usuários mal intencionados, há uma grande fila de saques, colocando em cheque inclusive a continuidade das operações do Grupo. Diariamente é comum verificar clientes na porta da empresa na tentativa de uma solução.

Recursos federais

A necessidade de liberação de recursos federais ao Paraná foi apresentada pelo secretário de Estado da Saúde, Beto Preto, ao ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, juntamente com a bancada de deputados federais nesta quarta-feira (3) em Brasília. A reunião aconteceu com a participação de representantes dos Consórcios Municipais de Saúde, durante o Congresso Nacional de Secretários Municipais de Saúde (Conasems). O pleito paranaense, conforme destacou o secretário, é de que pelo menos R$ 100 milhões sejam incorporados ao orçamento da União para o próximo ano e destinados ao Estado via emendas parlamentares.

Arns emprega suplente

11 senadores empregam suplentes nos gabinetes que participaram em suas chapas nas eleições, que foram seus apoiadores e agora estão na sua relação de servidores. Nesta lista está Flávio Arns (Rede-PR) que emprega Flávio Marcelo Vicente, seu segundo suplente, com salário de R$ 22,9 mil.

Sem nepotismo

“Está na Constituição, que a única vedação ao livre provimento de servidores comissionados é o nepotismo, o que não é o caso em questão. A hipótese do livre provimento atende muito bem ao assessoramento político que é essencial ao desempenho do mandato parlamentar. O nosso segundo suplente é professor universitário e profundo conhecedor das políticas públicas do Estado do Paraná. Ele trabalha no gabinete em Brasília com os assuntos que são defendidos pelo mandato do senador Flávio Arns”, diz nota do gabinete do senador paranaense.

Em aberto

Na esteira do aumento nos índices de percepção sobre a corrupção e o aumento nos índices de violência (homicídios, roubos, furtos e etc), nos últimos anos uma verdadeira sanha prisional tem ganhado força no Brasil. Mas o que aconteceria se todo mundo que deveria estar preso de fato estivesse atrás das grades? E aí é importante destacar: aqui não se fala em endurecimento da lei, mas tão somente em seu estrito cumprimento.

Vagas a menos

De acordo com o Geopresídios, do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), atualmente existem 33.588 pessoas presas no Paraná, a maioria delas cumprindo pena em regime fechado (19.555) ou então na condição de presos provisórios (11.215). Ainda há 2.363 presos no regime semiaberto, e os demais entre o regime aberto, presos estrangeiros e indígenas. O número de vagas no sistema carcerário, contudo, fica distante do necessário: 24.082, o que significa que temos atualmente um déficit de mais de 9 mil vagas no sistema prisional.

Moro orientava ilegalmente

As manifestações do último dia 30 tiveram como principal objetivo a defesa de Sergio Moro. Em Brasília, um enorme boneco de Super-Homem com o seu rosto foi inflado na frente do Congresso. Símbolo da Lava-Jato, que representa um marco na história da luta anticorrupção no país, o ex-juiz vem sofrendo sérios arranhões na imagem desde que os diálogos entre ele e membros da força-tarefa vieram a público revelando bastidores da operação. As conversas ocorridas no ambiente de um sistema de comunicação privada (o Telegram) e divulgadas pelo site The Intercept Brasil mostraram que, no papel de magistrado, Moro deixou de lado a imparcialidade e atuou ao lado da acusação. As revelações enfraqueceram a imagem de correção absoluta do atual ministro de Jair Bolsonaro e podem até anular sentenças.

No material que o Intercept diz ter recebido de uma fonte anônima, há quase 1 milhão de mensagens, totalizando um arquivo com mais de 30 000 páginas. Só uma pequena parte havia sido divulgada até agora — e ela foi suficiente para causar uma enorme polêmica. Em parceria com o site, VEJA realizou o mais completo mergulho já feito nesse conteúdo. Foram analisadas pela reportagem 649 551 mensagens.

Palavra por palavra, as comunicações examinadas pela equipe são verdadeiras e a apuração mostra que o caso é ainda mais grave. Moro cometeu, sim, irregularidades. Fora dos autos (e dentro do Telegram), o atual ministro pediu à acusação que incluísse provas nos processos que chegariam depois às suas mãos, mandou acelerar ou retardar operações e fez pressão para que determinadas delações não andassem. Além disso, revelam os diálogos, comportou-se como chefe do Ministério Público Federal, posição incompatível com a neutralidade exigida de um magistrado. Na privacidade dos chats, Moro revisou peças dos procuradores e até dava bronca neles. “O juiz deve aplicar a lei porque na terra quem manda é a lei. A justiça só existe no céu”, diz Eros Grau, ex-ministro do Supremo Tribunal Federal, falando em tese sobre o papel de um magistrado. “Quando o juiz perde a imparcialidade, deixa de ser juiz.”

Joice é insultada

A líder do governo no Congresso, Joice Hasselmann, foi alvo dos policiais na manhã desta quinta na Câmara. Quando se dirigia para a comissão da reforma da Previdência foi vaiada por policiais de várias categorias, que a chamavam aos gritos de “traidora”.

Meirelles agradece

O ex-ministro e atual Secretário da Fazenda em São Paulo, Henrique Meirelles, agradeceu aos deputados que aprovaram a proposta de reforma da Previdência na Comissão Especial da Câmara. Em suas redes sociais, Meirelles disse que a votação foi um “passo essencial, para a melhoria da nossa nação e a retomada do crescimento sustentável”. “Agradeço aos integrantes da comissão especial por terem votado e aprovado a reforma.”

Ibovespa em recorde

O avanço da reforma da Previdência na Comissão Especial trouxe otimismo ao mercado nesta quinta-feira, 4. Como mostra o Estadão, o Ibovespa fechou em em alta de 1,56%, no nível recorde de 103.636,17 mil pontos. Já o dólar fechou em baixa de 0,70%, a R$ 3,7994. Foi a primeira vez que a moeda fechou abaixo dos R$ 3,80 desde 20 de março, quando terminou cotado em R$ 3,76. As informações são do BR18.

Grande atração

Em outubro, o presidente Jair Bolsonaro deverá ser a grande atração do congresso anual dos militares cristãos evangélicos do Brasil, que acontecerá em Atibaia, interior de São Paulo. Os Policiais Militares em Cristo (PMs em Cristo), o segmento evangélico da corporação no Estado de São Paulo já confirmaram em suas publicações internas e nas redes sociais a presença do Chefe do Governo que, cada vez mais, vem se aproximando dos evangélicos à medida em que colocou a reeleição em sua agenda política aos seis meses de mandato. O pastor Silas Malafaia será um dos palestrantes e também o deputado Marco Feliciano deverá estar lá (ele quere ser o vice de Bolsonaro em 2022).

Sociedade

O jogador Neymar Jr., de folga da Copa América, aproveitou para negociar com sua amiga, a cantora Anitta, uma sociedade na área de entretenimento. O projeto envolveria a produção de festivais (mais) de música e gestão de carreira de artistas. Nesse último quesito, Anitta é uma expert; Neymar, nem um pouco.

Perdendo muito

Se não forem incluídos no texto da reforma da Previdência que está na Câmara, estados e municípios brasileiros deverão perder perto de R$ 350 bilhões em dez anos. É o resultado da análise da Instituição Fiscal Independente (IFI) do Senado feita sobre o relatório de Samuel Moreira. O IFI estima em R$ 299 bilhões a economia relativa a servidores civis e R$ 51,6 bilhões devidos aos militares, só para estados e municípios.

Primeiro lugar

Novo levantamento da Paraná Pesquisas revela que quase 26% dos brasileiros acham que a saúde dever ser prioridade no governo de Jair Bolsonaro. Em último lugar, estão as chamadas “novas leis de trânsito” que o Chefe do Governo criou (e que serão barradas no Congresso), prioritárias apenas para 0,3% dos entrevistados.

Mais um

O general da reserva Oswaldo de Jesus Ferreira está cotado para assumir a presidência da Embrapa, no lugar de Sebastião Barbosa (mais três diretores serão afastados). Ferreira participou da equipe de transição de Bolsonaro na área de infraestrutura e hoje comando a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares ligada ao Ministério da Saúde. A ministra Teresa Cristina (Agricultura) não tinha a menor afinidade com Barbosa desde o início do mandato.

Dois filhos

O deputado Eduardo Bolsonaro e o senador Flávio Bolsonaro foram ao programa de Silvio Santos. O vereador do Rio, Carlos Bolsonaro, o Carluxo, não quis aparecer lá. Agora, os filhos de Bolsonaro deverão dar o ar da graça no programa de Luciana Gimenez (amiga do presidente) e Carlos, de novo, não vai topar.

O povo vai dizer

Após a divulgação de novos trechos de trocas de mensagens entre o ministro Sergio Moro (Justiça) e o procurador da Lava Jato Deltan Dallagnol, o presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta sexta-feira (5) que caberá “ao povo” dizer quem está certo.

Novas mensagens obtidas pelo site The Intercept Brasil e divulgadas nesta sexta-feira pela revista Veja mostram que Moro chamou a atenção de procuradores da Lava Jato para a inclusão de uma prova considerada importante por ele na denúncia de um réu da operação.

Em troca de mensagens pelo Telegram, em 28 de abril de 2016, segundo a revista, os procuradores conversaram sobre um alerta de Moro à força-tarefa.

Fazendo as contas

Para quem gosta de contas: a manutenção da regra anual de reajuste do salário mínimo nacional, pela inflação do ano anterior, mais aumento do PIB de dois anos antes (caso o último seja positivo) levaria os gastos do governo federal com benefícios previdenciários e assistenciais no valor de um mínimo de R$ 305 bilhões este ano para R$ 540 bilhões em 2029 e R$ 860 bilhões em 2040. Dados da FGV IBRE.

Outros talentos

Acaba de estrear no Teatro Prudential, no Glória, no Rio de Janeiro, o espetáculo Edith Piaf e Bertold Brecht – A vida em vermelho, com a atriz Leticia Sabatella, 48 anos, no papel da cantora francesa. A seu lado, o ex-marido Fernando Alves Pinto, vive o poeta alemão. E, surpreendentemente, os dois cantam.

Encalhado

No primeiro leilão do patrimônio apreendido em operações da Lava Jato no Rio, encalhou o Lamborghini branco de Eike Batista, que ficava estacionado na casa do empresário e é avaliado em R$ 2,24 milhões. O modelo, com 700 cavalos de potência, é capar de ir de zero a 100 km/h em 2,9 segundos e atinge a velocidade máxima de 350km/h. O carro de Eike registra dívida de IPVA de R$ 135 mil e o débito será pago pela Justiça com o valor arrecadado com o leilão.

Batalhão

O presidente da República é capitão do Exército, o líder do governo na Câmara é major, o líder do PSL na Câmara é delegado e o líder do PSL no Senado é major. Todos se movimentam para defender suas respectivas categorias e a bandeira da segurança pública. Agora, esperavam ser atendidos em seus interesses na reforma da Previdência, o que não rolou – e nem vai rolar.

Fim da linha

O ator João Vicente de Castro se tinha algum romance com a atriz Débora Nascimento, a relação já terminou. Ele achou melhor se afastar porque ela ainda está casada com o ator José Loreto (ele quer reconciliar, mas ele não está querendo).

Bom trabalho

Ao tomar posse oficialmente na Secretaria do Governo, o general Luiz Eduardo Ramos disse que está disposto a conversar com os parlamentares. “Vamos sentar e debater. Temos de trocar ideias”. E afirmou ainda que o ministro Onyx Lorenzoni, da Casa Civil, está fazendo um bom trabalho à frente da reforma da Previdência e deverá continuar no processo. “Não se troca técnico durante o jogo”.

Arrependido

O senador Jaques Wagner, ex-ministro da Casa Civil de Dilma Rousseff, declarou que está arrependido de ter ajudado na aprovação da lei que permitiu a delação premiada no Brasil, seguindo exemplos da Itália e Estados Unidos.  Analistas políticos acreditam que Wagner deveria estar arrependido de ter ajudado a dar enorme prejuízo à Petrobras.

Festa de aluguéis

Auditoria do TCU em cerca de dois mil contratos de órgãos e entidades públicas está revelando que os gastos com alugueis ultrapassaram R$ 1 bilhão por ano em 2016 e 2017, devido a ausência de sistema que garanta melhor preço. A Eletronorte, estatal que só dá prejuízo, torrou R$ 18 milhões em despesas com mudança de endereço e em razão da necessidade de manter postos no Exterior, o Itamaraty gastou mais R4 200 milhões com alugueis. E em 2017, o então Ministério da Fazenda torrou R$ 140 milhões em aluguéis.

Mosca azul

Quem diria: na semana passada, num auditório lotado em evento para investidores, o ministro Paulo Guedes, da Economia, foi saudado aos gritos de “presidente”. Esboçou um sorriso de satisfação, inchou o peito e falou por uma hora e meia.

Nadinha

A redução da alíquota de 20% para 15% da Contribuição Social sobre Lucro Líquido (CSLL) para bancos, que entrou em vigor este ano, não resultou em diminuição do spread bancário.

Melhor não

A convite de Bolsonaro, também o pai de Neymar jogos da Copa América, a seu lado, no Maracanã. Há quem aposte que ele até pensou em conversar com o Chefe do Governo (já esteve com o ministro Paulo Guedes) sobre a multa de R$ 69 milhões da Receita que pesa sobre o jogador. A ocasião não era para isso – e ele recuou.

Clima tenso

O clima ficou tenso entre o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ) e o líder do governo na Câmara, Major Vitor Hugo (PSL-GO) na semana passada. O major exigia que Maia alterasse o texto e negociasse os benefícios para os policiais federais e ainda dizia que falava em nome do presidente Jair Bolsonaro. Rodrigo tentou explicar que se atendesse a categoria iria abrir brecha para outros setores. Vitor Hugo insistia e parecia não entender Maia, que engrossou: “Aqui você não manda, quem manda na Câmara são os deputados”.

Outra polícia

Os irmãos Bolsonaro gostariam mesmo de criar uma outra força policial, ligada diretamente ao Planalto e afastada de quaisquer outras instituições, incluindo a Polícia Federal (é um corpo especial de segurança e investigação que existe nos Estados Unidos, ligado à Casa Branca). O general Augusto Heleno, do Gabinete de Segurança Institucional, sabe desses planos e é radicalmente contra.

Me sinto seguro

Diante da declaração de Carlos Bolsonaro que segurança do presidente Jair Bolsonaro deveria ser reforçada e ideia dos filhos de Bolsonaro criar uma força policial ligada diretamente ao Planalto, o Chefe do Governo disse que se sente seguro com os serviços prestados pelo GSI. “Estou muito bem com o GSI, do General Heleno, me sinto muito seguro e tranquilo. Não existe segurança 100%, né, infalível. Qualquer presidente de vez em quando sofre algum tipo de atentado, etc., mas confio 100% no general Heleno à frente do GSI.

Outros ares

Na semana passada, a Avianca Brasil demitiu, de uma pensa só, 40 funcionários e muitos descobriram que a companhias não depositava o FGTS há quase um ano. No mesmo dia, à propósito, os jornais italianos anunciavam que German Efromovich poderá investir 240 milhões de euros na compra de 30% da Alitalia. Nem parecia o mesmo Efromovich que lançou a Avianca numa recuperação judicial com R$ 2,8 bilhões em dívidas.

Cresceu

Mais números: entre 1995 e 2018 o salário mínimo subiu 960%, em termos nominais, comparado a uma inflação do INPC/ IBGE de 347% a uma inflação baseada na cesta de consumo da terceira idade de 412% e a um aumento nominal de produto por hora trabalhada de 593%. Ou seja: o salário mínimo teve ganho, desde o Plano Real, de cerca de 150%.

Regime, de novo

A empresária Luiza Helena Trajano, a poderosa da rede Magazine Luiza, teve uma recaída do regime e agora tratou de voltar a dieta porque, no comercial que fez em parceria com o banco Santander, ela não gostou de ver o resultado da quebra do regime.

Não ministra sozinha

Tia Eron, ex-secretária nacional de Políticas para as Mulheres, que foi demitida no início de maio pela ministra Damares Alves, da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos por improdutividade, garante que trabalhou bastante e que entregou 18 ideias para ajudar na pasta. Em entrevista à revista Marie Claire, ao ser perguntada se triste ou decepcionada com a demissão respondeu: “Não posso ficar isso ou aquilo. Entendia que todo esse processo era muito frágil. Eu sei como funciona o Congresso e percebi as forças que cercam a ministra. Ela tem autonomia, mas não é ministra sozinha”.

Lastro em imóveis

O grupo paranaense Barigui vai lançar o Banco Bari, que terá como carro-chefe um cartão de crédito com lastro em imóveis. É um produto inédito no Brasil, que terá limite de até R$ 1 milhão, dependendo da garantia ou da renda do tomador. E cobrará taxas bem mais baixas que as dos cartões convencionais.

Para inglês ver

Assim como ocorreu nas áreas de Ciência e Tecnologia e da Cultura, ex-ministros de governos petistas, como Ricardo Berzoini, Carlos Cabas, Luiz Marinho, preparam lançamento de um manifesto contra a reforma do sistema de aposentadorias. Berzoini, na sua época, chegou a perseguir aposentados nonagenários, Carlos Gabas levava Dilma Rousseff para passear de motocicleta à noite e Luiz Marinho sonhou que poderia governar São Paulo.

Terço, não

Há algumas semanas, o Papa Francisco, que recebe informações enviadas sobre a política brasileira, sinalizou solidariedade ao ex-presidente Lula. Contudo, nunca mandou um terço ao ex-chefe do governo. Os petistas mais chegados é que espalharam a fake news.

Campanha

Os analistas de plantão acham que Veja se associou ao The Intercept em sua campanha para tirar Lula da cadeia e produzir, supostamente, o desmoronamento da Lava Jato, que já esteve até na capa da publicação.

Massacrado

O presidente Jair Bolsonaro, pisou mais uma vez, na bola ao defender o trabalho infantil. Em entrevista, disse que o trabalho dignifica e não prejudica nada, dando como exemplo sua experiência “colhi milho aos nove, dez anos de idade, em uma fazenda de São Paulo”. E completou: “O trabalho dignifica o homem e a mulher, não interessa a idade”, mas que não apresentará nenhum projeto de lei para descriminalizar a prática por saber que será massacrado.

Frases

 “Isso não tem fundamento. A escolta do presidente é sempre adaptada às características do evento.”

Do chefe do GSI, general Augusto Heleno,