O mercado imobiliário passou por uma de suas maiores crises nos últimos anos. Com a queda na inflação, a diminuição da taxa de juros e de financiamento, o crescimento do PIB brasileiro e as definições nos governos estaduais e federais, percebe-se uma retomada do setor imobiliário, principalmente se comparado a 2017. E as previsões para este ano são positivas, com expectativas de juros menores, maior abertura de financiamentos bancários e o lançamento de produtos para todas as faixas etárias e classes econômicas.

E com o aquecimento do mercado imobiliário, não só as vendas de imóveis aumentam, mas também o preço do aluguel, na média de 0,5% do valor do imóvel. Nas regiões mais valorizadas, como, por exemplo, o Centro, apartamentos compactos podem render ainda mais, já que são pensados em ser funcionais, práticos, seguros e sustentáveis, atendendo à todas exigências e necessidades do morador, que geralmente tem um perfil mais jovem e busca comodidade e localização. Além disso, os compactos têm a grande vantagem de terem um valor menor e são excelentes investimentos, pois permite diluir o mesmo valor em mais de um empreendimento e construir um patrimônio com maior liquidez. 

No último ano, o Brasil teve um aumento em 19,2% na venda de imóveis, alcançando mais de 120 mil unidade vendidas, de acordo com dados da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), realizada em parceria com o Senai Nacional. Já os lançamentos tiveram um aumento em 3,1% em relação a 2017, com mais de 98 mil unidades lançadas. Em Curitiba (PR), por exemplo, o mercado imobiliário está em alta e a valorização dos imóveis são uma garantia de um bom investimento. Os preços vêm subindo desde o primeiro semestre de 2018, segundo o índice FipeZap. A capital paranaense foi a cidade com a maior alta no valor do imóveis residencial. Enquanto a média nacional apresentou uma queda de 0,21%, na capital paranaense o preço médio da moradia subiu 3.39%. Apenas sete das 20 cidades monitoradas pelo índice apresentaram alta no fim do ano. 

Os lançamentos imobiliários no último trimestre de 2018 cresceram 45,1% em relação ao penúltimo trimestre. E a D. Borcath vem crescendo na mesma linha, tanto na linha residencial quanto na comercial. Desde o final do ano passado, temos dez projetos em andamento. Dentre as novidades lançamos o Eco Medical Center, com um investimento de R$ 80 milhões. Ele será o primeiro complexo médico do Paraná a contar com uma estrutura hospitalar de ponta, em parceria com o Hospital IPO. Para os próximos meses, também vamos lançar um residencial no formato de coliving, que promete ser um grande marco para o setor imobiliário da capital paranaense. Seja para quem quer adquirir um imóvel próprio ou investir em um empreendimento imobiliário, o cenário volta a acenar que o momento é oportuno e promissor.

Douglas Borcath Filho, diretor da Incorporadora D. Borcath.

COMPARTILHAR
AnteriorQuestão de gênero
Próximo