Ao comentar a tragédia que atingiu Santa Catarina, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta segunda-feira que o estado ainda pode ser reconstruído.

Ao comentar a tragédia que atingiu Santa Catarina, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta segunda-feira que o estado ainda pode ser reconstruído e voltar a ser “pujante” como era antes das enchentes que provocaram deslizamentos de terra e alagamentos.

No programa semanal Café com o Presidente, Lula destacou que o momento é de “dor profunda” para o povo catarinense, mas lembrou  o poder da solidariedade dos brasileiros.

“Não podemos perder a esperança. Temos que ter a convicção de que a gente vai reconstruir o estado de Santa Catarina. Há uma solidariedade nacional jamais vista na história do país”, disse, referindo-se às doações.

Até o momento, somam mais de 880 toneladas apenas em alimentos. Também foram distribuídos cerca de 1 milhão de litros de água e 60 toneladas de roupas, além de brinquedos e material de limpeza e de higiene pessoal.

Até o final da última sexta-feira (28), as contas bancárias abertas para receber doações em dinheiro contabilizavam R$ 3,6 milhões.

A Defesa Civil de Santa Catarina já confirmou 114 mortes, a maioria, por soterramento, 78.707 pessoas estão desabrigadas e desalojadas e 19 permanecem desaparecidas.

“Lamentavelmente, para nossa tristeza, a única coisa que a gente não pode recuperar é a  vida das pessoas que morreram soterradas”, disse o presidente.

Cuidados
A Secretaria de Estado de Saúde de Santa Catarina alerta para os cuidados que a população deve ter com os alimentos, a água e a limpeza das residências assim que a água começar a baixar.

A orientação é não consumir qualquer alimento que ficou submerso ou umedecido, mesmo que esteja em embalagem de plástico ou em lata.

Caso tenha faltado energia elétrica na residência, também não devem ser consumidos os alimentos que estavam em geladeira, ainda que não tenham entrado em contato com a água da chuva.

Também não devem ser consumidos produtos que apresentarem alterações de cor, de odor ou de consistência.

A secretaria alerta que a ingestão de água contaminada provoca riscos de hepatite A e de diarréias. Por isso, moradores de casas abastecidas pelo sistema público devem entrar em contato com a empresa responsável pela distribuição, caso observem alguma alteração na água que sai das torneiras.

Outra orientação é evitar contato com a lama depositada nas ruas pela enxurrada, por causa do risco de infecções. O ideal é usar sempre luvas e botas de borracha para os serviços de limpeza da casa.

É necessário limpar e desinfectar os reservatórios de água mesmo que eles não tenham sido atingidos pela chuva.

Sobre a leptospirose, transmitida por roedores domésticos, a secretaria alerta que o período de incubação da doença pode variar de um a 30 dias a partir do contato com o agente infeccioso.