Le Ziryab: restaurante oferece vista privilegiada de Paris

Um almoço ou jantar em ambiente de muito bom gosto, debruçado sobre Paris e o Sena, nove andares abaixo, com a visão privilegiada da catedral de Notre Dame (mesmo depois do incêndio, sempre uma atração de Paris), das pontes Sully e de la Tournelle em primeiro plano e, ao redor, todo o esplendor da Cidade-Luz.
Com esse visual e um cardápio requintado e delicado, o visitante, ou o morador, da capital francesa vive momentos agradáveis e inesquecíveis no Le Ziryab by Guy Martin, o restaurante que fica no nono andar do Instituto do Mundo Árabe (IMA), lugar que revela, em seus diversos pavimentos, a trajetória do universo árabe, sua arte e cultura, desde os primórdios, ao lado de exposições de arte temporárias contemporâneas.

A boa mesa de especiarias sírio-libanesas deve-se a um renomado chef francês, Guy Martin, dono também do afamado Grand Véfour, restaurante que o qualificou como um dos melhores chefs do país e lhe conferiu duas estrelas no guia Michelin.

Mezze árabe: uma sequência que combina visual e sabor

O Le Ziryab by Guy Martin sucedeu ao Le Ziryab by Noura, comandado por outro chef, que uma consulta no Google informa como “fechado”. Não confunda. O Institut du Mond Árabe, um edifício de aço e vidro, fica no 1, rue de Fossés Saint Bernard, no Quartier Latin, 5º arrondissement, ao lado de um câmpus da Universidade de Paris, e chega-se lá pelo metrô Cardinal Lemoine, linha 10. O menu do Le Ziryab by Guy Martin tem tudo aquilo de bom da culinária árabe – homus, babaganuch, quibe, cuscuz, coalhada, tabule, méchui (o carneiro assado com especiarias), tagine (cozido que leva carne e legumes, com acompanhamentos diversos, originário do Marrocos), entre tantos outros, distribuídos em entradas e pratos principais -, sempre com apresentação requintada, que conquista o cliente já pelo visual e se confirma no sabor.

Há um menu “mezze árabe”, que combina uma sequência de pequenos pratos com especialidades da casa, acompanhados de um pão artesanal, que se não tem o formato do tradicional pão árabe complementa a refeição com competência. Um pequeno banquete.
Nas sobremesas, além de salada de frutas e sorvetes, aquela sucessão de doces orientais. A mezze dá para duas pessoas e custa 55 euros, em torno de 250 reais, com a conversão já computando o IOF. Vale a pena pela experiência única. Além do mais, como já disse alguém, “quem converte não se diverte”.