ANA CAROLINA AMARAL
SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – Após o Chile ter cancelado na última quarta-feira (30) a realização da COP-25 do Clima, conferência da ONU que busca finalizar a regulamentação do Acordo de Paris, a Espanha comunicou nesta quinta (31) que tem condições de sediar a COP ainda este ano, seguindo a data original para o evento que deve ir de 2 a 13 de dezembro.
Segundo fontes do alto escalão da sede da agência de mudanças climáticas da ONU em Bonn (Alemanha), o grau de certeza sobre Madri sediar a COP-25 ainda este ano é superior a 90%, dependendo apenas da aceitação do escritório da COP, que faz a administração dos processos.
Em anúncio à imprensa, o presidente chileno Sebastián Piñera afirmou que conversou diretamente com o primeiro ministro espanhol, Pedro Sánchez, nesta quinta. A oferta da nova sede foi comunicada pelo Chile à agência de mudanças climáticas da ONU (UNFCCC, na sigla em inglês).
“Estamos esperançosos de que o escritório da COP possa considerar essa solução proposta assim que possível”, diz em nota a secretária-executiva da agência da ONU, Patricia Espinosa.
Embora haja menos de um mês para reorganizar a conferência -que recebe cerca de 20 mil pessoas a cada ano- há pressão de organizações internacionais para que a conferência aconteça ainda este ano, por já ter comprometido a execução dos orçamentos de 2019.
Também há pressa por parte dos negociadores para concluir a regulamentação do Acordo de Paris, que é o objetivo da COP-25.
A conclusão não pôde ser feita antes por conta do Brasil, que na COP-24 chegou a bloquear a sessão final por discordar dos mecanismos de mercado de carbono previstos no artigo 6 do Acordo de Paris. Esta é agora a principal disputa para concluir o livro de regras do acordo climático, cujos resultados já passam a ser cobrados em 2020.