Novo modelo de pedágio

724

O deputado Ricardo Barros (PP) em audiência pública na Assembleia Legislativa debate as novas concessões rodoviárias do Paraná. Os contratos das concessionárias que administram 2,5 mil quilômetros de rodovias vencem no ano que vem e não serão renovados. Um novo modelo que deve abranger 4 mil quilômetros de rodovias estaduais e federais será licitado pela União.

Ricardo Barros defende que a licitação seja feita buscando a menor tarifa e não a maior outorga. Recomendações da bancada federal paranaense foram encaminhadas a Empresa de Planejamento e Logística (EPL), órgão contratado pela União para elaborar os estudos de viabilidade da concorrência.

“A conta está sendo feita num preço que não é o real. O ideal seria fazer a conta certa da tarifa e do investimento pelo preço contratado atualmente, desta forma tendo tarifas menores, com melhor infraestrutura”, disse recentemente em evento em Umuarama.

Precatórios

O Governo do Paraná formalizou o pagamento de mais de R$ 17 milhões em precatórios preferenciais a credores que participaram das rodadas de negociação promovidas pelo Tribunal de Justiça no ano passado. Um total de 1.023 pessoas, disse Ratinho Junior, aderiram à proposta feita pelo Executivo de receber precatórios com deságio e, com isso, antecipar o recebimento de seus créditos.

Desemprego cai

O Paraná registrou a 5ª menor taxa de desemprego do País no quarto trimestre de 2019 (outubro a dezembro), com um índice de 7,3%. Os dados são PNAD Contínua, pesquisa do IBGE. A queda foi de 6,4% em relação à taxa de desocupação do quarto trimestre de 2018 (7,8%), e ainda uma redução de 18% em relação ao trimestre imediatamente anterior de 2019 (que foi de 8,9%). O Estado registrou no trimestre um total de 5,6 milhões de pessoas ocupadas – número 1,4% maior que o resultado do mesmo período do ano passado, e 1,1% maior que o resultado do terceiro trimestre de 2019.

Compaixão

Sobre o encontro do Papa Francisco e o ex-presidente Lula, o chefe do GSI, general Augusto Heleno tuitou: “Confraternizar com um criminoso, condenado, em 2ª instância, a mais de 29 anos de prisão, não chega a ser comovente, mas é um exemplo de solidariedade a malfeitores, tão a gosto dos esquerdistas”. E depois ironizou: “Parabéns ao papa Francisco pelo gesto de compaixão”.

Resposta

Ainda sobre o encontro: e nem poderia ser diferente, Gleisi Hoffmann, presidente do PT, defendeu Lula. “General Heleno está nervoso porque o papa recebeu Lula. Vai dar murro na mesa, general Heleno? Fica nervoso, não. O papa sabe quem, no Brasil, defende o povo, a justiça e a democracia. E o seu governo não está em condições de dar exemplos”.

Depende

O senador Álvaro Dias (Podemos-PR), continua empenhado em ter o ministro Sérgio Moro, da Justiça e Segurança Pública em seu partido. E sempre que pode tece elogios ao ex-juiz. “Moro seria um ministro ainda mais eficiente se tivesse a cobertura do presidente. Moro é a autoridade mais popular do país. Ele adquiriu um patrimônio na Lava Jato que não se esgota facilmente. Isso permite que ele possa ter alguns reveses, por dificuldades impostas por Bolsonaro, sem abalar seu conceito. O Moro juiz era o senhor das suas ações. Como ministro, depende do presidente”.

Moroweb

No Instagram, Sérgio Moro via bem e no Twitter, o tom é cada vez mais político. Em dezembro e janeiro, os tuites do ministro foram compartilhados em média 4,7 mil vezes, segundo a FGV Dapp. Já no período entre 1º e 13 de fevereiro, quando chegou a rebater parlamentares do PSOL, seus posts foram compartilhados 6,9 mil vezes, em média – um aumento de 40%.

 

 

 

Mais um

Bolsonaro chamou mais um militar para o núcleo central do governo: é o Almirante Flávio Rocha para a Secretaria Especial de Assuntos Estratégicos, ligada diretamente à Presidência. É novo abalo no grupo Olavo de Carvalho. Os assessores Filipe Martins (amigo de Carlos Bolsonaro) e Arthur Weintraub (irmão do ministro da Educação), próximos do guru de Bolsonaro, ficarão subordinados a ele.

Bem cotado

Davi Barreto, hoje na diretoria da Agência Nacional de Transportes Terrestres – ANTT, é o nome preferido de Tarcísio Freitas, ministro da Infraestrutura, para assumira a superestatal que deverá ser criada com a fusão da Infraero, Valec e EPL.

Três juntos

Previ, Funcef e Petros estão discutindo a venda em bloco de usa participação na Invepar. A operação se daria no bojo do processo de desmobilização de participação acionária de fundos estatais que tem marcado o governo Bolsonaro. Os três detém 75% do capital da holding de concessões.

Eletrônicas

Até abril, o Ministério da Economia deverá publicar a regulamentação que falta para abertura do mercado de apostas eletrônicas no país, legislação aprovada no governo Temer. Bet365 e Sportingbet, dois dos maiores sites de aposta do mundo já confirmaram que pretendem começar a operar entre nós até o final do ano. O setor poderá movimentar R$ 8 bilhões em seu primeiro ano no Brasil, o dobro do que os brasileiros apostam, em dólar, em sites do exterior. Detalhe: a tributação poderá chegar até 35%.

 

 

 

 

 

 

 

Cifrões

A Confederação Nacional de Comércio de Bens, Serviços e Turismo projeta que o país vai faturar com o carnaval R$ 7,9 bilhões e desses, R$ 2,68 bilhões apenas no Rio, onde serão gerados cerca de 8.500 empregos temporários. Detalhe: hotéis estarão disputando as famosas feijoadas carnavalescas. Preço entre R$ 330 e R$ 480, com direito a apresentação de grupos de escolas de samba a open bar.

12 anos

A China construiu um hospital de emergência em dez dias para atender o surto do coronavírus. Em Minas Gerais, quatro obras de hospitais estão paradas desde a licitação do governo de Aécio Neves, ou seja, há 12 anos. Passaram pelo governo, além de Aécio, Antônio Anastasia (4 anos), Fernando Pimentel (mais quatro) e Romeu Zema. Estima-se que o prejuízo tenha alcançado R$ 1 bilhão.

 

Almanaque

Com o dólar baixo, os brasileiros deixaram US$ 2 bilhões por ano na Flórida, a maior parte em Orlando. Na época, Hillary Clinton chegou a dizer, na campanha de 2016, que iria dar atenção aos brasileiros. A nossa é a segunda nacionalidade a mais frequentar a Disney, perdemos apenas para os americanos.

Coroa em alta

Matéria da revista Economist está revelando que as grandes empresas estão buscando executivos cada vez mais velhos para tocar seus negócios. De 2005 a 2019, a idade média dos CEOs subiu de 46 para 58 anos. Eles devem ser magros e malhados e vigor para aguentar pesada rotina de trabalho.

Com deságio

Os ferroviários da Companhia Estadual de Engenharia de Transporte e Logistic, antiga RFFSA, não querem arriscar ficar credores do governo Witzel. Estão negociando com investidores disposto a comprar precatórios emitidos pelo Estado para pagamento de dívida trabalhista. Eles venceram causa trabalhista no PST e receberão R$ 50 milhões. Do jeito, farão bom negócio se venderem com 30% de deságio.

 

Vai chegando

O grupo que está responsabilizando pela campanha de Andrea Matarazzo (PSD) à prefeitura de São Paulo, como Gilberto Kassab no comando, está chegando à conclusão de que o candidato pode ir se  chegando na seara de Bolsonaro. Bruno Covas tentará a reeleição longe de Bolsonaro. Fernando Haddad é PT, Joice Hasselmann está meio rompida, o Aliança pelo Brasil nem estará pronto até lá. Resumo da ópera: há uma brecha para se chegando. “Nunca fui contra o governo Bolsonaro” – já diz o novo Andrea.

 

Prestações

A ViaVarejo estuda maneiras de diferir em seu balanço os acertos da fraude fiscal de quase R$ 1,5 bilhão ainda na época em que a empresa era controlada pelo Pão de Açúcar. O objetivo é evitar uma pancada no valor da ação em março, quando a companhia divulgará resultados do  quarto trimestre e consequentemente de 2019.

 

Benção especial

A Secretaria do Vaticano está informando que o Papa Francisco não concedeu ao ex-presidente Lula a benedictionem et innocentm, que corresponde mais ou menos à “benção dos inocentes”, reservada apenas a qualquer pessoa que tenha sido condenada por algum motivo e comprovou-se que era inocente.

Quanto custou

A equipe de assessor e motoristas do ex-presidente Lula custou pelo menos R$ 847,2 mil entre junho de 2018 e outubro de 2019 pagos pela Presidência da República enquanto estava preso. Ex-presidentes têm direito a oito servidores e o salário dos auxiliares podem chegar a R$ 13,6 mil cada um. Se forem militares, recebem remuneração extra por causa da função comissionada. Entre junho e dezembro 2018, a Presidência gastou R$ 323,7 mil e de janeiro a outubro de 2019, R$ 523,5 mil. Além das equipes, ex-presidentes têm  verba para combustível e manutenção dos veículos, além de passagens e diárias.

 

Frases

“O único passaporte da minha diarista é o Bilhete único.”

Do humor de José Simão