O ministro da Fazenda, Guido Mantega, negou nesta quinta-feira (1º/09) que o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC) tenha sofrido pressões políticas para reduzir a taxa básica de juros, a Selic. Ele também disse, uma vez mais, que o (BC) tem autonomia para executar a política monetária.

“Isso é bobagem (eventuais pressões políticas sobre o comitê). O Copom não sofre nenhuma pressão política, tem autonomia e eles julgam os cenários e tomam as decisões”, declarou o ministro antes de embarcar para São Paulo.

Na quarta-feira (31/08), o Copom reduziu a taxa Selic, que indica os juros básicos da economia, de 12,5% para 12% ao ano. Foi a primeira vez, desde junho de 2009, que a taxa caiu.

Mantega alegou ser melhor esperar a ata da reunião, que só será divulgada na próxima quinta-feira (08/09). Ele, no entanto, classificou de positiva a decisão do Copom. “É melhor esperar a explicação da ata do Copom. Se eles fizeram (reduziram os juros), é muito positivo, mas o que vale é a avaliação deles”, declarou.