“Eu já sabia!”, disse ontem, o deputado Romanelli (PSB) sobre os erros encontrados pela Agepar nos cálculos das tarifas do pedágio. O rombo, segundo a agência, pode chegar a R$ 3 bilhões. “Desde o início das concessões, denuncio que os contratos são lesivos, que falta transparência no cálculo das tarifas, que os aditivos foram feitos a revelia do interesse público e que as principais obras previstas não seriam executadas até 2021”, completa Romanelli.

Em 2019, até esta terça-feira, as seis concessionárias de pedágio já faturaram R$ 1,4 bilhão e em 2018, foram mais R$ 2,4 bilhões. Calcula-se que até o final dos contratos em 2021, o pedágio terá sangrado em R$ 21 bilhões a economia do Paraná. “Esse dinheiro fez muita falta aos paranaenses. Quantas estradas, ruas e avenidas poderiam ser pavimentadas? Quantas escolas, postos de saúde, creches e hospitais poderiam ser construídos?”, questiona o deputado.

Esses recursos provenientes das cobranças das tarifas, segundo Romanelli, ainda circulariam na economia do estado, aquecendo o comércio e os serviços. “É um prejuízo incalculável. O mesmo está acontecendo agora com os acordos de leniência, onde as concessionárias pagarão uma multa, farão algumas obras se der tempo, a tarifa é reduzida por um tempo determinado e elas estarão livres para participar da nova licitação dos 4,1 mil quilômetros de rodovias federais e estaduais no novo modelo de pedágio no Paraná”, disse.

 

Recálculo

Matéria da repórter Katia Brembatti na Gazeta do Povo adianta que a agência reguladora determinou que os cálculos sejam refeitos pelo DER e nesta altura dos contratos – faltando dois anos para o fim do prazo – o rombo de R$ 3 bilhões só poderia ser compensado com redução de tarifa. O cálculo da tarifa, segundo o jornal, envolve conceitos contábeis, econômicos e financeiros, como fluxo de caixa e taxa interna de retorno.

Ponto de partida

“O ponto de partida é um dos documentos que fazem parte dos contratos de concessão assinados em 1997, o anexo 8, que estabelece uma bonificação em caso de realização de algumas obras pré-definidas. Esse adicional teria sido considerado na expectativa de receita das concessionárias e teria tido efeito positivo para as empresas ao longo do contrato mesmo quando as obras não foram executadas”, escreve a repórter. Como os contatos vencem em 2021, a compensação pode ser feita por meio de antecipação ou inclusão de obras. No cenário atual, a repórter sinaliza ainda que a devolução de dinheiro pode se dar com a “compensação em bens ou prorrogação da prestação de serviços sem cobrança.”

Nulidade

O Instituto Brasil Transportes (IBT) moveu uma ação contra as concessionárias do pedágio (Econorte, Viapar, Rodovia das Cataratas, Caminhos do Paraná, Rodonorte e Ecovia) que está pronta ser sentenciada na 2ª Vara Federal em Curitiba. O IBT defende a nulidade dos termos aditivos assinados entre as empresas e o Estado. “Esta ação questiona todo esse modelo perverso de pedágio, com tarifas altas, alterações e aditivos feitos à revelia do interesse público”, disse Romanelli que votou contra as concessões em 1997 e desde então questiona o modelo de pedágio implantado no Paraná. O advogado do IBT, Clóvis Costa, afirma que independente dos acordos de leniência já realizados ou “de outros que venham a ser realizados” não prejudicam “os pedidos de anulação apresentados na ação e o devido ressarcimento do Estado de todos os prejuízos sofridos pelos paranaenses”.

Por que?

Por que o Governo do Paraná manteve a JMK como gestora da frota de 17 mil veículos após a Secretaria Estadual de Administração e Previdência (SEAP) ter recebido 400 protocolos de irregularidades dos órgãos públicos usuários dos serviços, desde 2015, e ainda realizou seis aditivos contratuais? É o questionamento do presidente da CPI da JMK da Assembleia Legislativa, deputado estadual Soldado Fruet (PROS), após a Comissão Parlamentar de Inquérito interrogar, nesta terça-feira (10), gestores de frotas da Polícia Civil e da Secretaria Estadual da Saúde (SESA).

Contra altos salários

O Deputado Estadual Boca Aberta Jr votou contra o aumento de altos salário de funcionários da Assembleia Legislativa do Paraná, Tribunal de Contas e do poder judiciário. Boca Aberta Jr destacou que estes quadros, apesar de essenciais e de enorme relevância para a sociedade, já tem uma remuneração bastante significativa e que a prioridade é a recuperação salarial de professores, enfermeiros, praças da polícia, entre outros.

Traiano em Brasília

A inclusão de estados e municípios na PEC da Reforma da Previdência será o tema de uma reunião entre os presidentes das Assembleias Legislativas com o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP) nesta quarta-feira (11) às 14 horas em Brasília. “O nosso entendimento é que a União deva assumir essa responsabilidade de inclusão de estados e municípios na reforma da previdência”, disse o presidente Ademar Traiano (PSDB), presidente do legislativo paranaense.

Eleições on-line no Athletico

 

Inovação na disputa eleitoral do Athletico. Foi aprovada, ontem, em reunião do Conselho, alteração do regulamento para permitir ao sócio a opção de votar on-line nas próximas eleições. Agora, para decidir quem comandará o clube nos próximos 4 anos, o torcedor não precisará necessariamente ir até a Arena.

Para crescer e gerar empregos

O Brasil vive um momento de transformação que exige reformas estruturais no plano federal e medidas econômicas essenciais ao equilíbrio fiscal da União, dos estados e dos municípios. E nós, governadores dos estados de Espírito Santo, São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná, desejamos deixar claros os objetivos a serem alcançados em benefício de todos os brasileiros e as premissas que devem reger essa fase de mudanças do país.

 ‘A velhice é uma doença’

Diz Nizan Guanaes: A frase do título, que parece cruel, não é minha. Eu a ouvi de renomados cientistas que palestravam na Universidade Stanford, na Califórnia. Eles dizem que a velhice não é um estado inquestionável ao qual devemos nos resignar. E que, ao invés de sabermos envelhecer, temos é que saber rejuvenescer. Da mesma maneira com que se abria o peito para mexer no coração infartado numa operação perigosíssima e hoje se põem stents na maior simplicidade, em pouco tempo novos órgãos em 3D e intervenções genéticas reverterão o que antes era doença incurável.

Questão genética

Jair Bolsonaro, recém-operado da hérnia, só ficou dois dias sem abrir a boca – e sem criar novos problemas, dentro ou fora do país – para que seus filhos tratem de substituí-lo espalhando delírios e ameaças. Primeiro, Eduardo Bolsonaro, deputado federal e candidato à embaixada em Washington, vai visitar o pai no hospital e posa com uma arma na cintura; depois, o irmão Carlos, batizado de “Carequinha” por Alexandre Frota, diz no Twitter que as mudanças desejadas pelo país não virão por “vias democráticas”, preconizando a derrubada do regime. Detalhe: todas as ações dos filhos têm autorização do pai.

Sinal amarelo

Militares que participam do governo acenderam a luz amarela diante da nova pregação de Carlos Bolsonaro contra o regime democrático. Seu pai, nunca recusou elogiou a ditaduras, incluindo o período militar no país. E também nunca desmentiu quaisquer afirmações do filho Carlucho no Twitter. Muito ao contrário: ele já postou inúmeros comentários até mesmo substituindo o pai. Os militares acham que Carlos Bolsonaro está incitando bolsonaristas fanáticos, aqueles que o Chefe do Governo acha que irão atrás dele “quando levantar a borduna”.

 

Em holandês

Nas redes sociais, muita gente acha que o caso de Olavo de Carvalho é internação. Agora, ele resolveu dizer que as músicas dos Beatles foram compostas pelo filósofo alemão Theodor Adorno e que os integrantes do famoso grupo de Liverpool “eram analfabetos”. Olavo avisa que irá pesquisar e que leu essa versão “num artigo em holandês”. E ele não sabe uma palavra em holandês.

 

É o Rio!

O fechamento dos famosos Bar Luiz (132 anos) e Nova Capela (115 anos) é mais um sinal do abandono da prefeitura sobre o Centro do Rio de Janeiro onde, no ano passado, foram fechadas 250 lojas, pela crise e pelo aumento dos aluguéis. Também a área chamada Polo Novo Rio Antigo (da Cinelândia à Praça Tiradentes, passando pela Lapa) enfrenta problemas semelhantes. Mais: o quarteirão onde está o Bar Luiz na rua Carioca foi comprada em 2012 pelo banqueiro Daniel Dantas que aumentou o preço dos aluguéis dos imóveis – e não recua.

 

Nova CPMF

Como Bolsonaro está no hospital e proibido de falar, o ministro Paulo Guedes aproveita para avisar que a nova CPMF, agora chamada de ITF, está chegando. Ele diz que o imposto é “feio” e “chato”, mas poderá arrecadar R$ 150 bilhões. Começaria com 0,4% e chegaria a 1% sobre movimentação financeira, metade de quem depositar e metade de quem receber o valor. Agora, Guedes elogia a antiga CPMF, criada por tucanos e mantida por petistas que “arrecadou bem e durou 13 anos”.

 

Memória

Para quem tem memória curta: quando deputado, Bolsonaro passou duas décadas atacando a CPMF. No governo FHC, chamou a tributação de “desgraça” e “maldita”. E no governo Lula disse que um deputado favorável a cobrança merecia o “troféu cara de pau”. Como presidenciável e como presidente, Bolsonaro garantiu que a CPMF não voltaria. Agora, até admite que topa “se houver uma compensação para as pessoas”. E não tem menor ideia do que pode ser essa compensação.

 

Lavando a roupa

O deputado federal Alexandre Frota bateu boca com o governador de Goiás, Ronaldo Caiado, que acusava o governo de João Doria de ter copiado uma propaganda de seu governo. “Incrível @ronaldocaiado passando o sufoco geral em Goiás vem falar de SP. SP não copia, é copiada. Aliás, SP cria. Seu comercial é um plágio do filme Tropa de Elite. A taxa de homicídios em Goiás é quatro vezes maior que SP e o sr. sabe disso. Isso é de uma fanfarronagem só”. Dias depois ele garantiu que não bateu boca, foi apenas verdadeiro.

 

Sem preocupação

Por falar em Alexandre Frota, parece que agora ele está disposto a não levar desaforo para casa. Ainda sobre e a entrevista do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso no programa de Pedro Bial, ele disse: “Eu ficaria preocupado se ele gostasse de mim. A democracia é isso: saber trabalhar as diferenças. Ele achou um retrocesso, mas as coisas mudam. O Serra, por exemplo, me deu parabéns e conversou muito comigo”. E completou: “Não estou preocupado em agradar o doutor Fernando”.

 

Termômetro

O presidente Jair Bolsonaro mandou avisar que poderá ou não decidir sobre a indicação de Eduardo Bolsonaro para a embaixada em Washington somente depois sua volta da reunião da ONU, no final do mês. Diante disso o senador Esperidião Amin chegou à conclusão de que a indicação e sabatina de Augusto Aras, para a Procuradoria-Geral da República, será o termômetro para a indicação do filho do presidente.

 

Agora, frutas

Depois da farra de camarões e lagostas, o Supremo Tribunal Federal vai contratar empresa para fornecer à Alta Corte 27 variedades de frutas para o lanche dos 11 ministros num total de R$ 42 mil, podendo chegar a R$ 80 mil se acrescidas verduras. Tem de mil abacaxis a 2.500 cocos verdes, passando por 650 quilos de melancia, só para começo de conversa. Os cocos são os mais caros, R$ 7.075, mas os abacaxis não ficam muito atrás, R$ 5.650.

 

Arma permitida

A arma na cintura exibida pelo deputado federal Eduardo Bolsonaro na visita que fez ao pai no Vila Nova Star (era uma pistola Glock 9mm) é permitida. Ele tem direito de porte por ser escrivão licenciado da Polícia Federal. Eduardo é colecionador de armas e adepto da prática de tiro esportivo. Ninguém entendeu direito que tipo de mensagem o 03 queria passar.

 

Em Harvard

O ex-deputado Jean Wyllys, que estava residindo em Berlim e ninguém sabe como vem se sustentando, depois de renunciar ao mandato de deputado federal, poderá virar professor em Harvard num novo bloco chamado de Afro-Latin Research Institute, que estudará descendentes de africanos na América Latina. Há um mistério: Wyllys não fala inglês e e tampouco espanhol.

 

Algo em comum

“Eu não sou um cara de falar alto, eu não enxergo pessoas que pensam diferente de mim como inimigo”. Esse enunciado de Luciano Huck, ao participar de evento promovido pela revista Exame e outros semelhantes, foram considerados pela plateia como idênticos aos do ex-presidente Lula, como se o apresentador seguisse a mesma cartilha. E quando algum soprou o comentário no ouvido de Huck, ele acabou dando risada.

 

Carlucho news

Diante da repercussão de sua suposta pregação antidemocracia no Twitter, Carlos Bolsonaro, filho do presidente, postou com gosto de ironia: “Agora virei ditador? Pqp. Boa noite a todos”.

 

Almanaque

Para quem não tem a menor ideia: o Brasil ocupa o 105º lugar entre 180 países avaliados no Índice de Percepção da Corrupção da Transparência Internacional, o que assusta investidores. Estima-se que a corrupção atinja 1,4% a 2,3% do PIB brasileiro, ou seja, cerca de R$ 150 bilhões anuais, valor igual ao orçamento do Ministério da Educação para este ano. O cartel que atuava na Petrobras é considerado um dos maiores do mundo e comprar medidas provisórias era mais rentável do que qualquer investimento.

 

Bebês ameaçados

É o Brasil! Mais de cinco milhões de bebês ficarão sem vacina pentavalente, que protege de difteria, tétano, coqueluche, hepatite B e Hemofólico B (que causa meningite, pneumonia), entre outras. A vacina era importada da Índia, mas em junho a Anvisa vetou o produto. O Ministério da Saúde teve quase três meses para resolver o problema, não resolveu e agora, são milhões de bebês em risco.

 

Um basta

O presidente da OAB, Felipe Santa Cruz, aquele que Jair Bolsonaro afirmou que seu pai havia sido assassinado por um grupo terrorista, não gostou do discurso antidemocrático de Carlos Bolsonaro. Afirmou que está na hora de tomar uma posição sobre essa e outras semelhante atitudes: “É hora de os democratas darem um basta. Chega”.

 

Moeda de troca

Há quem garanta que cadeiras no Conselho Administrativo de Defesa Economia – Cade, serão trocadas por votos a favor da indicação de Eduardo Bolsonaro para a embaixada de Washington.

 

Resposta

O ministro da Defesa do Uruguai, José Bayardi, acha que o Brasil deveria se retirar do Mercosul, porque pode atrapalhar nas negociações do acordo com a União Europeia. A resposta veio rápida, Antonio José Ferreira Simões, embaixador do Brasil no Uruguai, afirma que as declarações são levianas e fora do contexto. “Os comentários do ministro Bayardi sobre a sociedade brasileira estão carregados de fortes preconceitos e demonstram total desconhecimento da realidade em que vivem 210 milhões de brasileiros, uma sociedade com grande vigor democrático”.

 

“Acordão” em marcha

Alexandre Frota foi ao Twitter e denunciou o “acordão” em curso para sabotar a CPI da Lava Toga. “A CPI da Lava Toga não vai sair, esqueçam. O acordo está feito e será trabalhado para não sair. Onde estão as manifestações? As cobranças feitas por aqueles que até ontem eram os patriotas?”.

 

Quem paga

Gleisi Hoffmann usou a verba da Câmara para visitar Lula na prisão. Em três datas, Hoffmann voou de Brasília a Curitiba e voltou no mesmo dia com passagens bancadas pela Casa. Agora, a mamata deverá melhorar. O PT poderá usar o fundo partidário para pagar advogados de Lula – e Gleisi, que é advogada, até está pensando em cobrar honorários “por consultoria”.

 

Família unida

Márcio Lobão, filho do ex-ministro Edison Lobão, foi preso pela Lava Jato. Ele, o pai e sua mulher Marta Lobão são réus na Operação Lava Jato por corrupção passiva e lavagem de dinheiro por conta de pagamentos ilícitos feito pela Odebrecht entre 2011 e 2014 no valar de R$ 2,8 milhões. Envolvia contrato de construção da usina de Belo Monte. Lobão (pai), na época, era ministro de Minas e Energia do governo de Dilma Rousseff.

 

“Poder paralelo”

O governador João Doria, num evento, defendeu mudanças no Ministério Público, “cujo poder ameaça prefeitos, governadores e o presidente”. E emendou: “É um poder paralelo, não foi eleito por ninguém e tem um poder sobre o qual ninguém legisla, ninguém julga. Não poder ter um poder absoluto no Brasil, isso não existe”.

 

Licença

Carlos Bolsonaro, vereador e filho de Jair Bolsonaro, pediu licença não remunerada, na Assembleia Legislativa do Rio. Ele poderá ficar até 120 dias afastado. Não que vá fazer diferença: Carlos não era muito assíduo da Casa.

 

Aplaudido

Ainda sobre o Fórum realizado pela revista Exame, em São Paulo: além de Luciano Huck dois outros possíveis candidatos à Presidência em 2022 estavam presentes, o governador de São Paulo, João Doria e do Rio, Wilson Witzel. Mas somente o apresentador de TV foi aplaudido de pé.

 

Contra

Depois de elogiar o ministro da Economia, Paulo Guedes, o governador de São Paulo João Doria, criticou sua postura de insistir na criação de uma nova CPMF. “Não pergunte se sou a favor da CPMF, porque vai ouvir um sonoro ‘não’”.

 

Jogo duro

O general Augusto Heleno garante que a Abin não infiltrou agentes para monitorar o Sínodo da Amazônia. Aos chegados, confessa estar preocupado com o possível embate com bispos da Igreja Católica – e com o próprio Papa Francisco – nesse episodio do Sínodo. Há quem aposte que o governo brasileiro vai aprender meio no muque como a Igreja Católica aprendeu a dar xeque-mate na arrogância de governos – e de eventuais espiões atrapalhados.

 

Abandonado

Segundo análises e relatórios do Ministério do Meio Ambiente, o Copene (Centro de Pesquisa e Conservação da Biodiversidade do Nordeste), na baía de Tamandaré, Pernambuco, está totalmente abandonado, exibindo lixo, sujeira, garrafas e caixas de cerveja vazia. Não há sinal de pesquisa alguma. Os servidores lotados lá deveriam atuar em “pesquisa”, “gestão ambiental” e “conservação”. São três prédios (administração, pesquisa e formação), 15 casas – e salários em dia.

 

Cachorros e tigres

Fausto Silva, habitualmente, usa camisetas e jaquetas de elegância discutível em seu programa. No último domingo (8), apareceu com uma camiseta repleta de cabeças de tigres, que ele chamou de “cachorros” no ar. Era um presente de seu filho. É da grife italiana Moschino e chega a custar na internet US$ 798, o que equivale a R$ 3.285,00. O filho pagou numa promoção e só desembolsou US$ 495, cerca de R$ 2.000,00.

Frases

 “Por vias democráticas a transformação que o Brasil quer não acontecerá na velocidade que almejamos… e se isso acontecer.”

Carlos Bolsonaro, pregando a derrubada da democracia.