Muito barulho por nada

697

A divulgação com tintas de escândalo de que a conta do hotel do secretário da Fazenda, no inicio do ano, teria sido paga por uma empresa de Luiz Abi Antoum provocou frisson na rapaziada da furiosa. Pois, pois, o que se pode dizer é que houve tentativa do empresário de fazer uma gentileza que, de pronto, não foi aceita. Mauro Ricardo não aceitou e exigiu a conta para ele pagar. É o que ele explica na curta e suficiente nota que segue:

“As diárias de hospedagem entre os dias 31 de dezembro de 2014 e 5 de janeiro de 2015 foram pagas por mim ao Hotel Bourbon de Curitiba, conforme comprovam os documentos em anexo (boleto bancário, extrato de conta e autenticação de pagamento).

O que o jornal Gazeta do Povo publicou em sua edição de hoje foi uma confirmação de reserva, não a quitação da conta. Os R$ 2.335,20 saíram da minha conta corrente no dia 20 de janeiro, como mostra o comprovante de pagamento realizado no Banco do Brasil.”

Capilé,

A Assembleia Legislativa vota nesta semana os reajustes salariais para os servidores da própria Casa, além dos funcionários do Tribunal de Justiça, Ministério Público e Tribunal de Contas. No caso dos servidores do Legislativo, os deputados estão divididos entre seguir o mesmo índice concedido aos funcionários públicos do Executivo, de 3,45% a serem pagos em outubro, ou promover a reposição integral e imediata das perdas inflacionárias de 8,17%, como propõem o TJ, MP e TC para seu quadro de pessoal.

Picler é candidato

Adilson Barroso Oliveira, presidente do PEN-Partido Ecológico Nacional, veio à Curitiba, no sábado, para oficializar, na Convenção Municipal do partido, a candidatura do empresário Wilson Picler à prefeitura de Curitiba, nas eleições do ano que vem.

Dor de barriga

Os petistas, incluídos os nativos, tremem de paúra. Nestor Cerveró começou a considerar fazer um acordo de delação premiada com os procuradores da Lava-Jato. Apesar de já ter sido condenado pela Justiça por lavagem de dinheiro, o ex-diretor internacional da Petrobras ainda pode reduzir a sua pena caso faça revelações importantes ao juiz Sérgio Moro.

Richa dá dinheiro a Fruet

Quem atravessa a Praça Nossa Senhora da Salete, no Centro Cívico, nesta quarta-feira, 1º de julho, é o prefeito de Curitiba, Gustavo Fruet (PDT). No Palácio Iguaçu, Fruet vai receber do governador Beto Richa (PSDB) a liberação de R$ 16,7 milhões para obras de pavimentação e compra de equipamentos.

Grana da mídia

Pasmem, senhores, a TV Globo recebeu R$ 6,2 bilhões de publicidade federal com PT no Planalto. Não é de somenos.Já a Record teve R$ 2 bi de verbas nos 12 anos de Lula e Dilma. De 2003 a 2014, SBT recebeu R$ 1,6 bi; Band ficou com R$ 1 bi. UOL obteve dados inéditos e exclusivos sobre publicidade federal. Globo ainda lidera em verbas estatais, mas tem queda em anos recentes. Rede TV!, com menos de 1 ponto de audiência, recebeu R$ 408 mi nos anos petistas.

Só a Globo

Vejam bem, trata-se da Rede Globo. As 5 emissoras de propriedade do Grupo Globo (em São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Brasília e Recife), que receberam um total de R$ 6,2 bilhões em publicidade estatal federal durante os 12 anos dos governos Lula (2003 a 2010) e Dilma (2011 a 2014).

Mais afiliadas

Como a cifra só considera TVs de propriedade do Grupo Globo, o montante ficaria maior se fossem agregados os valores pagos a emissoras afiliadas. Por exemplo, a RBS (afiliada da Globo no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina) recebeu R$ 63,7 milhões de publicidade estatal federal de 2003 a 2014. A RPC, no Paraná, recebeu outro tanto e não se queixa. É o que sustenta o grupo.

No Washington Post

O jornal americano The Washington Post dedicou o editorial “Um retrocesso no Brasil”, neste domingo, 28, à crise enfrentada pela presidente Dilma Rousseff (PT), cuja campanha de reeleição foi levada para o centro do escândalo do petrolão pela delação premiada do empreiteiro Ricardo Pessoa. O jornal diz que Dilma enfrenta o desafio de “sobreviver” no Planalto.

Dilma “equivocada”

O texto foi publicado por causa da visita de Dilma aos EUA. Segundo a publicação, muitos dos problemas que a presidente enfrenta são resultado de políticas equivocadas de seu governo. “Não será fácil: ela viu muito de seu poder efetivamente esvaziado por líderes congressistas, que diluíram algumas de suas medidas de austeridade”, diz o texto. O Post ressalta que o próprio PT se opõe às “correções econômicas” em curso.

Deterioração dos municípios

A divulgação do Índice FIRJAN de Gestão Fiscal (IFGF) 2015, calculado pela Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro, a partir dos resultados observados no exercício de 2013, expressa acentuada deterioração da situação fiscal e financeira da esmagadora maioria dos municípios brasileiros, revelando, primordialmente, reduzido retorno e precária administração dos recursos extraídos da sociedade na forma de impostos, taxas e contribuições.

Traquinagens do Vargas

Uma auditoria da Controladoria-Geral da União constatou que o Ministério da Saúde ignorou o fato de que estava vencida há dois anos a licença de funcionamento da Labogen, laboratório ligado ao doleiro Alberto Youssef, ao aprovar parceria com ele. O caso veio à tona na Operação Lava Jato no ano passado depois que mensagens interceptadas pela Polícia Federal mostraram Youssef pedindo ao então deputado André Vargas (ex-PT) para atuar junto ao então ministro da Saúde, Alexandre Padilha, em favor da parceria. A auditoria ocorreu depois da revelação dos fatos da Lava Jato.

Verri surtou

O deputado Enio Verri, do PT, subiu nas tamancas por não discursar na entrega das 700 casas no Jardim São Jorge em Paranavaí, no Noroeste do Estado. O presidente estadual do PT não gostou de ser cortado do cerimonial e tomou satisfação com os diretores do Banco do Brasil, responsável pelo evento. Já o representante do governador Beto Richa (PSDB), o diretor da Cohapar, Nelson Cordeiro Justus, foi para o palco e discursou.

Na CPI

O presidente da CPI da Petrobras, Hugo Motta (PMDB-PB), acertou com seu partido e a oposição a convocação de Ricardo Pessoa, da UTC, para depor ainda nesta semana. Ele enviará nesta segunda-feira ofício ao STF e ao juiz Sergio Moro pedindo autorização. Os parlamentares esperam que Pessoa prefira ficar em silêncio, mas não querem deixar passar o impacto das revelações de sua delação premiada sem jogar um holofote sobre sua figura, ainda desconhecida do grande público.

Duetos

Além da audiência com Pessoa, antes de sair em recesso a CPI fará três novas acareações —Paulo Roberto Costa e Alberto Youssef; Pedro Barusco e Renato Duque; João Vaccari Neto e Barusco— e ouvirá Stael Fernanda, viúva do deputado José Janene.

Lula instiga PT contra Lava Jato

O homem anda surtado. Não esconde de ninguém suas preocupações com a possibilidade de ser alcançado pela Lava Jato e pelo juiz Sérgio Moro, de quem tem notícias de rigidez e desprezo pela influência política em seu território. Não demorou muito a reação do PT à prisão do dono da Odebrecht, bom amigo de Lula. Depois de Rui Falcão ter recebido instruções precisas do ex­-presidente, a Executiva petista reuniu-­se na quinta-­feira em São Paulo e aprovou uma resolução. Nela, o Partido dos Trabalhadores faz a defesa das empreiteiras envolvidas no escândalo da Petrobrás, sob o falacioso argumento de que as prisões “sem fundamento” da Operação Lava Jato são “arbitrárias” e o “prejulgamento” das construtoras terá consequências negativas para a economia nacional, com a paralisia de obras de infraestrutura e consequente aumento do desemprego. Quanta desfaçatez!

Dunga não é solução

Dunga não tem condições de continuar no comando da seleção brasileira após a vergonhosa campanha na Copa América. É o que afirmam os especialistas. Em quatro jogos nesta competição, o Brasil não jogou absolutamente nada. Exibições sofríveis de um time invertebrado, com um punhado de jogadores sem estofo para vestir a camisa amarela. Dunga comprovou que é mesmo o retrocesso do retrocesso quando assumiu a seleção no lugar de Felipão, destroçado pelos 7 a 1 da Alemanha. Não há a menor desculpa a este novo fracasso. Dunga enganou com uma boa sequência de vitórias em amistosos inócuos.

Fruet

O prefeito Gustavo Fruet, PDT do PT, vai reduzir de 50% para 30% a parcela do 13.º salário paga aos servidores municipais em julho. O adiantamento deve ser pago até o dia 10, no valor de 30% do vencimento e demais vantagens, sem descontos. Em nota, Fruet admite que dificuldades financeiras impedem o pagamento de metade do 13.º no meio do ano, como costumava fazer. “Curitiba passa por um momento de contenção de gastos, em razão da queda de receitas causada pelo cenário econômico desfavorável”, informa a prefeitura em nota divulgada em seu site.

Gaeco midiático

Associação dos Delegados de Polícia do Paraná tomou pública sua posição sobre a atuação do Ministério Público por meio do Gaeco. Os delegados condenam promotores que “têm extrapolado ao agir de forma autoritária e seletiva buscando mais o sensacionalismo e os holofotes da mídia do que resultados que possam conduzir à responsabilização de autores dos delitos”, diz trecho da nota divulgada pela ADEPOL.

Irresponsável

A ADEPOL cita casos ocorridos no Paraná, como o “vazamento irresponsável de calúnias contra Fernanda Richa procurando vinculá-la em malfeitos”. E acrescenta: “Nem mesmo o direito à defesa dos investigados tem sido admitido e respeitado, como se viu na tentativa de intimidação por parte do Gaeco ao advogado Sergio Botto de Lacerda pelo simples fato de, como profissional do direito, ter impetrado habeas corpus em favor de um suspeito”.

Lula e o dinheiro

Em 2006, Lula conquistou um novo mandato ao derrotar, em segundo turno, o tucano Geraldo Alckmin. Com a vitória, ele adotou como prática zombar dos efeitos eleitorais do mensalão, descoberto um ano antes e até então o maior esquema de corrupção política da história do país. As denúncias de compra de apoio parlamentar, dizia o líder petista, não haviam sido capazes de conter o projeto de poder do partido. Também pudera. Sem que ninguém soubesse, na campanha à reeleição, Lula contou com a ajuda do petrolão e recebeu uma bolada desviada dos cofres da Petrobras.

Salvem Okamoto!

Enquanto Dilma Rousseff está nos Estados Unidos e depois de uma conversa com Edinho Silva, da Secom, o ex-presidente Lula se reúne com a bancada do PT, em Brasília. Ele quer reduzir o clima ruim desde suas criticas à atuação dos parlamentares, que não se mexeram para evitar a convocação de Paulo Okamoto, que responde pelo Instituto Lula, na CPI da Petrobras.

Pelo sigilo

O depoimento de Okamoto está sendo marcado para as próximas semanas e Lula quer armar uma ofensiva do Parlamento para auxiliá-lo. Teme que, a qualquer momento, possa ser quebrado o sigilo fiscal, bancário e telefônico do instituto, o que revelaria demais doações de empreiteiras, entre elas Odebrecht, OAS e Queiróz Galvão.

Excesso de acidez

Lula tenta com a bancada do PT acertar os ponteiros com os parlamentares e até recuar de algumas criticas ácidas sobre seu partido, alegando um momento de emoção. A base petista, por outro lado, acha que depois da investida contra Dilma, seus integrantes estão liberados para seguir o mesmo caminho, sem nenhum pudor. Lula acha que, a essas alturas, se ela perde o PT, não serão os aliados que irão segurar as constantes turbulências – passadas e as que ainda surgirão.

Jorge 2018

Enquanto o cerco vai se fechando em torno do governador Fernando Pimentel, de Minas Gerais, a presidente Dilma Rousseff, que foi companheira dele na época das guerrilhas, começa a ver ameaçada sua pretensão de lançá-lo à sua sucessão, caso Lula decida não se candidatar em 2018. A Chefe do Governo considera Pimentel um dos políticos mais promissores do PT. Detalhe: nos tempos de guerrilha, o codinome de Pimentel era Jorge.

Unindo os pontos

A JBS/Friboi acaba de comprar a Moy Park, pertencente a Marfrig, produtora de carnes por US$ 1,5 bilhão (cerca de R$ 4,8 bilhões). Quando Fernando Pimentel era ministro do Desenvolvimento, o BNDES salvou a Marfrig da falência, investindo R$ 3,5 bilhões na empresa. O banco estatal é sócio da JBS com 25% de suas ações. Segundo a Polícia Federal, a mulher de Pimentel, Carolina Oliveira, além de ter recebido dinheiro da Pepper e do consultor Mário Rosa, recebeu também meio milhão de reais da Marfrig.

Quase parceiros

Depois que Aloizio Mercadante, da Casa Civil, disse que o Ministério das Relações Institucionais deveria ganhar um titular, na contramão do trabalho do vice Michel Temer, os peemedebistas espalharam que não descartam devolver a articulação política ao Planalto e ao PT. Aí, surge Mercadante dizendo que o trabalho de Temer “é essencial” e os dois reclamam que ministros não estão oficializando as nomeações do segundo escalão, já acertadas até com Dilma Rousseff. Detalhe: Mercadante continua atuando na seara de Temer.

Desumanidade

Em 1996, quando o avião que levava os integrantes do grupo Mamonas Assassinas, circularam fotos do que seriam os restos mortais de alguns deles. Agora, esse tipo de desumanidade retorna com as redes sociais fazendo circular fotos de Allana Moraes, namorada de Cristiano Araujo, com o rosto totalmente desfigurado e o cantor tendo seus órgãos retirados.

Cansado

O presidente do Senado, Renan Calheiros, está dizendo que cansou de ser “o comentarista diário da crise de Dilma, da crise do abismo”. Malgrado tenha se reunido com a presidente antes de sua viagem, o que Renan quer passar, nas entrelinhas, é que continuarão complicadas as relações entre ele e a Chefe do Governo.

“Nosso estoque de extintores de incêndio não está no fim, mas está começando a ficar comprometido.”

Eliseu Padilha, ministro da Aviação Civil e integrante da coordenação política do governo Dilma.

“Ladrão, palhaço, sem vergonha.Vocês acabaram com o país.”

De um freguês de restaurante em São Paulo se dirigindo, ontem, na hora do almoço, ao ex-ministro Guido Mantega, da Fazenda.

“Eu não respeito delator.”

Dilma Rousseff, sobre as delações na Lava Jato.