RICARDO DELLA COLETTA
BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) – O presidente Jair Bolsonaro (PSL) anunciou nesta sexta-feira (23) que foram concluídas as negociações para um tratado de livre comércio entre o Mercosul e o EFTA (Associação Europeia de Comércio Livre). O bloco é formado por Suíça, Liechtenstein, Noruega e Islândia.
“Concluímos hoje as negociações do acordo de livre comércio entre Mercosul e EFTA (Suíça, Noruega, Islândia e Liechtenstein), que tem PIB de US$1,1 trilhão e é o 9° maior ator comercial do mundo. Mais uma grande vitória de nossa diplomacia de abertura comercial”, escreveu Bolsonaro no Twitter.
A assinatura do acordo, realizada em Buenos Aires, ocorre cerca de dois meses depois de os membros do Mercosul terem concluído as conversas sobre um tratado comercial com a União Europeia.
O processo para a implementação do acordo com o EFTA é o mesmo do tratado com a UE. Haverá um processo de revisão legal dos termos acertados e em seguida o texto precisa ser ratificado pelos parlamentos dos integrantes do Mercosul e dos quatro países europeus.
A negociação de acordos comerciais é uma das prioridades da equipe do ministro Paulo Guedes (Economia), que mantém conversas nesse sentido com outros países.
Após a assinatura do tratado comercial com a União Europeia, o EFTA era considerado o mais avançado, em razão do alto grau de integração das economias do seus integrantes com os 27 estados-membros da aliança europeia.
O anúncio do acerto com o EFTA ocorre em meio à forte pressão internacional que o Brasil está sofrendo em razão da onda de incêndios na Amazônia.
Analistas consideram, por exemplo, que os danos à imagem do país no exterior devem dificultar a ratificação do acordo assinado com a União Europeia.