Ministro colocou óculos em referência a meme da internet Foto: Divulgação MEC

O ministro da Educação, Abraham Weintraub , terminou a coletiva em que anunciou o desbloqueio total da verba para universidades e institutos federais imitando um meme de internet . Ele colocou os óculos escuros e afirmou “Ab (Abraham) is out!”. Depois, soltou o microfone na mesa. A referência é de um vídeo que circula pela internet que indica “lacração”.

Questionado se “Ab (Abraham) is out!” significaria que estava deixando o comando da pasta, Weintraub explicou que se tratava apenas de um “Sextou!”, expressão utilizada para comemorar a chegada do fim de semana.

O próprio ministro postou, nas redes sociais, o vídeo da encenação. “Acabou o contingenciamento das Federais! Verbas 100% Liberadas! Cadê os “especialistas” que alardeiam o caos há 6 meses. Vão admitir que “erraram”? Parabéns ao Presidente Bolsonaro por mais esta vitória”, escreveu Weintraub no post.

Os valores anunciados não são recursos novos. Eles foram remanejados dentro da própria pasta, embora o ministério não tenha detalhado de onde saiu o dinheiro. Em relação ao orçamento de todo o MEC, incluindo recursos de todas etapas de ensino, o bloqueio de verbas segue em R$ 2,86 bilhões.

— Em relação ao orçamento do MEC, continua contingenciado o mesmo montante, não houve descontingenciamento global do MEC, o que fizemos foi uma realocação de recursos dentro da pasta. Ainda temos R$ 2,86 bilhões contingenciados em todo ministério — explicou o secretário executivo da pasta, Antonio Vogel.

Em abril foram contingenciados R$ 2,4 bilhões do orçamento discricionário das universidades. Na época, o ministro afirmou que o bloqueio aconteceria em universidades que promovessem “balbúrdia”. A afirmação desencadeou uma crise no país, e milhões de pessoas foram às ruas cobrar mais investimentos na Educação. Questionado se se arrependia da afirmação, Weintraub negou. Depois da declaração, o ministro contingenciou 30% do orçamento discricionário de todas as instituições federais. Após o bloqueio de R$ 2,4 bilhões, o MEC foi fazendo liberações ao longo do ano para o orçamento das instituições federais de ensino superior, em setembro foi desbloqueado R$1,15 bilhão até chegar aos últimos R$1,1 bilhões que faltavam e foram liberados nesta sexta-feira.

— Não me arrependo, o que eu vou repetir, salientar e reforçar é que, pela primeira vez, há um governo que tem respeito pelo dinheiro do pagador de imposto. As universidades são caríssimas, tem universidade que custa R$ 4 bilhões por ano para o pagador de imposto — defendeu o ministro, voltando a criticar as federais: — Universidade não é lugar para fazer festa onde morre gente, não é lugar para produzir metanfetamina e nem plantar maconha.

A análise é de que com a liberação dos recursos, o governo abranda o cenário para a discussão do Future-se, programa do MEC para financiamento das universidades federais. Na coletiva, o ministro afirmou que a expectativa é de que cerca de 20 universidades façam adesão ao programa num primeiro momento. No entanto, o que tem sido visto é que as principais instituições do país, como a UFRJ, a UNB e a Unifesp, já se manifestaram contra o programa. O Brasil tem 63 universidades federais.

Weintraub afirmou que os recursos foram liberados agora, ainda em outubro, para que as universidades tenham tempo para usar o dinheiro antes do fim do ano.