Noivinha da cultura

556

De ferrenha apoiadora de pautas e manifestações de direita a responsável pela Cultura no Governo Bolsonaro, a atriz global Regina Duarte afirmou ontem que inicia um período de “testes” na Secretaria Especial da Cultura, após conversar com o presidente, que lhe convidou para ocupar o cargo depois da exoneração de Roberto Alvim, na sexta-feira, que caiu depois de copiar trecho e estética de um discurso nazista.

Antes de aceitar o convite de Bolsonaro, a atriz pediu uma conversa “olho no olho” com o presidente para entender seus planos para a área de Cultura. O encontro aconteceu nesta tarde, no Rio de Janeiro. Em nota, o Palácio do Planalto informou que “após conversa produtiva com o presidente Jair Bolsonaro, Regina Duarte estará em Brasília na próxima quarta-feira, 22, para conhecer a Secretaria Especial da Cultura do Governo federal”. Bolsonaro publicou uma foto com a atriz e disse que tiveram uma “conversa sobre o futuro da cultura no Brasil” e que ambos iniciam um “noivado que possivelmente trará frutos ao país”.

“Nós vamos noivar, vou ficar noiva, vou lá conhecer onde eu vou habitar, com quem que eu vou conviver, quais são os guarda-chuvas que abrigam a pasta, enfim, a família. “Quero que seja uma gestão para pacificar a relação da classe com o Governo. Sou apoiadora deste Governo desde sempre e pertenço a classe artística desde os 14 anos”, disse a atriz.

Nas redes sociais

Levantamento da consultoria Bites, encomendado pelo Poder360, revela que os deputados alinhados à direita no espectro ideológico foram os que mais se destacaram no Facebook, Twitter, Instagram e Youtube ao longo do ano. O presidente Jair Bolsonaro ajudou nesta onda. Dos 5 congressistas recordistas em interações (reações, comentários e compartilhamentos), 4 são do PSL –legenda à qual o chefe do Executivo foi filiado a maior parte do ano.

Joice campeã

A deputada Joice Hasselmann (PSL-SP) é a 1ª da lista. Teve 151,1 milhões de interações. Ela conquistou mais de 1 milhão de votos na eleição de 2018 e se destacou ao lado de Bolsonaro. Foi convidada por ele para ser líder do governo no Congresso. Ficou até outubro no cargo, quando foi destituída pelo presidente após atrito dentro do partido.

Paraná colabora

O Governo do Paraná colocou as forças de segurança estaduais (Polícia Militar, Polícia Civil, Polícia Científica e Departamento Penitenciário) à disposição do Ministério da Justiça e Segurança Pública para reforçar os trabalhos de localização e captura dos fugitivos da Penitenciária Regional de Pedro Juan Caballero, no Paraguai, que fica na fronteira com a cidade brasileira de Ponta Porã (Mato Grosso do Sul).

Em andamento

O recolhimento das assinaturas para a criação “formal” do partido Aliança pelo Brasil continua de vento em popa. Um dos mais empenhados é o deputado federal Carlos Jordy que está aproveitando o recesso parlamentar para recolher assinaturas em sua cidade.  Conhecido como “filhote de Bolsonaro”, semana passada esteve na Praça do Rink, no centro de Niterói, para agilizar o processo. Há quem garanta que ele está fazendo isso porque quer concorrer à prefeitura a cidade e sabe que pelo seu atual partido, o PSL, não conseguirá concorrer. Jordy foi o quarto deputado mais votado,  recebeu 204 mil votos.

Negado

Ainda sobre o Aliança pelo Brasil: o Conselho Nacional de Justiça negou um pedido de liminar que tentava suspender o recolhimento das assinaturas do futuro partido. O pedido foi feito pelo PT, PSB, PDT, PSOL e PCdoB que apontavam suspeita de improbidade administrativa.

 

Sem ciumeira

O presidente Jair Bolsonaro não anda participando dos eventos de coleta de assinaturas para o novo partido Aliança pelo Brasil, o que muita gente anda estranhando. O Capitão garante que faz isso para evitar ciúmes entre os futuros membros, já que não conseguirá estar em todos os locais. Mais: em fevereiro será iniciado um  crowdfunding para arrecadar recursos para os apoiadores.

 

Em festa

O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, está em festa. Recebeu um levantamento apontando que mais de 617 mil passageiros internacionais circularam pelo aeroporto de Brasília no ano passado. Foi um crescimento de 18,8% em relação a 2018. Aumentou também o anterior.número de voos internacionais: foram 4.796, uma aumento de 35,2% referente ao ano

Bem da cabeça

Antes de ser demitido da Secretaria da Cultura, Roberto Alvim, voltou a se defender: “Se eu soubesse que era do Goebbels, não teria usado. Nós estamos investigando qual foi a origem de tudo isso. Uma casca de banana dessa”. Mais: atacou Olavo de Carvalho, guru da família Bolsonaro, que disse que ele não estava muito bem da cabeça. “Eu vou provar pro professor Olavo, que é meu mestre, ao longo dos próximos meses, que eu estou bem de cabeça”.

Pediram a saída

E como não poderia ser diferente várias personalidades entre políticos, celebridades e autoridades pediram ao presidente Jair Bolsonaro que demitisse o secretário da Cultura, Roberto Alvim. Entre tantos estão Rodrigo Maia, presidente da Câmara, o cineasta Josias Teófilo, o empresário Winston Ling, presidente do Conselho da Petromar e muito próximo ao Chefe do Governo, Luciano Huck, o cartunista Laerte Coutinho, o ator José de Abreu e o cantor Marcelo D2 . Agora eles comemoram.

Ganhando tempo

Enquanto surge nova polêmica no Governo, o ministro da Educação, Abraham Weintraub, que está com a corda no pescoço, prestes a ser trocado, vai ganhando tempo e respira aliviado.

Em sintonia

O ministro da Justiça Sérgio Moro e o procurador da Lava Jato estão em plena sintonia quando o assunto é juiz de garantias. Os dois são contra a implantação. Moro comemora o adiamento da implantação feita pelo presidente do Supremo, Dias Toffoli, diz que continuará fazendo pressão para que isso não aconteça e pede para a sociedade fazer o mesmo. Dallagnol concorda: “Um tempo a mais para que a sociedade possa se mobilizar e mostrar a inviabilidade desse item, que foi adicionado pelo Congresso ao pacote anticrime”.

Elogios

Sérgio Moro, ministro da Justiça e da Segurança Pública teceu elogios para o ministro Dias Toffoli, presidente do Supremo, pelo adiamento de seis meses da implantação do juiz de garantias. “É positiva a decisão do ministro Dias Toffoli de suspender, por seis meses, a sua implementação. Haverá mais tempo para discutir o instituto, com a possibilidade de correção de, com todo respeito, alguns equívocos da Câmara”.

Indefinidamente

Como se sabe o ministro do Supremo Luiz Fux estará no comando a Alta Corte por dez dias, enquanto Dias Toffoli curte suas férias. Há quem sonhe que no comando da Corte, Fux possa suspender por tempo indefinido a implantação do juiz de garantias.

Invasão

Enquanto Sérgio Moro, ministro da Justiça, elogia o presidente do Supremo, Dias Toffoli, o comandante da Alta Corte faz exatamente o contrário. Semana passada ele suspendeu a portaria que ampliava a atuação da Polícia Rodoviária Federal, que permitia a participação em operações conjuntas com Ministério Público, a Receita Federal e todos os demais órgãos vinculados ao Sistema Único de Segurança Pública. Toffoli acredita que a ação de Moro invade a competência do Congresso.

Primeira denúncia

A primeira denúncia contra o senador Flávio Bolsonaro deve chegar em breve ao Ministério Público do Rio de Janeiro. Agora é que o 01 precisaria muito de um juiz de garantias.

Traída

A deputada Joice Hasselmann em entrevista disse estar arrependida de ter dado apoio ao presidente Jair Bolsonaro e o chamou novamente de “botequeiro de quinta categoria”. “Eu fui, de fato, traída. Fui traída não por deixar a liderança – isso é uma besteira. A traição foi na promessa de mudança, na promessa de que seria diferente. Então, sim, eu me sinto traída porque acreditei em algo que não está acontecendo”. E completou: “Eu acreditei em algo que caminha para ser um estelionato eleitoral. Mais um, como foi a Dilma, como foi o Lula. Nesse ponto, eu me arrependo profundamente”.

 

Descoberta

Rodrigo Maia, presidente da Câmara, deve ficar no comando da Casa até fevereiro do ano que vem. Para ser reeleito no comando, prometeu apoio para quatro pretendentes à sua sucessão. O que se descobriu agora é que além do apoio para esses pretendentes, prometeu a presidência da CCJ para outros cinco deputados.

Frases

Essa imprensa que está me olhando, não tomarei nenhuma medida para censurá-los, mas tomem vergonha na cara. Deixem nosso governo em paz, para levar harmonia ao nosso povo.”

Jair Bolsonaro