Novo filme de Polanski: imperdível

662

A condenação de um inocente, por sujo preconceito e perseguição política, é tão possível que chega a ser bíblica. E sua atualidade assusta quando se depara com o Caso Dreyfus ressuscitado por Roman Polanski, em roteiro baseado no romance O Oficial e O Espião, de Robert Harris.  J’Accuse, meu caro Émile Zola.

Grande Prêmio do Júri na 76.ª edição do festival de cinema de Veneza e também com o César (Oscar francês), no ano passado, quando teve sua estreia na Europa, a crítica relacionou o filme com a história pessoal do diretor, acusado de abuso sexual. Mas outras leituras merecem perdão, afinal há muitas injustiças nos tribunais pelo mundo. Ou não, caro Zola?

O caso Dreyfus é um escândalo jurídico, militar e político que começou em 1894 e terminou em 1906, na França. O acusado, Alfredo Dreyfus, capitão do exército francês, foi condenado em 1895 por traição e sentenciado à solitária na Ilha do Diabo, colônia penal na Guiana Francesa. O filme, contudo, narra o drama pelo olhar de um dos acusadores, oficial superior do réu, tenente-coronel Georges Picquart.

Interpretado por Jean Dujardin, Picquart é ético e severo nas fileiras militares (com uma vida amorosa nem tanto) , mas que verifica falsificação de documentos para condenar o judeu Dreyfus (vivido por Louis Garrel).

Octogenário, Polanski revê esse julgamento  mais de cem anos depois dos fatos. E o faz em tons cinzas, com suspense e de forma desapaixonada. Quando o jornalista Émile Zola entra em cena com a célebre carta, intitulada J’accuse, publicada no jornal parisiense L’Aurore, Polanski se permite um pouco de emoção.

Zola acusa o erro judiciário (?) e os algozes de Dreyfus. (Esse capítulo muito honra a história da imprensa e inspirou muitos jornalistas).  L’Aurore (que belo nome para um jornal!) foi para as ruas com 300 mil exemplares (tiragem inimaginável em tempos de The Intercept). Mas a turba francesa, repleta de fake news, fez antissemitas sair do armário e queimar o jornal em praça pública. Mas a verdade prevaleceu! Confira no cinema mais próximo de você.