O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou hoje (26) que é preciso diminuir a burocracia do governo e dos bancos públicos para que o crédito brasileiro "volte à normalidade".

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou hoje (26) que é preciso diminuir a burocracia do governo e dos bancos públicos para que o crédito brasileiro "volte à normalidade". Em seu programa semanal Café com o Presidente, ele avaliou que as novas ações de estímulo ao crédito e aos investimentos –tomadas na semana passada– deverão amenizar os efeitos da crise internacional.

"Acredito que vamos evitar que a crise tenha maior gravidade no Brasil. Estamos reforçando o caixa do BNDES [Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social] com R$ 100 bilhões para que ele possa não apenas incentivar novos investimentos no setor produtivo, mas ajudar nos grandes projetos que a Petrobras tem aqui no Brasil com o pré-sal", disse Lula.

O presidente voltou a insistir que a idéia central do governo é que nenhum grande projeto seja paralisado.

Para ele, o reforço ao caixa do BNDES atende também à necessidade de empresários brasileiros que buscavam dinheiro no exterior. Lula lembrou que a partir desta semana, o Banco Central começa o financiamento de exportações por meio de reservas brasileiras.