O empate de 1 a 1 com o Paraguai não era o resultado que a Argentina sonhava para a partida desta quarta-feira (20), em Belo Horizonte. A seleção albiceleste segue sem vencer na Copa América e vai para o jogo contra o Qatar no tudo ou nada, precisando da vitória.
Autor do único gol da seleção argentina na competição até aqui, o capitão Leo Messi diz que já sabia que teriam dificuldades. O grupo jovem ainda trabalha para se entrosar.
“Sabíamos que poderia acontecer porque Copa América não é fácil jogar. Ontem, a Venezuela complicou para o Brasil também, rápida no contra-ataque. Já não se ganha mais pela camisa, tem que fazer as coisas muito bem para fazer os três pontos”, disse após o jogo.
Na avaliação de Messi, a Argentina teve várias fases dentro do mesmo jogo nesta quarta. Começaram bem, mas se desesperaram com o gol do Paraguai marcado por Richard Sanchez aos 37 minutos do primeiro tempo.
A entrada de Kun Aguero no segundo tempo, que começou a partida no banco ao lado de Dí Maria, ajudou Messi. Ele substituiu Roberto Pereyra, que falhou na jogada do gol paraguaio.
Aos 9 minutos da segunda etapa, um toque de mão do lateral Ivan Piris, visto pelo VAR, deu pênalti para a Argentina. Messi já se preparava para cobrar um escanteio. A cobrança, com batida forte, se converteu no gol de empate.
“Empatamos e tivemos a sensação de que nesse momento poderíamos dar a volta, mas depois voltou a mudar. É uma lástima, porque para nós era fundamental ganhar hoje. Agora temos que ganhar do Qatar para classificar”, afirmou.
Outro pênalti também ajudou a sacramentar a sorte argentina: Nicolas Otamendi fez falta no paraguaio Derlis González. A cobrança que poderia ter dado a vitória para o Paraguai foi defendida pelo goleiro argentino Franco Armani.
A jornalistas, González diz que achou justo o empate pelo que se viu das equipes em campo. Depois de admitir que “o pênalti poderia ter mudado a história”, o jogador do Santos avaliou o time da Argentina. “Acho que eles têm o melhor do mundo, mas ele sozinho não pode ganhar sempre. Precisam apoiá-lo mais”.