O poder dos bárbaros

626

Parece simples, mas há obstáculos que não são de somenos para encerrar este ciclo e iniciar outro que nos garanta a mudança de métodos e nos livre de vez da praga populista. Para ficarem no poder, os políticos que desfrutam dos benefícios concedidos ao pessoal da terceira idade fazem qualquer negócio.

O poder, para os que lá estão há anos, é uma maravilha. Propicia emprego e oportunidades para a parentela e os amigos, socorro para outros e enriquecimento rápido para os apaniguados. Isso quando não se envolvem escândalos que revelam fortunas escondidas no guarda-roupa e vexames tais que rebaixam o Paraná a uma das províncias mais atrasadas do país no plano político.

Curioso Paraná o nosso. Somos tidos como exemplos de eficiência e produtividade em diversas áreas, a começar pelo agronegócio. E, no entanto, temos no poder um sistema centralizador, fechado, estatista, que encontrou meios de inflar desmedidamente um agrupamento político muito parecido com ele próprio, ao menos em termos ideológicos.

Sydor em francês

A escritora Adriana Sydor já pode ser lida em francês. A revista literária “La cause littéraire” publicou o capítulo “Avareza” presente no último livro da autora curitibana, “Sete confissões capitais e outros pecados”, com tradução de Stéphane Chao. “La cause littéraire” e a Travessa dos Editores já estão acordando a publicação dos outros capítulos do livro, cuja abordagem são as confissões dos pecados cometidos por Sydor. A editora e Chao já trabalham na tradução completa da obra para a edição francesa que deve sair no ano que vem.

Novo Moro

Sergio Moro foi ao programa Brasil Urgente. O apresentador questionou sobre condenação e prisão de Lula, Moro foi, digamos, político na resposta: “Da minha parte nada tenho contra o ex-presidente. Acho até lamentável que eu, infelizmente, tenha sido o autor da decisão que condenou uma figura pública que tem a sua popularidade e que fez até coisas boas durante sua gestão, mas também erradas […] Isso no fundo não é um bônus para mim, é um ônus. Mas o fiz cumprindo o meu dever”.

Delírios de Temer

O presidente da bananeira deu entrevista ao Correio Braziliense. Lá pelas tantas, foi perguntado “Como a história vai tratar o senhor? A resposta: “Sem ser otimista, mas realista, acho que vai ser de maneira muito positiva. Até positivo por indicativo do presente momento. Percebo que o número de homenagens que tenho recebido de 15 dias para cá — até tenho procurado evitar muitas delas porque não há espaço —, vejo que as pessoas estão com um reconhecimento muito acentuado. E eu até brinco. ‘Olha, quando você chega no último mês, o café esfria. E o meu café está quente ainda’.

Carne roubada

Os nomes não foram divulgados pela polícia, mas ontem a Delegacia de Furtos e Roubos de Cargas cumpriu 16 mandados de busca e apreensão e quatro de prisão. À imprensa chegou a informação de que casas de carnes nobres e restaurantes de Curitiba vendiam produtos roubados. Os estabelecimentos eram usados para lavar dinheiro de furto e roubo de cargas refrigeradas. A quadrilha tinha um leque grande de atuação: peixe, suíno, bovino, frango, pão de alho, fermento… Depois de roubar os caminhões, adulterava os chassis e revendia os veículos. O dinheiro era investido em imóveis.

Pode rolar acareação

Os advogados de Beto e Pepe Richa encaminharam à Justiça uma série de pedidos, incluindo a anulação do material apresentado por Tony Garcia no processo da operação Rádio Patrulha, que investiga suspeitas de fraude e desvio de dinheiro público em obras em estradas rurais; e a absolvição do ex-governador e do ex-secretário. Da lista, que tem outros itens, o juiz Fernando Fischer, da 13ª Vara Criminal de Curitiba, acatou apenas o pedido para que as provas sejam periciadas e Tony Garcia tenha o depoimento colhido pela Justiça, com a possibilidade de acareação entre eles.

Transição da Copel

As equipes do atual presidente da Copel, Jonel Iurk, e do futuro, Daniel Slaviero, traçaram a rota da transição. O encontro foi na sede da Copel em Curitiba e a reunião fluiu dentro do esperado pelos dois lados.

 

Boa chance para mudar

Há esperanças. As forças modernizadoras, que devem sustentar a perspectiva da modernização, se reúnem desta vez em torno de um político jovem, experiente, claro nas ideias e nos compromissos e que começa seus discursos com a promessa de um novo jeito de governar que é a confrontação com a maneira de governar de Requião, seu PMDB e sua família.

Só isso justificaria um novo tempo. Ratinho Jr representa a primeira geração de políticos formada sem as peias do autoritarismo. Seu discurso recuperou palavras e valores que ficaram esquecidos durante todo o tempo marcado pela ditadura e suas consequências. Por isso mesmo sofre restrições da velha guarda, dos políticos que ainda dividem o mundo e as ideias em dois lados apenas e não conseguem funcionar quando há mais de uma ideia na cabeça, condição de inteligência, segundo Scott Fitzgerald.

Pena eduzida

A Primeira Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR) reduziu a pena do ex-deputado estadual Luiz Fernando Ribas Carli Filho de 9 anos e 4 meses de prisão para 7 anos, 4 meses e 20 dias, pelas mortes de Carlos Murilo de Almeida e Gilmar Rafael Yared, numa colisão de trânsito em 2009. Com isso, Carli Filho não deve passar nem um dia sequer na prisão.

Prisão de Battisti

De acordo com o Jornal Nacional, o ministro do Supremo, Luiz Fux, determinou na noite desta quinta-feira, 13, a prisão do italiano Cesare Battisti para que ele seja extraditado para a Itália. Uma das promessas de campanha de Jair Bolsonaro era de que, caso fosse eleito presidente, Battisti seria extraditado para seu país de origem, onde foi condenado por quatro assassinatos.

Moro defende lobby

O futuro ministro da Justiça, Sérgio Moro, reafirmou hoje ser a favor da regulamentação da prática do lobby. “É melhor que isso (lobby) seja regulamentado do que feito às escondidas”, disse ele na sede provisória do futuro governo. O lobby foi reconhecido, por decreto do governo federal, como uma profissão, em fevereiro. Mas ainda não está regulamentado pelo Congresso Nacional, onde diversos projetos tramitam há décadas sobre o tema.

Os do contra

Os críticos afirmam que a regulamentação consolidaria a lógica de mercado dentro do poder público. Já os defensores sustentam que as novas normas trariam transparência ao processo de defesa de interesses de grupos específicos dentro do Estado.

Finanças do PT

Gleisi Hoffmann, a presidente do PT, publicou no site do partido o profundo lamento pela situação atual das finanças do partido. Segundo o que diz a nota, a sigla chegou ao esgotamento dos recursos durante as campanhas de 2018, em especial a Presidencial, que teria deixado dívidas e causado impacto negativo nas finanças. Ela diz que o partido “subsiste praticamente do Fundo Partidário” que teria sido insuficiente para a manutenção das atividades após o término das reservas mantidas pelo PT.

Salvação da lavoura

Gleisi sugere algumas medidas para ajudar nessa fase: suspender viagens e hospedagens de dirigentes e funcionários durante dezembro e janeiro, revisar a folha de pagamento do Diretório Nacional a partir de 2019 e reduzir os aluguéis de instalações e contratos de prestação de serviços. A sigla também quer que parlamentares, cargos comissionados e filiados do partido contribuam com uma graninha.

Temer: 5% de aprovação

Ibope fez pesquisa para saber como os brasileiros avaliam o governo de Michel Temer. Resultado:

– 5% da população aprova seu governo;

– 74% considera ruim ou péssimo;

– 18% avaliou como regular

– 3% da população não soube responder ou não teve palavras para expressar o que pensa.

Temer tem o governo mais mal avaliado entre os presidentes desde José Sarney.

Coronel no DER-PR

O Coronel João Alfredo Zampieri , atual secretário do comando da 5ª. Divisão do Exército de Curitiba, será o novo Diretor Geral do Departamento de Estradas de Rodagem (DER-PR). A indicação de Zampieri foi confirmada nesta quinta-feira (13) pelo governador eleito Carlos Massa Ratinho Junior.

No Instagram de Bolsonaro

Flavio Bolsonaro foi ao Instagram falar sobre o caso da grana de seu ex-motorista. Escreveu: “Mantendo a coerência de sempre, não existe passar a mão na cabeça de quem errou. Não fiz nada de errado, sou o maior interessado em que tudo se esclareça para ontem, mas não posso me pronunciar sobre algo que não sei o que é, envolvendo meu ex-assessor”, embora já tivesse dito que o ex-motorista havia lhe explicado os motivos e que ele os achou bem críveis, mas não podia revela-los.

Pau na imprensa

Na postagem, o filho do futuro presidente também criticou a imprensa por escarafunchar o caso e citou outros partidos “incluindo o PSOL” que também têm movimentações financeiras suspeitas. Concluiu com o pedido: “Não vou decepcionar ninguém, confiem em mim”.

      

Cida não para

A agenda da governadora Cida Borghetti segue em ritmo acelerado. São compromissos no Palácio Iguaçu e no interior, inclusive nos finais de semana, para anunciar novos investimentos, obras e recursos para os municípios.

Nos últimos dias, Cida confirmou a construção de quase 2,5 mil casas populares em 46 cidades. Também assinou a Lei Anticorrupção do Paraná, transformou o Bosque da Copel em área permanente de preservação e liberou dezenas de convênios para obras, compras de equipamentos e investimentos.

A governadora segue em viagem para a região centro-sul. Começa em Fernandes Pinheiro, vai para Irati, São Mateus do Sul, Antônio Olinto e Lapa. Cida anunciará ações nas áreas de infraestrutura, segurança, saúde e assistência social.

Hoje , a governadora tem compromissos pela manhã em Curitiba e à tarde segue para Londrina, onde libera grandes investimentos para a saúde da cidade.

Esperando a hora

O general Hamilton Mourão, vice-presidente da República, que atravessa um período de distanciamento do presidente eleito Jair Bolsonaro, está apenas esperando a hora de sentar na cadeira principal do Palácio da Alvorada. Será em janeiro, possivelmente no dia 19, o procedimento de retirada da bolsa de colostomia de Bolsonaro, que ficará em recuperação por alguns dias. Contudo, a cirurgia poderá ser adiada para a semana seguinte caso Bolsonaro decida ir ao Fórum de Davos. Nos dois casos, Mourão assumirá a Presidência interinamente, o que não significa tranquilidade absoluta para Bolsonaro.

O que é o Coaf?

Além de ser o lugar que deflagrou a maior dor de cabeça pública de Bolsonaro antes de assumir a bananeira, o Conselho de Controle de Atividades Financeiras é parte do Ministério da Fazenda, responsável por produzir relatórios sobre transações financeiras suspeitas. Até hoje já enviou à operação Lava Jato, por exemplo, mais mil comunicações desse tipo. O órgão foi criado em 1998 e tem 37 funcionários, o presidente é indicado pelo ministro da Fazenda. Não faz parte de suas competências investigar, pedir informações etc., apenas gerar relatórios. Ano que vem, ele passará para o superministério de Moro e o diretor já anunciado será Roberto Leonel.

 

 

Simples, nem tanto

A reversão da colostomia é considera uma intervenção simples. Consiste na sutura do intestino grosso, com a reconstituição do trânsito no órgão. O bom estado do paciente ajuda, mas há alguns dias a inflamação do abdômen impediu a realização do procedimento antes da posse. A reconstituição do trânsito intestinal, contudo, tem um risco superior ao da colostomia. Há casos de pacientes que só recebem alta cerca de 40 dias depois da cirurgia. E há intercorrências comuns (vômitos, diarreia, febre) que podem aumentar o período de permanência de Bolsonaro no hospital para até 12 dias.

 

Sem conversa

Nesses dias de transição, mais o surgimento de uma série de problemas, como a novela do ex-funcionário Fabricio Queiróz envolvendo a primeira-dama Michelle Bolsonaro, o presidente diplomado e seu vice ainda não conversaram sobre o período de licença medica de Bolsonaro em janeiro. Enquanto isso, há quem aposte que a cabeça de Mourão viaja.

 

Exibição

A bolsa de colostomia incomoda Jair Bolsonaro, mas isso não quer dizer que ele tome cuidados redobrados. Há dias, quando avisou que seus médicos recomendaram um dia de descanso total, surgiram versões de que ele, na realidade, estava se recolhendo para não entrar de público na história do ex-assessor de seu filho Flávio. Esta semana, foi pior: o presidente diplomado decidiu se exibir no COT – Comando de Operações Táticas da Polícia Federal, fazendo flexões em frente a tropa. Seus médicos ficaram furiosos.

 

Guerra aberta

A deputada eleita para a Assembleia Legislativa de São Paulo, Janaína Paschoal, do alto de seus mais de dois milhões de votos, está declarando guerra a quem se apropria de percentagem do salário de seus funcionários, pratica constante em casas legislativas brasileiras – e que agora pode ter ocorrido nos depósitos na conta do ex-assessor de Flávio Bolsonaro, Fabrício Queiróz. Despejou críticas no Twitter – mas sem citar o filho do presidente.

 

Nova TV

A TV Brasil, integrante da EBC, criação de Franklin Martins nos tempos de Lula presidente, sempre deu traço de audiência, mas tem mais de dois mil funcionários. Agora, aderiram ao Plano de Demissão Voluntária cerca de 250 funcionários, o que significa um resultado ruim para quem quer escapar da extinção. A saída será um plano de demissões e um novo enfoque, numa nova grade para a TV Brasil, no ano que vem. Ou seja: não será fechada, não.

 

Olho nos médicos

Entre 2013 e 2018, o número de cursos superiores de medicina no país saltou de 209 para 326, um aumento de 55,9%. Somente nos últimos cinco anos, surgiram 117 graduações, com capacidade de prover 13 mil vagas, sendo 65% dela em instituições privadas. São dados da Demografia Médica no Brasil, com apoio do Conselho Federal de Medicina. Até 2020, a estimativa é que o Brasil, hoje com 466 mil médicos, tenha meio milhão de profissionais, enquanto o número anual de formados passará de 20 mil em 2017 para 38 mil nos próximos seis anos. detalhe: pelo menos 50% dos novos são considerados de duvidosa competência.

 

Boquinha

Floriano Pesaro, ex-secretário do Desenvolvimento Social do governo de Geraldo Alckmin, que não conseguiu se reeleger deputado estadual em São Paulo (sua gestão foi das mais discutíveis), deve ganhar uma boquinha no governo Bolsonaro, graças a um esforço do governador eleito João Doria. Poderá assumir uma secretaria no Ministério da Cidadania, de Osmar Terra, onde sempre cabe mais um (há quem diga que Michel Temer também ajudou porque Terra é do MDB e foi ministro do governo dele).

 

Cobrindo a posse

A deputada federal eleita Joice Hasselman (PSL-SP), que é jornalista, vai cobrir a posse de Jair Bolsonaro, transmitindo ao vivo pelas redes sociais.  Ela é campeã de audiência no YouTube, tendo duplicado seu número de inscritos no canal, hoje mais de 1,1 milhão. A propósito da rusga entre ela e Eduardo Bolsonaro: foi o presidente diplomado que entrou no circuito, mandando o filho fazer as pazes com ela e aparecer a seu lado nas redes sociais. Bolsonaro teme a língua de Joice.

 

Pano

A “bancada da roleta”, que defende a volta do jogo ao Brasil, vai visitar cassinos de Las Vegas, no começo do ano que vem, a convite de grupo de empresários de lá, comandado por Sheldon Adelson, conhecida figura do império do pano verde. A justificativa será “uma visita técnica”, com passagem, estadia e despesas tudo por conta dos anfitriões. Também no grupo deverão viajar algumas lideranças de bancadas, ainda não convencidas sobre o retorno dos cassinos.

 

Contra Vittar

O empresário e apresentador Carlos (Ratinho) Massa está sendo vítima de quase uma campanha em defesa da drag queen Pabllo Vittar. Tudo porque ele reclamou em seu programa dos critérios de classificação das mulheres “mais sexies” do país feita pela revista IstoéGente, incluindo Vittar. “E por isso que as revistas estão acabando. Pabllo Vittar na lista das mulheres mais sexies do ano? Nem mulher é, ou vou ter de aceitar mulher com saco no lugar da periquita?”.

 

Chorando

O governador eleito do Amazonas, Wilson Lima (PSC) está tentando fazer Bolsonaro revogar o decreto assinado por Michel Temer em setembro, acabando com incentivos tributários federais via IPI concedidos a fabricantes de bebidas na Zona Franca de Manaus. Ele acha que a AmBev e a Heineken sigam os passos da Pepsico, que saiu de lá rapidinho, fechando a fábrica e demitindo, de uma penada só, 50 trabalhadores. Paulo Guedes, como se sabe, é radicalmente contrário à concessão de incentivos fiscais.

 

Poderoso

Janaína Paschoal sempre disse que não aceitaria convite para ser ministra do governo Bolsonaro, especialmente porque não queria se transferir para Brasília “por motivos familiares”. O motivo é um só: não quer ficar longe do poderoso maridão que ocupa grande posto no Scotia Bank, que tem sede no luxoso prédio da Faria Lima, em São Paulo, em frente ao Shopping Iguatemi (é lá também que estão os escritórios de João Doria).

 

Balanço

Em meados de 2014, o número de desocupados no país era de apenas 6,3 milhões, ou seja, pouco mais da metade dos números atuais. Nesse período, foram perdidos 3,7 milhões de empregos com carteira assinada. Em contrapartida, houve um aumento de 1,8 milhão de empregos sem carteira assinada. Ou seja, para cada dois empregos formais perdidos foi criado um emprego informal.

 

Prédios ocupados

O governo decidiu decretar ponto facultativo na Esplanada dos Ministérios no próximo dia 31, véspera da posse do presidente eleito Jair Bolsonaro. O novo Chefe do Governo desfilará em carro aberto (é o velho Rolls Royce, dos tempos de Getúlio Vargas), ao lado da mulher Michelle e o esquema de segurança tratará de esvaziar os prédios da região para que militares assumam o controle de cada um deles, impedindo chances de atentado. A tarefa ainda será coordenada pelo general Sérgio Etchegoyen (depois, assumirá o general Augusto Heleno).

 

Seios ao sol

Inspirado nas fotos que Letícia Colin fez, com os seios à mostra, para a revista Marie Claire, Tainá Muller defende, nas redes sociais, a possibilidade da mulher tomar sol com busto nu, sem ser incomodada pela gula machista. Além de reafirmar “Meu corpo, minhas regras”, Tainá acha que, com sol, a pele da área deixará de ser tão fina, o que provoca dores em quem amamenta.

 

Indicado

Na campanha ao governo de São Paulo, João Doria teria passado o chapéu na comunidade judaica que resolveu apoiá-lo para valer com uma condição: a indicação do secretário da Saúde. Doria ganhou e não deu outra: o bloco judaico indicou Claudio Lottemberg. Ele não aceitou e indicou José Henrique Germann, que vai tomar posse.

 

Na contramão

A nova ministra dos Direitos Humanos, Damares Alves, ex-assessora do ainda senador Magno Malta, é dada a frases mais do que surpreendentes. Uma delas: “Chegou a hora da igreja governar. Se agente não ocupar espalho, Deus vai cobrar”. E a mais recente: “Mulher é feita para ser mãe. Adoraria ficar em casa enquanto meu marido trabalha para me dar joias”. As legiões de mulheres pró-empoderamento quase enfartam.

 

Avesso do avesso

O novo chanceler Ernesto Araújo, que defende isolamento do país na questão da migração, está formando uma equipe, nesse período de transição, de figuras sem menor experiência nas relações exteriores e menos ainda no exercício da diplomacia. Entre alguns integrantes do núcleo principal de Bolsonaro, no bloco verde-oliva, há quem ironize a escolha dizendo que “tem sido como chamar a baixa oficialidade para reformar o Exército”.

 

Sucessão

O ex-governador de São Paulo, candidato derrotado na corrida à Presidência e ainda atual presidente nacional do PSDB, Geraldo Alckmin, que vai se dedicar ao uso da acupuntura no combate ao câncer, anda conversando com o senador Antonio Anastasia para sucedê-lo no comando do partido. João Doria, governador eleito, é contra: quer eleger Bruno Araújo para a presidência dos tucanos.

 

Outra bola

As emissoras de TV andam preocupadas: a partir do ano que vem, serão seis as grandes competições de futebol internacional transmitidas por plataforma de streaming no Brasil. E com tendência a aumentar, devido à gula com que o Facebook avança sobre direitos de torneios sul-americanos e nacionais.

 

Cirurgia

O discutido Coronel Nunes, presidente da CBF, acaba de passar por uma operação no cérebro, no Hospital Albert Einstein, em São Paulo. O neurocirurgião foi Jorge Pagura, que também é ligado à entidade esportiva. Nunes passa bem, já recebeu alta e permanecerá mais uns dias em São Paulo.

 

Almanaque

O rastreamento do Coaf, agora em cima do ex-assessor de Flávio Bolsonaro, já pegou também o ex-ministro Antonio Palocci por R$ 216 milhões de recursos mal contabilizados. E ainda Erenice Guerra, ex-ministra da Casa Civil de Dilma Rousseff: R$ 26 milhões.

 

Na maior

No domingo passado (9), sem camisa e sem qualquer segurança por  perto, o general Hamilton Mourão, vice-presidente da República, corria pela orla de Ipanema, no Rio, perto das 11 da manhã. Quando era reconhecido, acenava, sorria – e não parava.

 

Muita gente

A transição do governo já tem cerca de 40 dias e o presidente eleito e o futuro ministro da Casa Civil já receberam 320 parlamentares para conversas. Em todas  afirmaram que não existirá a política do “toma lá, dá cá”.

 

Deve acabar

O futuro ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, avisou que uma das prioridades da Pasta é acabar com o problema de caixa. E para isso, vai acabar com a Infraero, que abriga 9 mil funcionários, privatizando os aeroportos. Ele quer leiloar já em março 12 aeroportos das regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste. Depois, outros lotes entrarão e num deles estará o aeroporto de Congonhas.