“A situação econômica do Paraná é confortável em comparação aos outros Estados, mas a estagnação da economia brasileira também nos afeta e a conjuntura exige cautela”. A avaliação é do presidente da Assembleia, deputado Ademar Traiano (PSDB) depois de ouvir a explanação do secretário da Fazenda, Renê Garcia Junior, que fez ontem, para os deputados, a prestação de contas sobre o primeiro quadrimestre de 2019.

“A estagnação da economia brasileira se reflete no desempenho econômico e nas receitas do Estado. O setor produtivo não gera receita o que deve nos alertar e preocupar. Precisamos ter toda cautela para não comprometer o que governo já fez, com a contribuição do Legislativo, para sanar os problemas de caixa”, destacou Traiano.

O secretário da Fazenda alertou que, com a recuperação lenta do cenário econômico nacional, “medidas de controle de corte de despesas serão necessárias”, levada em consideração a possibilidade de recessão no segundo semestre. Os dados apresentados dão conta de um incremento de R$ 1 bilhão na arrecadação do Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) em relação ao mesmo período de 2018, sinalizando 2,5% a mais. Mesmo assim, a receita total registrou queda real de 4,86% (não computada a inflação).

Ratinho Jr não interfere

A FIEP sempre foi uma instituição cobiçada por empresários e políticos associados. Em toda eleição de nova diretoria há interferência que costuma se transformar em guerra surda e muitas vezes em jogo bruto. Não seria diferente agora, quando a eleição se aproxima, marcada para agosto. O atual presidente, Edson Campagnolo, revela que secretários, ex-secretários e parlamentares tentam interferir em favor de uma chapa de oposição.

Poder da FIEP

O certo é que aquele que conquistar a direção da FIEP terá grande poder de interferência no Estado. à entidade estão filiados 99 sindicatos que representam todos os setores industriais que atuam no estado, responsáveis por quase 30% do PIB paranaense. Além de administrar duas poderosas instituições que compõem o Sistema FIEP – o Sesi e o Senai – além do Instituto Euvaldo Lodi (IEL). Não é de somenos. Essas entidades têm recursos vultosos para desenvolver seus programas.

 

Greve no topo

Um ‘tuitaço’ em apoio à greve geral marcada por sindicatos, partidos e entidades estudantis para a sexta-feira (14), fez a #SextaTemGreve ascender à lista dos assuntos mais comentados do Twitter no Brasil. A hashtag tem sido impulsionada por parlamentares de oposição ao governo de Jair Bolsonaro, especialmente dos partidos PT, PDT e PSOL, além dos perfis da Central Única dos Trabalhadores (CUT) e da União Nacional dos Estudantes (UNE).

Adesões

Em São Paulo, sindicatos de ferroviários, metroviários e motoristas de ônibus já confirmaram que vão aderir à paralisação apesar do Metrô e da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) terem conseguido liminares na Justiça contra a greve. “A gente contesta isso na Justiça depois. A greve está mantida”, disse um funcionário do Sindicato dos Ferroviários.

CCJ derruba porte de arma

Por 15 votos a 9, senadores rejeitaram o parecer do senador Marcos do Val (Cidadania-ES) na CCJ, Comissão de Constituição e Justiça. O relatório de do Val era contra os projetos de decretos legislativos apresentados pelos senadores Randolfe Rodrigues (Rede-AP), Humberto Costa (PT-PE), Eliziane Gama (Cidadania-MA) e Fabiano Contarato (Rede-ES) para sustar os efeitos do decreto do presidente Jair Bolsonaro (PSL).

Referência no BID

Curitiba é apontada como referência nos processos de planejamento e execução de programas com financiamentos externos e contrapartidas da Prefeitura. O destaque é do especialista em Desenvolvimento Urbano e Habitação do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), Jason Hobbs, feito no seminário de encerramento do Programa Integrado de Desenvolvimento Social e Urbano do Município de Curitiba (BID Pró-Cidades), nesta quarta-feira (12/6), na Rua da Cidadania do Cajuru.

Obras retomadas

A expectativa do Instituto Paranaense de Desenvolvimento Educacional (Fundepar) é que até março do ano que vem todas as 15 escolas envolvidas diretamente com a Operação Quadro Negro sejam entregues à população. O cronograma atual aponta que oito centros educacionais foram concluídos. Apenas três escolas, em Campo Largo, Ponta Grossa e Cornélio Procópio, aguardam nova licitação. Ou seja, o índice de evolução é de 80%.

Telegram descarta hacker

Após o aplicativo Telegram descartar a ação de hacker no vazamento das conversas do então juiz Sérgio Moro com procuradores da Lava Jato, toma corpo entre arapongas de inteligência a suspeita de que as mensagens podem ter sido entregues para publicação por integrante do grupo do aplicativo do qual fazia parte o atual ministro da Justiça. O Telegram negou ter sido hackeado, mas isso não significa que os celulares do ministro e dos procuradores não tenham sido invadidos.

Fora da Previdência

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou que o parecer da reforma da Previdência a ser apresentado na quinta-feira pelo relator da proposta, deputado Samuel Moreira (PSDB-SP), não deve incluir Estados e municípios, mas acrescentou que o tema seguirá sendo discutido em busca de um acordo, assim como o regime de capitalização.

Até o texto final

Segundo o presidente da Câmara, caso seja possível construir um acordo, os entes federativos podem ser incluídos no texto até a data de sua votação na comissão, previsto para o dia 25 deste mês, ou até mesmo por meio de emenda, quando a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) estiver em análise no plenário da Casa.

Oriovisto apoia Moro

Em encontro nesta terça-feira, no Congresso Nacional, o senador Oriovisto Guimarães (Pode), manifestou, em nome dos três senadores paranaenses e da bancada do Podemos (nove senadores) total apoio ao ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, sobre as investidas e manobras que vem sofrendo e repudiou a ação que classificou como criminosa partindo de raqueadores de telefone, o que poderá acontecer também com senadores e presidente da República.

Na presença de Moro, Oriovisto disse “que é coisa mais normal do mundo conversas entre juízes e procuradores da República e o que o senhor está sofrendo é manobra orquestrada por pessoas que procuram desestabilizar o governo e a nação. Conte conosco”. Sergio Moro agradeceu a solidariedade e disse que há uma sensação estranha de um site que publica algo em pedaços, com base em conteúdo raqueado do telefone.

Trabalho infantil

De 2014 a 2018, o Ministério Público do Trabalho (MPT) registrou mais de 21 mil denúncias de trabalho infantil. Na média histórica, o MPT calcula que haja 4,3 mil denúncias de trabalho infantil por ano. Foram ajuizadas 968 ações e firmados 5.990 termos de ajustamento de conduta, um instrumento administrativo para impedir condutas irregulares. Informação da Agência Brasil.

Bons amigos

As redes sociais estão recheadas de informações e fotos sobre quem é Glenn Greenwald, dono do The Intercept, site de extrema-esquerda que teria vazado, de forma ilegal, troca de mensagens entre o ex-juiz e atual ministro da Justiça, Sérgio Moro e o procurador Deltan Dallagnol. Ele vive com David Miranda (PSOL) e os dois são acusados de atentar contra a segurança pública do Reino Unido. Junto com esse material, circulam também na internet fotos de Greenwald ao lado do ex-presidente Lula.

 

Contra-ofensiva

Também nesses dias, já surgiu nas redes sociais uma campanha nacional com o mote “Eu apoio Sérgio Moro” (pode até virar adesivo para automóveis). Se for o caso, quem pode julgar Moro é a Corregedoria da Vara de Curitiba ou o Conselho Nacional de Justiça. Os procuradores serão investigados pelo Conselho Nacional do Ministério Público.

 

Apagar tudo

Os defensores do ex-presidente Lula, liderados por José Roberto Batochio, querem, alegando parcialidade do ex-juiz Sérgio Moro, extinguir os processos e as condenações do ex-chefe do Governo, o que não é tarefa fácil. O ex-presidente já foi condenado em três instâncias, inclusive no Superior Tribunal de Justiça. Essas são as instâncias que poderiam corrigir eventual descuido do processo de julgamento.

 

Também jornalistas

O procurador Deltan Dallagnol está avisando que, em abril, não apenas procuradores, mas também jornalistas foram alvo de hackers criminosos. Faziam-se passar por procuradores para obter mais informações.

 

Envolvidos

O vazamento de conversa entre o atual ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro e o procurador Deltan Dallagnol tem dividido as opiniões. A grande maioria está a favor. E como não poderia deixar, já correm suposições de que o PT estaria envolvido no vazamento só pela interpretação do nome: IntercePT.

 

Ascensão

Uma provável e ainda remota queda de Sérgio Moro diante do vazamento ilegal da conversa dele com Deltan Dallagnol, pode provocar a ascensão do ministro. Com a sua permanência no governo seu nome ganhará força. Em caso de queda e sem poder voltar a ser juiz seu nome seria facilmente lançado como candidato ao Planalto, com grande possibilidade de vitória.

 

Troca

O ex-deputado Abelardo Lupion (DEM-PR) acaba de assumir o comando da Secretaria Especial para a Câmara, no lugar do ex-deputado Carlos Manato (PSL-ES) por ordem de Onyx Lorenzoni, ministro da Casa Civil. O que desagradou muito o PSL

 

Ordem unida

O ex-presidente Lula, tão logo tomou conhecimento das conversas vazadas entre Sérgio Moro e Deltan Dallagnol, que inspiraram, de cara, paixões furiosas dos defensores da Lava Jato e igualmente condenação dos petistas, especialmente os que batalham pela da liberdade do ex-Chefe do Governo, baixou uma “ordem unida”. Ninguém deve se manifestar sobre os vazamentos, condenar antecipadamente Moro ou os procuradores, nada disso. Lula acha que seu bloco não deve “colocar mais lenha na fogueira”: tornaria o PT e seus seguidores mais do que suspeitos de participação numa suposta armação.

 

Fio dental

Num dos últimos capítulos de A dona do pedaço, a influenciadora digital Vivi (Paolla Oliveira) quer posar para fotos na internet usando um minúsculo biquini fio dental, que inspira protestos de seu namorado Camilo (Lee Taylor). Ela terá um affair com um motorista chamado Chiclete (Sérgio Guizé). Detalhe: na cena do fio dental, Paolla exigiu gravar apenas de lado. Não quis repetir cena semelhante a outra (com calcinha fio dental) da minissérie de Euclydes Marinho, Feliz para sempre.

 

Excessos

O vazamento das conversas entre Moro e Dallagnol confirma ligação do ex-juiz com procuradores, o que não é bom para ele porque, supostamente, comprometeria a independência da Justiça. Juízes não devem e não podem manter relações chegadas nem com a defesa e tampouco com a acusação. No Brasil, juízes e ministros dos tribunais conversas com as partes. Joaquim Barbosa se recusava e Cármen Lúcia recebe com a presença de uma testemunha. Outros falam com as partes sem nenhuma preocupação.

 

Novos rounds

Por enquanto, Sérgio Moro, Deltan Dallagnol e outros integrantes da Lava Jato ficam com a imagem arranhada. A indicação do ministro da Justiça para o Supremo perde força e possíveis novos rounds protagonizados pelo site The Intercept Brasil podem incendiar mais a cena nacional. Outros juízes estão assustados diante da possibilidade de serem atingidos, entre eles, Marcelo Bretas, da Lava Jato carioca. Soltar vazamentos aos poucos é uma estratégia de Glenn Greenwald.

 

Em nome do governo

O vice-presidente Hamilton Mourão foi o primeiro a sair em defesa de Sérgio Moro, garantindo que ele “continua mantendo total confiança do governo” (ou seja, falava também em nome de Bolsonaro, cujos filhos igualmente defenderam Moro). Outros integrantes do governo não abriram a boca, alguns por solidariedade, outros por não terem permissão e mais terceiros, por uma gota de inveja da imagem do ministro.

 

Outros projetos

Há quem garanta que Paulo Guedes, da Economia, tem outras propostas em sua área que somente serão conhecidas depois da aprovação da Nova Previdência. Seria uma questão de precaução: o plano teria projetos que poderiam interferir em determinados grupos com representação no Congresso e sua revelação provocaria uma reviravolta na votação da reforma da Previdência. Nas duas últimas semanas, já foram criadas três novas frentes no Congresso contra algumas ideias da equipe econômica.

 

Em paz

O presidente da Comissão Especial da reforma da Previdência, deputado Marcelo Ramos (PL-AM), alfinetou na semana passada o governador de São Paulo, João Doria, por causa da pressão na tentativa de inclusão dos Estados no projeto. Só que já se encontraram e fizeram as pazes. Doria falou: “As desavenças estão superadas e seguiremos trabalhando juntos pelo Brasil”.

 

Cutucada

O deputado Eduardo Bolsonaro assumiu na segunda-feira (10) a presidência do PSL em São Paulo, mesmo com muitas posições contrárias. Em seu discurso, aproveitou para cutucar o partido rival, o PT. “Não vamos fazer o diabo para sermos eleitos”, era uma referência à frase usada pela ex-presidente Dilma Rousseff, que admitia que “os petistas podem fazer o diabo na hora da eleição”.

 

Olho no futuro

As projeções são da Instituição Fiscal Independente, que atua ao lado do Senado: o câmbio deve encerrar 2019 a R$ 3,99 e R$ 3,87 no final de 2020. Na revisão de 2018, a expectativa era de uma taxa de R$ 3,69 em dezembro de 2019. A projeção atual contempla a taxa de câmbio R$ 3,99 no fim corrente e para 2020, a projeção subiu de R$ 3,73 para R$ 3,87.

 

Advogados também

Não são apenas juízes que imaginam que, a qualquer momento, possam ser atingidos por outros vazamentos. Advogados que negociaram delações com as forças tarefas de Curitiba e do Rio de Janeiro igualmente relatam temor de terem tido suas conversas divulgadas. E temem mais ainda se seus clientes forem figuras conhecidas na cena política nacional.

 

Quem diria

Pedro Guimarães, novo presidente da Caixa Econômica Federal, enfrenta um processo da prefeitura do Rio de Janeiro que cobra R$ 93 mil por não pagamento de IPTU de 2018 de um apartamento na Zona Sul, mais multa e juros.

 

“Manicômio”

Dados da Anfavea – Associação Nacional de Fabricantes de Veículos Automotores: o setor gasta, anualmente, R$ 2,3 bilhões só com o que é chamado de “custo burocrático-tributário”. É maior do que o total de R$ 1,5 bilhão previsto com desenvolvimento do programa Rota 2030. Luiz Carlos Moraes, presidente da Anfavea, protesta: “É um manicômio tributário. Ou acabamos com esse sistema ou ele acaba com o Brasil”.

 

Na TV

O ex-presidente Lula concederá uma entrevista a José Trajano e Juca Kfouri, para a Rede TVT, que também será exibida nos canais do YouTube, Facebook e na Rádio Brasil Atual, que irá ao ar dia 13 (mera coincidência), às 20 horas. Lá, deve falar da carreira, seu pedido de liberdade e, claro, deve tocar no assunto do vazamento das conversas entre Sérgio Moro, Deltan Dallagnol e outros procuradores.

 

Anônimo

No mês passado, foi vendida a mansão do ex-banqueiro Edemar Cid Ferreira, no bairro do Morumbi, em São Paulo, por R$ 23 milhões. A aquisição foi feita por um comprador que se manteve no anonimato e que até agora não havia feito o depósito. Se a compra não for honrada, a mansão terá um novo leilão ou voltará a integrar o bolo de ativos da massa falida do Banco Santos.

 

Retrato

Dados da FGV IBRE: a produtividade do trabalho no Brasil por hora trabalhada cresceu em média apenas 0,4% ao ano, entre 1982 e 2018, num ritmo extremamente lento para um país em desenvolvimento. Mais: a jornada do trabalhador brasileiro sofreu substancial redução de 1981 a 2018, caindo de 46,6 horas semanais para 39,5, em todas as ocupações.

 

Comida italiana

Silvana Tinelli, mistura de fotógrafa e viúva de Atílio Tinelli, milionária em qualquer parte do mundo, acaba de lançar um box com o título Itália por Silvana Tinelli, com 12 volumes com receitas de diferentes cidades italianas. É o resultado de anos de trabalho e inspiração em muitos pratos que aprendeu com a mãe de Atílio, quando morou na Itália. Sua famosa receita de picanha com batatas picantes está incluída.  O box custa R$ 300,00.

 

PT em campo

Sindicalistas ligados ao PT articulam na OIT – Organização Internacional do Trabalho, a inclusão do Brasil na “lista negra” de países que não cumprem a Convenção 98, aprovada em 1949 e endossada pela ditadura Vargas. Pedem de volta “o direito de filiação sindical” (nunca suprimido) e “negociações coletivas”, manobras para burlar o fim do imposto obrigatório.

 

Outro problema

Há mais de três milhões de pessoas buscando emprego há mais de dois anos, em meio aos 13,2 milhões de desempregados. Esse primeiro bloco enfrenta outro problema: a retomada decorre do desemprego de longo prazo. E isso acarreta perda de habilidades dos trabalhadores e consequente dificuldade maior para retornar ao mercado de trabalho. O endividamento do próprio governo e das famílias nos últimos 15 anos viraram também outro problema.

 

Falência

A BR Pharma, varejista de farmácias fundada em 2009 pelo BTG Pactual acaba de pedir falência na Justiça. Paulo Remy, presidente do conselho, é o maior acionista e apenas seu voto já aprova a falência. Tem uma dívida de R$ 1,2 bilhão (com credores, sem contar o fisco) e teve receita líquida de R$ 9,5 milhões no ano passado. Para quem não sabe: o Brasil tem 82 mil farmácias. Em algumas cidades do país, até duas farmácias numa única quadra.

 

Até ele

O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, era um dos quatro titulares de Pastas que iam bem, se destacando das confusões diárias criadas por Bolsonaro ao seu redor e, de repente, assinou projeto das cadeirinhas. Nele, afirmou que multa para quem transportar crianças soltas no carro são “exageros punitivos”. A alguns, ele diz que foi obrigado.

 

Menos três

Novos capítulos do caso do jogador Neymar Jr, que é acusado de estupro pela modelo Najila Trindade dão a entender que o craque é inocente. O terceiro advogado dela acaba de pedir despensa. Primeiro, foi José Edgard Bueno, que entrou no caso porque Najila disse que ele seria acusado somente de violência sexual. Depois, entrou em cena Yasmin Portela Abdalla, que, a princípio aceitou e depois resolveu recuar. Najila chamou Danilo Garcia de Andrade, que anunciou na noite de segunda-feira (10) estar deixando o caso. “Jamais, advogaria para alguém que colocasse a minha integridade em questão. Que jamais participaria de qualquer ilicitude para lograr proveito econômico de quem quer que seja. Acredito na boa advocacia, nos valores da moral e da boa conduta”.

Frases

 “A economia continua patinando. Governo sem mão firme. O povo paga pelas incertezas com falta de renda e emprego. É hora de juízo. Falta grandeza, sobram mesquinharias.”

FHC, sobre governo e vazamentos.