A reforma tributária significa mais distribuição de renda. Foi o que afirmou ontem o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, no programa de rádio Café com o Presidente.

A reforma tributária significa mais distribuição de renda. Foi o que afirmou ontem o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, no programa de rádio Café com o Presidente. Lula disse que o Brasil precisa de um sistema tributário mais justo que simplifique a arrecadação e a forma de o contribuinte pagar os impostos. Para o presidente, a reforma acabará com a chamada guerra fiscal que se dá entre os estados e fará o país crescer.

“O dado concreto é que nós precisamos pensar no Brasil, ter uma política tributária correta para o Brasil, justa para o Brasil, se porventura algum estado tiver algum prejuízo, nós temos tempo de fazer um ajuste com política de compensação, até esse estado encontrar o equilíbrio da arrecadação que ele precisa e seja justa para ele”, disse o presidente.

Lula espera ver a reforma tributária aprovada ainda este ano para que o governo apresente ao Congresso Nacional a política industrial que, segundo ele, também prevê desoneração. Ele acredita que uma política tributária mais justa criará um círculo virtuoso que começa com a cobrança de menos imposto e leva ao incentivo à produção, ao surgimento de empresas, à geração de empregos, a mais salário, mais consumo e mais renda. “É essa a roda gigante de uma economia saudável como está a nossa e é por isso que estamos fazendo a reforma tributária num momento importante do Brasil”, afirmou.

O presidente Lula comentou ainda a amplitude do Territórios da Cidadania, programa lançado na semana passada em que municípios com baixo índice de desenvolvimento vão receber diversas ações e serviços do governo. “Significa que nós vamos detectar os problemas nesse município e chegar com um conjunto de políticas de Estado naquele município: o Bolsa Família, o programa Luz para Todos, o crédito Pronaf (Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar), política de saúde, tratamento de água, tirar documento das pessoas, registrar identidade e carteira profissional, ou seja, é um conjunto de políticas que vai permitir que mais rapidamente a gente possa fazer essas pessoas conseguirem sua cidadania”, explicou.

O programa atenderá cerca de mil municípios distribuídos em 60 territórios. O presidente Lula enfatizou que a escolha foi feita com base nas necessidades desses municípios e que sua execução envolverá prefeituras de todos os partidos políticos. “O que é mais importante é que a população também vai participar, porque serão formados os Conselhos Territoriais e a comunidade vai participar da discussão dos planos de desenvolvimento”, destacou.