O cálculo do IPCA, índice oficial de inflação no país será atualizado e passará a considerar novos hábitos de consumo da população, como serviços de streaming (como Netflix e Spotify), transporte por aplicativo (como Uber e 99) e até produtos de higiene para animais domésticos. A nova fórmula entra em vigor a partir de janeiro de 2020.
A principal mudança, segundo informou nesta sexta (11) o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) é que os gastos com transporte passam a ter peso maior do que as despesas com alimentação. A revisão é baseada na POF (Pesquisa de Orçamento Familiar), divulgada na semana passada pelo instituto.
Realizada entre 2017 e 2018, a pesquisa detectou mudanças nos padrões de gastos dos brasileiros. Pela primeira vez, as famílias têm separado parcela maior do orçamento para se locomover do que para comer.
No último levantamento, de 2008 e 2009, o peso dos dois era quase o mesmo, com leve vantagem ara alimentação. De acordo com o IBGE, a revisão tem o objetivo de adequar o cálculo da inflação aos novos hábitos de consumo dos brasileiros.
“Ficamos muito tempo sem ter uma POF e temos uma mudança cada vez mais rápida no padrão tecnológico”, diz o gerente de Índice de Preços do IBGE, Pedro Kislanov. O IPCA reflete a cesta de consumo das famílias com rendimento mensal de até 40 salários mínimos.
“Tivemos a saída de alguns itens que não encontramos mais. Ao mesmo tempo, tivemos a entrada de produtos que estão entrando no cotidiano de milhões de brasileiros”, completou. Ao todo, 56 novos elementos passarão as ser pesquisados pelo IBGE.
Entre os produtos que passam a ser utilizados no cálculo, estão alimentos de preparo rápido, como macarrão instantâneo e suco em pó. Há também serviços relacionados à vida saudável e estética, como sobrancelha, cabeleireiro e barbeiro, depilação e atividade física.
A POF detectou que as famílias brasileiras estão gastando menos com arroz e feijão e mais com alimentos prontos. Nos últimos dez anos, a fatia do orçamento do brasileiro dedicada a gastos com higiene subiu de 1,9% para 2,9%.
O IBGE passará a calcular também a evolução dos preços de serviços de streaming, combos de telefonia, internet e TV por assinatura, serviços de transporte por aplicativos, conserto de celular e console de videogames.
Por outro lado, saem do cálculo do IPCA artigos que perderam peso na cesta de consumo das famílias, como aparelhos de DVD, antena, manutenção de microcomputador, assinatura de jornais e máquinas fotográficas.
Refletindo outra mudança de hábito captada pela pesquisa, os serviços de conserto de bicicleta também entram no IPCA a partir de 2020. Kislanov relaciona o maior gasto com o item à busca por atitudes mais saudáveis dos brasileiros.
O item saúde e cuidados pessoais ganhou peso no cálculo da inflação, enquanto transportes e alimentação perderam. Ainda assim, os custos com locomoção têm o maior peso: 20,8%. Alimentação vem logo atrás, com 18,9%.
“O aumento no peso do transporte pode ser explicado pela menor quantidade de opções desse serviço, enquanto na alimentação as famílias têm mais facilidade em trocar alguns produtos por outros, para economizar”, disse Kislanov.
O terceiro maior peso vem da habitação, com 15,16%, leve alta em relação à fórmula anterior, que é de 2012. O primeiro índice de inflação com o novo cálculo será divulgado no início de fevereiro de 2020.
“Vamos ter uma cesta de mais qualidade, muito mais representativa dos hábitos de consumo”, afirmou, dizendo que o ideal é que a POF seja realizada a cada cinco anos para atualização mais constante da cesta de itens que compõem o IPCA.
Para o economista da FGV André Braz, as mudanças não devem ter impacto significativo nos índices de inflação, já que os itens de maior peso, como gasolina, energia e aluguel sofreram poucos ajustes.
“De forma agregada, houve dança das cadeiras [entre a importância dos itens], mas, mesmo assim, não vejo mudança estrutural”, afirmou.
Para entrar no cálculo do índice, os produtos e serviços precisam representar mais de 0,7% da despesa total das famílias. Aqueles que representam entre 0,1% e 0,7% também podem ser incluídos para compor determinados itens.
O gerente da pesquisa explica que os pesos de cada item ainda serão revistos até o fim do ano, com base na evolução do IPCA entre janeiro de 2018 e dezembro de 2019. Os números atuais referem-se à primeira data, que é a data base da POF.
As séries históricas não serão alteradas. Segundo ele, a lista produtos de maior peso, como gasolina, energia elétrica e aluguel, não tem grandes alterações.

O QUE ENTRA E O QUE SAI DO IPCA A PARTIR DE 2020
1) Alimentos e bebidas
Entra:
– Macarrão-instantâneo
– Batata-doce
– Abobrinha
– Pepino Açúcar demerara
– Laranja-lima
– Melão
– Cupim
– Picanha
– Peixe-palombeta
– Peixe-filhote
– Peixe-aruanã
– Bacalhau
– Requeijão
– Leite fermentado
– Polpa de fruta (congelada)
– Vinho (dentro do domicílio)
– Suco em pó
– Chá mate (erva mate)
– Alimento infantil
– Colorau
– Caldo de tucupi
– Vinho (fora do domicílio)
– Sorvete (fora do domicílio)

Sai:
– Feijão-branco
– Amido de milho
– Farinha vitaminada
– Abóbora
– Quiabo
– Mandioquinha (batata-baroa)
– Agrião
– Peixe-badejo
– Peixe-cavalinha
– Peixe
– Peixe-pescadinha
– Peixe-vermelho
– Peixe-pacu
– Peixe-dourado
– Peixe-piau
– Peixe-surubim
– Sururu
– Peixe-tucunaré
– Peixe-mandi
– Creme de leite
– Chá
– Coco Ralado
– Ervilha em conserva
– Carne em conserva
– Patê

2) Habitação
Entra:
– Madeira e taco
– Pedras
– Saco para lixo
– Sabão líquido
– Limpador multiuso
– Papel toalha
– Amaciante e alvejante

Sai:
– Inseticida

3) Artigos de residência
Entra:
– Videogame (console)
– Conserto de aparelho celular
– Artigos de iluminação
– Utensílios para bebê
– Conserto de bicicleta

Sai:
– Aparelho de DVD
– Conserto de aparelho de som
– Utensílios diversos
– Liquidificador
– Forno microondas
– Antena
– Manutenção de microcomputador

4) Educação
Entra:
– Educação de jovens e adultos
– Livro didático
– Livro não didático

Sai:
– Assinatura de jornal
– Fotocópia

5) Saúde e cuidados pessoais
Entra:
– Antidiabético
– Neurológico
– Óculos de grau

Sai:
– Artigos ortopédicos

6) Transportes
Entra:
– Transporte por aplicativo
– Integração transporte público

Sai:
– Transporte hidroviário
– Lubrificação e lavagem

7) Vestuário
Entra:
– Mochila
– Sandália/chinelo

Sai:
– Terno
– Acortinado (mosquiteiro)

8) Despesas pessoais
Entra:
– Cabeleireiro e barbeiro
– Cartório
– Sobrancelha
– Tratamentos de animais (clínica)
– Material de caça e pesca
– Serviço de higiene para animais
– Cinema, teatro e concertos

Sai:
– CD e DVD
– Locação de DVD
– Máquina fotográfica
– Revelação e cópia
– Ingresso para jogo
– Fotografia e filmagem

9) Comunicação
Entra:
– Serviços de streaming
– Combo de telefonia, internet e TV por assinatura
– TV por assinatura

Sai:
– Telefone público

NICOLA PAMPLONA
FOLHAPRESS