Padre Manzotti, diante de microfones de sua TV, e o Padre Eduardo Dougherty, vencedor?
Padre Manzotti, diante de microfones de sua TV, e o Padre Eduardo Dougherty, vencedor?

 

No universo do chamado “mercado religioso brasileiro”, a última coisa que qualquer observador sensato poderia esperar seria uma ‘guerra’ entre dois padres católicos, em torno de uma rede de televisão. Pois ela, embora não explícita para o mundo dos telespectadores da Rede Católica da Igreja (da fundação ‘Evangelizar é Preciso’, de Curitiba) e a Rede Século 21 (da Associação Senhor Jesus, de Campinas, SP) está acontecendo desde 12 dias atrás. Envolve dois conhecidíssimos sacerdotes – padre Reginaldo Manzotti e padre Eduardo Dougherty, dirigentes das emissoras citadas.

CHORANDO

Há 12 dias, Padre Reginaldo fez lamúria, diante das câmeras, em tom choroso, dirigindo-se aos seus telespectadores da Rede Católica da Igreja (RCI), pois, acabara de perder o poder conquistado em 3 de setembro de 2015, quando, sua ‘net’ (‘Evangelizar’, agora mais conhecida como RCI), perdera o poder de chegar a 17 capitais de estados do Brasil por meio de canais abertos digitais, assim deixando de atingir 36% da população brasileira (dado por ele sempre citado).

QUEM DÁ MAIS?

A perda ocorreu sem alardes públicos, com a discrição com que na Igreja Católica Romana, dioceses, congregações, escolas, universidades e instituições católicas diversas sempre tratam assuntos que possam gerar escândalos. As roupas são lavadas internamente, o que nem sempre é bom, como vimos no episódio dos escândalos de pedofilia ocorridos nos Estados Unidos.

A ruptura deu-se porque a rede comandada pelo midiático padre Manzotti – sacerdote de repercussão nacional por suas pregações, cânticos e livros – não se dispôs a pagar à Comunicação Interativa, dona da rede de televisão denominada CI (sede em Curitiba) o valor mensal de R$ 2.600.000,00 (dois milhões e seiscentos mil reais) pelo direito de uso dessa enorme teia digital que ele montou no país. Isto é: o quantum que Manzotti vinha pagando desde o ano passado pelo acordo com a CI era de R$ 2.1000,00 (dois milhões e cem mil reais) mensais.

96-Logo-TV-Seculo-21Americano há dezenas de anos no Brasil, padre Eduardo, de Campinas, apressou-se a eliminar a concorrência de Manzotti, oferecendo R$ 500 mil a mais que o padre curitibano. Proposta aceita, ficou com o rico filão e passou a controlar, na prática, a maior rede católica de TV da América do Sul, que envolve repetidoras, além de parabólicas e as emissoras digitais das 17 capitais (como Brasília, Belo Horizonte, Porto Alegre…)

Claro que a questão deve parar na justiça, pois Manzotti, bom administrador, deve ter-se prendido a contrato com a CI, e não aceita a ruptura. Pedirá indenização milionária? À primeira vista, as leis estariam a favor de Manzotti.

QUEM É O DONO?

Em círculos geralmente bem informados do mundo da televisão – especialmente entre administradores e CEOs de televisões – o que se comenta há muito tempo é que a CI “pode ter a participação de um ex-ministro agora envolvido na Lava Jato.” Claro, que não oficialmente, mas “por meio de laranjas confiáveis”, observou à coluna um especialista em telecomunicações e negócios televisivos. Esse rumor não interferiu em nada no projeto ambicioso do controlador da Século 21.

“Isso talvez até tenha facilitado as coisas”, disse-me ontem um advogado curitibano que, sabe-se, atua discreta e firmemente nesse ramo televisivo. E estaria mesmo envolvido na negociação que, de aparente improviso, impediu o sonho de crescimento da ‘Evangelizar É Preciso.’

NB: Assim, peço que o leitor desconsidere aquilo que este espaço publicou na edição de ontem sobre a televisão Evangelizar/RCI.

A história real, com detalhes, é esta abordada hoje. E cuja análise ampliarei amanhã.

(CONTINUA NA PRÓXIMA EDIÇÃO)


COMO COMEÇOU A REDE CATÓLICA

Assim começou a Rede Católica da Igreja (RCI), transmissora, em âmbito nacional, da programação da “Evangelizar É Preciso”:

Release publicado pela página do padre Reginaldo Manzotti, em 03/09/2015, atualizado em 13/10/2015.

96-Evangelizar“No dia 1º de setembro, terça-feira, às 10h, o mentor, fundador e presidente da Associação Evangelizar é Preciso e pároco-reitor do Santuário Nossa Senhora de Guadalupe, Padre Reginaldo Manzotti, fez a abertura oficial da Rede Católica da Igreja (RCI) – TV Evangelizar. O anúncio emocionado, feito em meio às comemorações dos 10 anos da Obra Evangelizar é Preciso, aconteceu ao vivo durante o programa Experiência de Deus. O sacerdote contou que, a partir desta data histórica, a TV Evangelizar é geradora de conteúdo para a Rede Católica da Igreja (RCI) e pode ser sintonizada ao vivo em canal aberto para 17 capitais e outras cidades de todo o país.

Com isso, o alcance da programação será de mais de 72 milhões de pessoas, o que corresponde a cerca de 36% da população brasileira. Além disso, a previsão é que até o final deste ano, telespectadores de todas as capitais brasileiras possam sintonizar a emissora, que também deverá estar disponível nas principais operadoras de TV a cabo.

“O sonho é de Deus, o mandato é de Jesus Cristo e a missão é nossa. Este não é o sonho de um padre, é uma necessidade da Igreja”, afirmou. E reforçou: “Fique atento, porque novos transmissores serão ligados, novas antenas serão transportadas e a próxima cidade a ter a TV pode ser a sua”.

COMO COMEÇOU (2)

Atualmente, a Obra Evangelizar é considerada benfeitora nacional, pois oferece conteúdo católico gratuito para uma cadeia de mais de 130 TVs-irmãs espalhadas por todo o país, além de 37 canais abertos de televisão e repetidores 24 horas de sua programação. Além disso, 1.589 rádios-irmãs no Brasil e em outros países transmitem parte da programação da Rádio Evangelizar. Sendo assim, a Evangelizar – que já é a maior Rede de Rádios da América do Sul – torna-se agora umas das maiores emissoras Católicas de televisão do Brasil.”

Reginaldo Manzotti arrasta multidões em Recife
Reginaldo Manzotti arrasta multidões em Recife