No Paraná, as famílias em situação de vulnerabilidade social podem contar com 569 CRAS para buscar apoio e orientação

O secretário da Justiça, Família e Trabalho (Sejuf), Ney Leprevost, entregou na quinta-feira (18/07) o Centro de Referência da Assistência Social (Cras) de Ariranha do Ivaí, no norte central do estado. “É mais uma obra para atender as famílias mais carentes, porque nós fizemos uma opção preferencial pelos mais pobres”, afirmou, lembrando que o governo Ratinho Junior está intensificando os trabalhos em todo o Paraná para dar mais dignidade e qualidade de vida às famílias que mais precisam.

O prefeito de Ariranha do Ivaí, Augusto Aparecido Cicatto, agradeceu a obra, que foi construída com investimentos de R$ 620 mil, e disse que a gestão Ratinho Junior no Governo do Estado e Ney Leprevost, na Sejuf, tem colaborado para fazer dos municípios, um lugar cada vez melhor para se viver. “Juntos, estado e municípios estão trabalhando para diminuir as desigualdades e promover a inclusão social”, disse.

São espaços considerados a porta de entrada para os programas sociais e serviços públicos e todos os serviços são coordenados pela Secretaria de Justiça, Família e Trabalho (Sejuf). Em Ariranha do Ivaí o Cras leva o nome de Adão Bueno da Silva, ex-vereador do município, morto em 2014, em grave acidente acidente na PR 466.

Todas as cidades do Estado possuem ao menos um Cras. A unidade é administrada pelo município – responsável pela manutenção e contratação das equipes que contam com assistente social, psicólogo, educador social e assistente administrativo. Outros 13 Cras devem ser entregues a municípios paranaenses num prazo de dois anos. Serão beneficiadas cidades localizadas prioritariamente em áreas com maiores índices de vulnerabilidade e risco social como Bocaiuva do Sul, Rosário do Ivaí, General Carneiro, Reserva do Iguaçu, Rio Branco do Ivaí, Quinta do Sol, Ipiranga, Ibaiti, Ribeirão do Pinhal, Pérola do Oeste, Ortigueira, Nova Cantu e Farol.