Levantamento do instituto Paraná Pesquisa para o mostra que 58% dos brasileiros defendem a permanência do presidiário petista onde está, na prisão da Polícia Federal, em Curitiba, enquanto 36% (menos que o eleitorado do PT no País) acham que o ex-presidente deveria ser beneficiado com a prisão domiciliar. No Nordeste, já são mais da metade (50,5%) os que o querem manter preso. No total, 6% não responderam ou não sabem.

Entre os brasileiros com ensino superior completo, aumenta para 69,4% o percentual dos que acham que Lula deve ficar preso. Entre os jovens de 16 a 24 anos é maior a dúvida: 49,4% acham que Lula deve ficar preso. Entre aqueles com mais de 60 anos são 61,4%.

O Paraná Pesquisa entrevistou 2.264 brasileiros com mais de 16 anos, dos 26 estados e Distrito Federal, entre 17 e 21 de junho.

Só em agosto

O julgamento de um habeas corpus do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pela 2ª Turma do Supremo Tribunal Federal, marcado para esta terça-feira, 25, não será concluído neste semestre. A defesa do petista argumenta no pedido que o ex-juiz Sergio Moro, hoje ministro do governo Bolsonaro, atuou com parcialidade no processo que culminou em sua condenação no processo do tríplex do Guarujá. Informações da Veja.

Último item

Embora esteja pautado para esta terça, o habeas corpus de Lula é o último item da lista elaborada pela ministra Cármen Lúcia, que assumiu recentemente a presidência do colegiado. Só o voto do ministro Gilmar Mendes tem 40 páginas e a avaliação é que não haverá tempo de concluir a análise na mesma sessão, uma vez que há onze itens antes do HC.

Olha o PIS/PASEP

O deputado Romanelli (PSB) alertou nesta segunda-feira, 24, que os paranaenses poderão sacar seu último abono salarial do PIS/Pasep até a próxima sexta-feira, 28. “Será o último abono que os trabalhadores paranaenses terão direito caso se mantenha a atual proposta da reforma da Previdência que vai limitar o saque para quem recebe até R$ 1.364,43. Como o Estado tem o piso regional acima desse valor, os paranaenses vão ficar sem abono. O impacto é de R$ 1 bilhão na economia estadual”, disse Romanelli.

Até sexta

Os trabalhadores têm até sexta-feira para sacar o abono salarial referente ao ano de 2017. Quem tem carteira assinada e recebe até dois salários mínimos ( R$ 1,9 mil) tem direito ao abono, no valor máximo de um salário mínimo ( R$ 998). “Se a reforma da Previdência for aprovada de acordo com o relatório do deputado Samuel Moreira (PSDB-SP) somente receberão o abono os trabalhadores com renda mensal de R$ 1.364,43. O relator da reforma não levou em conta que Estados como Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro e Santa Catarina têm piso mínimo regional”, diz Romanelli.

Recorde de visitação

O Parque Nacional do Iguaçu bateu recorde de visitação em feriado de Corpus Christi. A expectativa era de que 25 mil turistas conhecessem as Cataratas, nos quatro dias do feriadão. O número foi bem superior: 31.572 visitantes Eles se distribuíram assim, nos quatro dias: 6.629 na quinta-feira; 9.613 na sexta-feira; 10.147 no sábado; e 5.138 visitantes no domingo.

 

O número de visitantes no feriadão deste ano foi 85% superior ao registrado na mesma data, em 2018, quando as Cataratas receberam 18.283 turistas. Superou também a visitação de 2017 (25.639) e de 2016 (18.283).

Novo fórum

O presidente da Assembleia, deputado Ademar Traiano (PSDB), esteve hoje (24) no Tribunal de Justiça, acompanhado do prefeito Cláudio Dutra, dos juízes da Comarca de São Miguel do Iguaçu e do presidente da OAB local, para tratar da construção do novo fórum da cidade. Traiano e o prefeito foram recebidos pelo presidente do Tribunal, Adalberto Xisto Pereira. O prefeito destacou que o terreno onde será construído o novo fórum já foi doado pela prefeitura e o projeto foi mostrado pelo engenheiro responsável pelas obras.

Relatório da reforma

Semana decisiva para o governo, com a votação do relatório da reforma da Previdência (PEC 6/2019) na Câmara dos Deputados, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) começa a segunda-feira com uma tropa de choque em seu gabinete.

Voto complementar

O relator da proposta, Samuel Moreira (PSDB-SP), pode apresentar nesta semana um voto complementar. Segundo a colunista do G1 Andréia Sadi, a expectativa do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), é que a proposta seja votada na comissão especial também nesta semana. O presidente Jair Bolsonaro já disse que, se atrasar a votação em uma semana, “não tem problema”.

Delatores “inadimplentes”

Dos 217 colaboradores que tiveram acordos de colaboração premiada homologados pelo Supremo Tribunal Federal, 31 estão atualmente “inadimplentes” com a Justiça. O “calote” dos delatores chega a R$ 120,8 milhões, conforme dados obtidos pelo Estado por meio do Sistema de Monitoramento de Colaborações (Simco) do Ministério Público Federal. As informações são de Rafael Moraes Moura e Amanda Pupo, do Estadão.

Ferramenta digital

A ferramenta digital, de acesso restrito a membros do Ministério Público, foi criada em abril pela gestão da procuradora-geral da República, Raquel Dodge, para acompanhar o cumprimento dos acordos fechados na Operação Lava Jato e em outras investigações, como Ararath, Ápia e Dama de Espadas.

 

Levantamento exclusivo do instituto Paraná Pesquisa para o site Diário do Poder mostra que 58% dos brasileiros defendem a permanência do presidiário petista onde está, na prisão da Polícia Federal, em Curitiba, enquanto 36% (menos que o eleitorado do PT no País) acham que o ex-presidente deveria ser beneficiado com a prisão domiciliar. No Nordeste, já são mais da metade (50,5%) os que o querem manter preso. No total, 6% não responderam ou não sabem.

 

Leia Mais »

Edit | Comentários (0)

Paraguai expulsa

O PCC (Primeiro Comando da Capital) tornou-se uma quadrilha transnacional e já está estabelecida também no Paraguai. De acordo com o próprio governo paraguaio, cerca de 400 presos no país estão ligados à facção criminosa brasileira, a qual assumiu o controle de algumas cadeias do país vizinho.  Uma delas é o presídio em San Pedro del Ycuamandiyú, a cerca de 220 km da fronteira com o Brasil. No dia 16, presos ligados ao PCC mataram outros dez presidiários no local –cinco foram decapitados e três foram carbonizados- durante uma rebelião iniciada logo após o almoço.

Onyx em fritura

Como Jair Bolsonaro gosta de Onyx Lorenzoni, o ministro da Casa Civil está sendo “fritado” à moda antiga, por meio do esvaziamento de atribuições e relevância. É a fritura amigável “à la Bolsonaro”, um presidente que prefere demitir em praça pública. Ele perdeu a subchefia de Assuntos Jurídicos, agora na Secretaria Geral, e secretaria da articulação política (Separ) ficará agora subordinada, que vexame, a alguém inexperiente no ramo: general Luiz Eduardo Ramos, novo ministro da Secretaria de Governo. Bolsonaro não o demitirá, mas aceitaria prontamente sua exoneração. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder. Se Onyx deseja ficar, o presidente não se importa, não o quer humilhado. Mas um pedido de demissão seria aceito sem demora.

Tiro no pé

PT e PSOL deverão pedir, nesses dias, a convocação do jornalista Gleen Greenwald, do The Intercept, para depor na Comissão de Constituição e Justiça, depois das oito horas e meia de bom desempenho do ministro Sérgio Moro na mesma CCJ. A proposta não deverá passar, mas valerá pela provocação. Na semana passada, o deputado federal Daniel Silveira, do PSL, pediu a convocação do jornalista para explicar o vazamento das mensagens entre Moro e Dallagnol. A oposição ficou animada: era tudo que queria. Aí, o PSL correu para cancelar o requerimento.

 

Novo tucanato

O empresário Paulo Marinho, suplente do senador Flávio Bolsonaro, que transformou sua casa no Rio no QG de campanha presidencial de Bolsonaro, está se mudando para o PSDB a convite de João Doria. Ele deverá ter papel de destaque na campanha do governador paulista ao Planalto em 2022. Agora, também o ex-ministro Gustavo Bebianno, que também teve grande participação na campanha, deverá se transformar em novo tucano.

 

Alívio

Muitos parlamentares amigos do governo e mais ainda do PSL, partido do presidente, estão respirando aliviados com a decisão de Bolsonaro que tirou a articulação política das mãos de Onyx Lorenzoni. Ele permanecerá na Casa Civil mais voltado a assuntos burocráticos. Onyx não era bem visto, não atendia ninguém, dava chá de espera em deputados e não cumpria o que prometia. A área vai para a Secretaria do Governo, comandada pelo general Eduardo Santos Ramos.

 

Cotado

A Subchefia para Assuntos Jurídicos, historicamente ligada à Casa Civil, está sendo mudada por Bolsonaro para a Secretaria do Governo. A ideia é deslocar para lá o secretário da Previdência, Rogério Marinho, que faz grande trabalho no Congresso em prol da reforma da Previdência e tem grande trânsito entre parlamentares.

 

Falhas

A lista de falhas de Onyx Lorenzoni (Casa Civil) no Congresso não é pequena: Orçamento da União e tramitação de MPs, decreto das armas, Coaf na Fazenda e Documentos sigilosos, só para começo de conversa. Aos mais chegados – quem diria – Onyx confessa que não tem a menor paciência para dialogar com parlamentares – e especialmente, o pessoal do baixo clero. Só que nunca confirmará isso para Bolsonaro.

 

“Show de besteiras”

Em entrevista à revista Época, o general Santos Cruz, ex-secretário do Governo demitido por Bolsonaro na semana passada, diz que “o governo é um show de besteiras”, o que provocou uma reação do presidente, irritado: “Santos Cruz integrou o governo por sei meses e nunca disse que tinha bobagem lá dentro”.

 

Replay

A novela A dona do pedaço vai repetir cena de Segundo Sol: Vivi (Paolla Oliveira) e Camilo (Lee Taylor) estarão no altar para se casarem e quando o padre faz a famosa pergunta “Aceita essa mulher como legitima esposa?”, ele dará um berro: “Não, ela é vagabunda”. E exibe vídeo de Vivi com Chiclete (Sérgio Guizé). Em Segundo Sol, era a mesma coisa com os personagens de Fabricio Boliveira e Fabiula Nascimento.

 

Elogiado

Na cerimônia de assinatura de parceria entre a Caixa Econômica Federal e o Comitê Paralímpico Brasileiro, Bolsonaro fez suas famosas dez flexões de braço, no que foi acompanhado pelo governador de São Paulo, João Doria (o primeiro a se jogar no chão). E mereceu elogios de Bolsonaro, no mesmo dia em que, anunciou sua disposição de concorrer à reeleição em 2022. Doria também seria candidato.

 

Oito

Nesses mini-concurso de flexões, o general Augusto Heleno, do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), 71 anos, deu seu show particular. Fez oito flexões, surpreendendo muita gente por sua forma física.

 

Sem candidato

Gleisi Hoffmann, presidente nacional do PT, queria ver Fernando Haddad concorrendo, de novo, à prefeitura de São Paulo, no ano que vem – e ele rapidamente recusou (continua de olho em 2022). Aí, o partido ficou meio desorientado e o próprio Lula acha que o PT deve fazer alianças. Nomes cotados: o ex-governador Márcio França e o candidato derrotado à Presidência, Guilherme Boulos, os dois com poucas chances de êxito.

 

Anedotas

Bolsonaro visou a mãe Olinda, em Eldorado no Vale do Ribeira onde cresceu. E cantou com ela um clássico italiano Mamma son’ tanto felice, celebrizada nos anos 40 por Benamino Gigli e mais recentemente por Luciano Pavarotti e Andrea Bocelli. E contou episódios envolvendo familiares como a história de uma vaca que correu atrás da mãe grávida de uma irmã.

 

Na parede

Neymar quer voltar para o Barcelona, mas o clube já lhe impôs três condições: a primeira é a redução do salário de R$ 130 milhões (30 milhões de euros); depois retirar processo por um bônus de renovação não pago no valor de 20 milhões de euros; e finalmente, que ele admita publicamente o desejo de voltar e que errou ao deixar o clube em 2017. Há quem garanta que Neymar vai aceitar.

 

Quem faltou

Jornais, redes sociais e emissoras de televisão, em seus principais noticiosos, renderam homenagens ao “comentarista” (ele gostava de ser chamado dessa maneira) de cinema Rubens Ewald Filho. Ou seja: deram-lhe o respeito e a gloria que ele merecia. Nas cerimônias fúnebres, faltaram famosos da chamada classe artística. Nem sombra deles.

 

Lá e cá

No meio de grave crise financeira nos Estados Unidos e sob risco de falência, a rede Forever 21 já sinalizou a seus executivos no Brasil que vem por aí uma temporada de cortes e contenção. O cenário mais radical incluiria o fechamento de 10 das 29 lojas que a Forever 21 tem no país. Memoria: na inauguração de sua primeira loja em São Paulo, viam-se longas filas para entrar e comprar.

 

Michelle em cena

Nesta segunda-feira, a primeira-dama Michelle Bolsonaro estará em Fortaleza para lançar o projeto “Envelhecimento Ativo e Saudável”. Além de ações de inclusão digital, o programa vai oferecer educação financeira para o pessoal da terceira idade.

 

Quem manda

O presidente Jair Bolsonaro, anda meio irritado com alguns contratempos que estão acontecendo na sua gestão. Em uma delas, sobre a demarcação da demarcação de terras indígenas e quilombolas, bradou: “Quem demarca terra indígena sou eu, não é ministro. Quem manda sou eu nessa questão, entre tantas outras. Eu que sou presidente, que assumo”.

 

Os dois lados

Um estudo feito pelo ministério da Economia mostra que os estados que promoveram ajustes nas suas contas investem quatro vezes mais do que aqueles em situação de desacerto fiscal.  Entre os que são classificados como de boa gestão fiscal estão Alagoas, Ceará e Espírito Santo. Do outro lado da balança, com má gestão fiscal estão Minas Gerais, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul.

 

Não basta

Mesmo que está dentro do governo sabe que a situação financeira do brasil é calamitosa. O secretário de Política Econômica, Adolfo Sachsida, garante que somente a reforma da Previdência não será suficiente para equilibrar as contas, e se mostra pessimista. Ele acredita que serão necessárias mais medidas para estímulo da atividade financeira e só assim surgirá efeitos. “Honestamente, estamos numa situação tão ruim que só isso não basta mais. O PIB vai sair de 0,8% e vamos para 1,6%? Continua sendo baixo. E mesmo uma alta de 1,6% do PIB é hoje um sonho distante”.

 

“Outra menina”

Jair Bolsonaro em defesa ao ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro e dos filhos, atacou Gleen Greenwald e seu marido, o deputado David Miranda e o ex-deputado Jean Wyllys. “Não vi nada de anormal até agora. Esse pessoal daquele casal né, aquele casal lá, um deles esteve detido na Inglaterra há pouco tempo por espionagem, o outro aqui tem suspeita de vender o mandato, e a outra menina, namorada de outro, que tá lá fora do Brasil. É uma trama”.

 

Decolagem

Até setembro, a sueca Saab iniciará os testes do primeiro dos 36 novos caças da FAB – Força Aérea Brasileira. Os voos experimentais esticarão pelo ano de 2020, já com a participação de pilotos da FAB e a entrega das aeronaves será iniciada em 2021. A operação ficará a cargo da base da FAB em Anápolis, em Goiás. O pagamento dos US$ 5,4 bilhões só começará a ser feito após a entrega da última aeronave, prevista para 2024.

 

Retrato

Para quem não tem ideia: o Congresso Nacional é constituído por 513 deputados federais e 81 senadores e, em dezembro do ano passado, estima 7.822 servidores ativos na carreira, que acrescidos dos assessores parlamentares indicados por políticos e funcionários terceirizados custaram R$ 5,5 bilhões. Considerando também os 14.222 servidores inativos que custaram R$ 4,4 bilhões, o custo total com essa usina de gastos público foi de R$ 9,9 bilhões. Mais: em 2018, cada um dos congressistas gastou R$ 1,38 milhão por mês com pessoal.

 

Vergonha nacional

Dados do Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos: dos 11.572 casos de violência contra pessoas portadora de deficiência registrados no país em 2018, praticamente um terço foi cometido pelos próprios pais (12%) ou por irmãos (19%). E cerca de 34% das vítimas de agressão são pessoas de 18 a 30 anos.

 

“Carteirinha”

Ainda deficientes: no Shopping Iguatemi, em São Paulo, considerado o mais voltado para milionários emergentes, tem num de seus estacionamentos (com valets) desconto para deficientes mental e motor. Só que os funcionários do caixa agora estão pedindo a acompanhantes, malgrado o visual do deficiente, uma “carteirinha” que atesta a deficiência, que ninguém sabe do que se trata. E esses funcionários são mal-educados.

 

Na Rússia

Nas últimas semanas, Gleisi Hoffmann, presidente do PT e a ex-presidente Dilma evaporaram e ninguém sabia onde elas estavam. Agora, já se sabe: foram à Rússia conhecer sistemas de monitoramento de figuras públicas. O próprio Partido Comunista de lá acabou com o segredo, elas foram fotografadas ao lado de dirigentes da sigla. Junto também foram o secretário-geral do partido e a secretárias de relações exteriores. Detalhe: todas de business class.

 

Na fazenda

Onyx Lorenzoni passou o feriado na fazenda do governador de Goiás, Ronaldo Caiado, mais Abelardo Lupion, todos do DEM. Discutiam o futuro de Onyx, que entrará em processo de fritura, como outros demitidos. Bolsonaro é grato a Onyx, poderá lhe oferecer outra Pasta e a Casa Civil será entregue ao PSL.

 

Acerto

No documentário Democracia em Vertigem, tem uma cena que dentro de um carro, Dilma Rousseff tenta explicar o impeachment: “Nós erramos em não perceber que a hegemonia pela direita era crescente. Ela não estava posta inteiramente em 2014 quando nós fizemos o acerto”. Agora, todo mundo quer saber que “acerto” foi esse e “com quem”.

 

Não existe

O chefe do Gabinete de Segurança Institucional – GSI, general Augusto Heleno, disse que a demissão do também general Carlos Alberto Santos Cruz da Secretaria do Governo é algo natural. Heleno ainda disse que não existe ala militar dentro do governo e que isso é algo criado pela imprensa. “Essa coisa de ala militar não existe. Em seis meses de governo nós nunca nos reunimos, os militares do governo. Primeiro, procuraram dizer que seria uma ameaça à democracia. Depois viram que era uma imensa bobagem e pararam. Aí vieram com essa coisa de ala militar, mas isso não existe”.

 

Lixões

Hoje, há 3.000 lixões em pleno funcionamento em 1.600 cidades espalhadas pelo país. São aterros ao ar livre onde lixo e detritos de todos os tipos são jogados – e abandonados, sem tratamento algum. Desde 2014, a lei determina que não deveria existir mais nenhum lixão ao ar livre no Brasil. E, atualmente, existem mais lixões do que havia cinco anos atrás.

 

Tudo pago

Primeiro, Jair Bolsonaro vai ao programa do Ratinho falar sobre Previdência e planos de governo (pagou o espaço e o apresentador ganhou cachê de R$ 280 mil); depois, foi a vez de Sérgio Moro, quando também houve algum tipo de acordo com o SBT e agora, será a vez do governador de São Paulo, João Doria, que também desembolsará para avisar que deverá limpar o rio Pinheiros (ninguém acredita) e avançar com trem  que ligará Campinas, Americana e a capital paulista. Dória está em pré-campanha.

 

No comando

Devido ao cumprimento de uma agenda promocional, gerada por muito marketing, que afasta o governador João Doria da chefia do Executivo paulista, quem deita e rola no comando diário da máquina administrativa é o vice-governador Rodrigo Garcia, que acumula a Secretaria do Governo – e sempre fala com o amigo Gilberto Kassab.

Frases

 “Se não tiver uma boa reforma política, e se o povo quiser, estamos aí para continuar mais quatro anos.”

Jair Bolsonaro, presidente da República