A corrupção no Brasil chegou a um nível extremo. Os comportamentos ilícitos e vergonhosos, enraizados na cultura do país desde a sua colonização, foram aumentando, inovando-se e contagiando todos os setores da sociedade de um jeito tão profundo que, nos dias atuais, todas as classes estão afetadas – sendo a política uma das principais. Medidas eficazes e amplas precisam ser criadas e aplicadas o tempo todo. Só assim o discurso da honestidade deixará de ser apenas teórico, como tem sido, e passará a ser defendido como algo digno de ser praticado.
Uma das ações recentes é o acordo bilateral de combate à corrupção firmado entre os governos do Brasil e da Colômbia. A meta é aprimorar a investigação e a aplicação de sanções administrativas a empresas privadas envolvidas em práticas ilícitas. De acordo com a Controladoria-Geral da União (CGU), o memorando ratifica que Brasil e Colômbia compartilham interesse referente à adoção de uma política integral para prevenir e combater o suborno de servidores públicos estrangeiros, além de outros atos de corrupção. Ações como essa são importantíssimas no mundo e não devem sair da agenda dos governos.