Há quem acredite que não é apenas coincidência. Mal terminou a greve dos professores e começou novo capítulo da novela das operações do Gaeco. Nada a ver. Éa segunda fase da Operação Publicano, que investiga organização criminosa formada por auditores fiscais, contadores e empresários para facilitar a sonegação fiscal mediante o pagamento de propina. A Operação prendeu em pelo 10 cidades paranaenses, entre elas Curitiba, Londrina, Arapongas e Apucarana.
A ação iniciada ontem centrou fogo na cúpula da Receita Estadual, no que o Gaeco considera o “núcleo político” do esquema criminoso. Segundo o promotor Renato de Lima Castro, de Londrina, a organização criminosa é “altamente sofisticada” e hierarquizada, com divisão de tarefas e distribuição da propina arrecadada para manutenção da própria organização.
Ele diz que o esquema existe “há décadas”, e que novos agentes eram cooptados a integrar a organização na medida em que passavam no concurso público. Esta nova investida do Gaeco se baseianas informações em delação premiada de auditores, fiscais e empresários, como a dos irmãos e auditores fiscais Luiz Antônio de Souza e Rosângela Semprebom.

Alto coturno
Dos 68 procurados, os mais importantes presos ontem foram os de alto coturno da Receita Estadual: Márcio de Albuquerque Lima, líder do grupo e que foi inspetor geral de fiscalização da Receita entre julho do ano passado e março desse ano; Lídio Franco Samways Junior, que assumiu o posto de inspetor geral deixado por Lima; José Aparecido Valêncio da Silva, ex-coordenador geral da Receita, que deixou o cargo em maio, em meio às investigações; e Jaime Kiochi Nakano, ex-inspetor da Receita da Londrina e que hoje trabalha em Curitiba. Também foi preso João Marco Souza, auditor de Curitiba.

Vazou
Luiz Abi Antoum, primo em sétimo grau do governador Beto Richa, do PSDB, também teve a prisão decretada, mas ninguém sabe, ninguém viu onde anda o moço. A boataria já anda solta. Há mil hipóteses para a localização de Abi. Dos Emirados Árabes ao Paraguai, da Bolívia a Miami, da Venezuela a China. Apostas abertas no Centro Cívico.

Lula flagrado
Ora, pois, o ex-presidente Lua foi afinal flagrado com a mão em dinheiro recebido de empreiteira investigada pela Lava Jato. Registros de contabilidade da Camargo Corrêa informam que, entre 2011 e 2013, a empreiteira doou R$ 3 milhões ao Instituto Lula, entidade comandada pelo ex-presidente da República, e repassou R$ 1,5 milhão para a empresa de palestras do petista, a L.I.L.S. Palestras Eventos e Publicidade.

Aprovado
A Assembleia Legislativa do Paraná aprovou, por 30 votos a favor e 16 contra, em primeira discussão, o projeto de reajuste salarial para o funcionalismo público. A proposta deve ir à votação em segundo turno na próxima segunda-feira (15), com o compromisso da oposição de não apresentar emendas ao texto.

Longo prazo
O projeto estabelece o pagamento de 3,45% (referentes à inflação de maio a dezembro de 2014) em uma única parcela em outubro deste ano. A inflação de 2015 será zerada em janeiro de 2016. Já as perdas inflacionárias de 2016 serão pagas em janeiro de 2017 – quando os servidores também ganharão um adicional de 1%.

Fonte séria
Para que não se diga que o flagra em Lula é coisa da oposição, vale saber que os dados foram obtidos em perícia da Polícia Federal nos livros da construtora, em uma das apurações da Operação Lava Jato, que investiga um esquema de corrupção na Petrobras.

Perseguição
Depois dizem que é mania de perseguição. Uma ova. O governo federal tirou de seus planos imediatos duas ferrovias que passariam pelo Paraná e estavam previstas na primeira versão do programa, lançado em 2012. A continuação da Norte-Sul entre São Paulo e Rio Grande do Sul ainda está no radar, mas só será concedida depois da conclusão dos trechos mais ao Norte. A nova ligação entre Maracaju (MS) e Paranaguá também não apareceu no anúncio.

Altamente negativo
“Analisando a questão ferroviária do estado, o programa é altamente negativo. De certa forma, tínhamos expectativa que a ferrovia que liga Maracaju ao litoral entrasse. Seria uma grande oportunidade para atrair investidores, mas o governo federal não priorizou”, analisa o presidente da Federação das Indústrias do Paraná (FIEP), Edson Campagnolo.

Põe e tira
Virou piada. Governadores e empresários que ouviram a fala otimista de Nelson Barbosa (Planejamento) sobre o pacote de concessões comentaram, quando Joaquim Levy (Fazenda) foi discursar: “Agora o Levy vai tirar tudo que o Nelson prometeu dar”.

À venda
Enrolada na Operação Lava Jato, a Camargo Corrêa pretende vender uma fatia da InterCement, uma das maiores produtoras de cimento do mundo e a principal empresa do grupo hoje. A intenção é encontrar um sócio disposto a comprar de 10% a 18% da empresa, o que poderia render de R$ 2 bilhões a R$ 3,6 bilhões, que a empresa quer investir no exterior.

Viva o Papa
O Papa Francisco autorizou a criação de tribunal para julgar bispos envolvidos com pedofilia. Medida inédita foi revelada ontem pelo Vaticano, que vinha sendo criticado por omissão.

Mais do mesmo
“Brasília foi palco de um espetáculo diversas vezes reprisado, e a população assistiu a um videotape do lançamento de um programa que representa nada além de mais do mesmo.” Esta foi a opinião do senador Alvaro Dias sobre o lançamento, pela presidente Dilma, de um novo pacote de concessões para a área de infraestrutura. Alvaro lembrou que o mesmo pacote de investimentos em logística foi anunciado em 2012, e que, como tantos outros programas governamentais (entre eles o PAC, de Aceleração do Crescimento), naufragou na tentativa de alavancar o crescimento econômico do País.

Ruim de matemática
“Os professores precisam urgentemente voltar as salas de aula, não para dar aula, mas para aprender a fazer contas”. A inusitada declaração é de um deputado do chamado Bloco Independente, colocando o dedo na ferida das negociações que levaram ao fim da greve dos professores. Segundo o parlamentar, que coloca em dúvida a capacidade dos professores em lidar com as quatro operações, se a categoria tivesse aceitado negociar os 5% de aumento em duas parcelas neste ano, proposto no início de maio pelo Governo, todos sairiam no lucro. “Assim, eles receberiam os 5% este ano e poderiam negociar os 3,17% para o início do ano que vem. Tiveram que aceitar os 3,45% lá para outubro e o restante a perder de vista. É o que dá eles se deixarem levar pelo radicalismo de petistas e cutistas”, concluiu.

“PT desperta ódio”
“Mais do que rejeição, o PT está despertando ódio e vai pagar um preço alto nas eleições municipais porque é uma rede que envolve pessoas que são referência não apenas para o partido, mas para a sociedade”. Do prefeito de Curitiba, Gustavo Fruet (PDT), em entrevista ao jornal Valor Econômico, dando a entender que o PT, da vice Miriam Gonçalves, não terá espaço em seu projeto de reeleição, em outubro de 2016.

No confronto
A ala do PMDB que apóia o governador Beto Richa, do PSDB, decidiu comparecer à reunião do diretório estadual na próxima segunda-feira, quando será analisada a resolução do partido que determina que todos os peemedebistas entreguem seus cargos no governo estadual. A exigência é de Requião. A resistência é grande. Quem vencerá? Façam suas apostas.

Faxineira ética
A presidente Dilma Rousseff tenta, sem nenhum sucesso, a sua reentre no papel de “faxineira ética”. Pois, pois, depois que sua cúpula foi em cana por corrupção, o PT inventou a história de que a corrupção não aumentou depois que ele chegou ao governo

A alternativa
A ida de Marina Silva para a Rede não vai impedir o PSB de lançar candidato ao Planalto em 2018. O vice da sigla, Beto Albuquerque, afirma que será mantido o projeto de ser alternativa ao PT e ao PSDB. E declara que “já tem um nome que une o partido e simboliza a renovação: Renata Campos”. Ela era mulher de Eduardo Campos, falecido num acidente aéreo.

Contestação
A capa do site da CUT deu destaque ontem a uma entrevista com o economista Luiz Gonzaga Belluzo. Nela, faz duras críticas ao ajuste fiscal bancado pelo ministro Joaquim Levy (Fazenda).

Não ao obrigatório
Os eleitores de maior instrução (73%) e renda (77%) são os que mais apoiam o voto facultativo, revela pesquisa do Data Senado. Mas não ficam atrás os que têm só 1º grau (62%) e os que ganham menos de 1 salário mínimo (64%). O voto é obrigatório em apenas 31 países democráticos, segundo o Instituto Internacional para a Democracia, com sede na Suécia.

Na pressão
Depois de ter propagado que não seria candidata ao Planalto em 2018, a líder da Rede, Marina Silva, reapareceu ontem criticando o governo. Contam que foi pressionada pelos militantes de seu movimento, inquietos com seu marasmo.

Fim de papo
Grevistas de instituições federais de ensino cercaram o ministro Renato Janine (Educação) ontem em audiência pública no Senado. Foram ignorados na saída do ministro. Um deles gritou: “Nunca vi filósofo que não gosta de conversar”. Crítico do ajuste fiscal, o senador Paulo Paim tem dito que não irá ao congresso do PT. Sua ausência reduzirá as críticas à política econômica.

La nave va
A direção do PSDB embarcou ontem nos entendimentos entre a presidente Dilma e o governador Geraldo Alckmin (SP). Ambos vinham costurando, desde a semana passada, um texto alternativo para a maioridade penal.

Cadela, não
Assim caminha a humanidade. O vereador Professor Galdino (PSDB) quer dar nome de rua de Curitiba a uma cadela.Não deu. A Comissão de Legislação e Justiça da Câmara Municipal de Curitiba arquivou o pedido. A Guarda Municipal procurou o vereador para que ele denominasse um dos logradouros públicos da capital paranaense com o sugestivo nome de Hanna Golden Lata. A iniciativa foi parar no devido lugar, a lata de lixo.

Ata e desata
Os partidos médios estão empenhados em buscar alternativas para o pleito municipal. Os prefeitos que concorrem à reeleição temem o isolamento, o que os deixará com pouco tempo de propaganda na TV. O DEM já tentou a fusão com o PTB. O PPS, com o PSB. Agora, diz-se pelos corredores que o DEM pode retomar os contatos com o PMDB. O namoro teve início há dois meses, no Jaburu, num encontro organizado pelo vice Michel Temer e pelo prefeito ACM Neto (Salvador). Naquela época, a conversa não foi adiante. O DEM apostava suas fichas no PTB. A costura ficou em banho-maria, mas líderes do DEM acreditam que ela será retomada.

Olhem o México
Diz a Miriam Leitão que enquanto no Brasil o problema é inflação alta; no México, houve deflação nos meses de abril (-0,26%) e maio (-0,5%), segundo relatório do Itaú Unibanco. Os preços da energia caíram por lá e a mesma coisa aconteceu com os produtos agrícolas, exatamente o contrário do que foi visto no Brasil, segundo o IBGE informou pela manhã, com a divulgação do IPCA de maio.

Era o que faltava
Pasmem, senhores, a intelectual do petismo, Ideli Salvatti, vai agora trabalhar com política externa como assessora do secretário-geral da OEA.Fará uma dobradinha bolivariana com o abominável Marco Aurélio. Ideli passou por vários postos de comando do governo Dilma. Foi um desastre em todos. No Ministério da Pesca, Relações Institucionais e Direitos Humanos. Agora, imaginem os maus bofes da nossa diplomacia.

Alta na energia
O preço da energia elétrica continuou subindo em maio. Com a alta de 2,77%, a tarifa acumulou elevação de 58,47% em 12 meses, na média do país. Algumas cidades, contudo, sofrem ainda mais. Os consumidores de Curitiba viram as contas de luz saltarem mais de 80% no período. O pior caso é o da capital paranaense, com alta de 85,51% em 12 meses. Nos cinco meses de 2015, o preço da energia subiu 49,81% em Curitiba.

Problema doméstico
A taxa de inflação anual no México está em 2,88%. Aqui no Brasil, subiu a 8,47% em 12 meses. O exemplo mexicano mostra mais uma vez que a inflação é um problema doméstico do Brasil. O mundo vive um momento de preços em baixa.