A situação global do mercado de trabalho continua desigual e frágil. A fraca recuperação da economia mundial não foi capaz de conduzir a uma melhoria nos mercados, que ainda tem milhões de desempregados. Entretanto, segundo relatório Tendências Mundiais de Emprego 2014, produzido pela Organização Internacional do Trabalho (OIT), há sinais encorajadores da recuperação econômica nos países desenvolvidos mais afetados pela crise financeira mundial que começou em 2008. Clique para ler o relatório em inglês ou em espanhol.

O desemprego global em 2013 chegou a quase 202 milhões — esse número representa um aumento de quase 5 milhões comparado com o ano anterior. Tal índice reflete o fato de que o emprego não está expandindo com a rapidez suficiente para manter-se com a força de trabalho crescente. De acordo com os dados da OIT, o crescimento do emprego continua fraco, o desemprego continua aumentando, principalmente entre os jovens, e um grande número de potenciais trabalhadores permanece fora do mercado de trabalho.

Se a tendência atual continuar, até 2018 serão criados 200 milhões de empregos adicionais. Número menor do que o necessário para absorver a demanda crescente de trabalhadores que ingressam no mercado de trabalho. Durante esse período, seriam criados cerca de 40 milhões de empregos por ano. Porém, 42,6 milhões de pessoas devem ingressar no mercado de trabalho a cada ano.

Os jovens continuam a ser os mais afetados pela fraca recuperação da economia mundial. Cerca de 74,5 milhões de jovens entre 15 e 24 anos estão desempregados — quase 1 milhão a mais do que no ano anterior. Isto representa uma taxa de desemprego juvenil de 13,1%.