Ratinho Junior: rédea curta; Cida Borghetti: boa performance

“Ratinho Junior não é mesmo de brincar em serviço”, crava um parlamentar da base do governo, sem se importar com o clichê que está “cometendo”.

Usa-o para registrar um dado importante: o governador eleito deu só três dias de folga para seu staff imediato que cuida da transição do Governo no amplo espaço da Vice-Governadoria, no Palácio Iguaçu.

A “folga” só vale para os dias 24, 25 e 26.

Depois, trabalho sem parar, até à posse, no dia primeiro de janeiro.

O clima “aqui se trabalha” – mote que Paulo Pimentel usou se apropriando de ordem da Itália dos anos 30 -, continuará no dia 2 janeiro, a partir das 7h30 min., quando Ratinho Junior inaugurará sua administração (e talvez uma nova linhagem na política paranaense): presidirá a primeira reunião do secretariado.

A posse no dia primeiro será mais curta possível, dando tempo ao novo governador para viajar a Brasília para a posse do presidente eleito, Jair Bolsonaro.

HERANÇA DE CIDA

Cida Borghetti está deixando o Governo do Estado com bom caixa para a administração de Ratinho Junior. E deixa também um exemplo de eficiência, tendo feito alguns “milagres” no curto mandato assumido em abril.

VETO DAS ELITES

Ratinho Junior, em quem muito pouca gente das chamadas elites culturais e sociais apostava (“o paranaense não aceitará ser governado por um ratinho”, diziam os opositores, como certos grupos do Palácio 29 de Março), agora está tendo que “engolir” o moço.

E ele, sabe-se, não costuma brincar em serviço.

Deu provas de consistente inteligência política ao comandar a SEDU no Governo Beto Richa.

EQUIPE TÉCNICA

Veja-se, por exemplo, a equipe que Ratinho Junior está montando, em que prevalecem técnicos de alto nível, boa parte, talvez, até avalizada pelos eficientes cabeças brancas que assessoram o novo governador.

RENATO FEDER

A escolha do secretário de Educação, o empresário e educador Renato Feder, é o melhor indicativo de que o novo governador quer mesmo iniciar o que poderíamos chamar de “nova linhagem política na vida paranaense”.

Ratinho tem gana política, ficha limpa, preparou-se tecnicamente, e sabe ouvir.

E, com o correr dos anos, foi-se fortalecendo cultural e administrativamente para ocupar o Governo.

NOVA LINHAGEM

Há consistência nessa expectativa de “nova linhagem” política, pois, certas lideranças que aí estão (como as instaladas no Palácio 29 de Março) já estão com quase 70 anos. E não têm fôlego e respaldo popular para ir à frente.

“Trata-se de gente que se escora numa visão ornamental do Paraná, com louvores altissonantes e em cima de muitas histórias mal contadas”, diz um professor de Sociologia da UFPR agora engajado com o novo governador, criticando “os de sempre”.

NÃO VOTEI NELE

Ratinho Jr.– em que não votei, esclareço de saída -, é a novidade que, parece, tem tudo para ficar, até mesmo inaugurando essa nova (e esperada) linhagem.

As linhagens anteriores, como as de Requião de Mello e Silva, Jaime Lerner (uma personalidade a quem o Paraná nunca deve deixar de agradecer pelo trabalho que fez), Ney Braga, Beto Richa, já estão fora de combate.

QUEM CEDO MADRUGA…

Agora, o curto descanso de 3 dias que Ratinho decretou à sua equipe que cuida transição, é sinal da gana com que o moço chega ao Palácio Iguaçu.

No dia 2 de janeiro, às 7h 30 min, o novo titular do Governo vai comandar a primeira reunião com toda a sua equipe. Uma reunião sem a grandiloquência e os foguetes e arrebóis que tanto marcam certos equivocados governantes.

Enfim, “habemus Ratinho Junior”.


Ney Leprevost será secretário da Justiça, Família e Trabalho

Ney Leprevost, novo secretário da Justiça, Família e Trabalho

O governador eleito Carlos Massa Ratinho Junior anunciou o novo secretário estadual da Justiça, Família e Trabalho. O deputado estadual Ney Leprevost será o titular da pasta criada dentro do novo conceito de gestão que começa a ser implementado a partir de janeiro.

A nova secretaria incorpora políticas públicas que tem sintonia e estão conectadas por demandas que tem relação. O governador eleito pretende que esse novo modelo, que será estendido também para outras áreas, consiga dar resposta ágil para as demandas sociais. “Eliminamos burocracia, reduzimos tempo e damos agilidade no atendimento ao cidadão. Vamos ter políticas públicas claras e presentes no tempo e no espaço que a sociedade precisa”, explicou Ratinho Junior.

LEI DA FICHA LIMPA

Ney Leprevost tem, 45 anos, é formado em Administração de Empresas e tem MBA em Gestão de Cidades e Administração Pública. Foi vereador de Curitiba, onde presidiu a Comissão de Defesa do Cidadão na Câmara Municipal. Na Assembleia Legislativa do Paraná foi presidente da Comissão de Saúde, vice-presidente da Comissão de Direitos Humanos, presidente da Comissão de Esportes e presidente da Comissão de Turismo. É o atual líder da Frente Estadual da Saúde e Cidadania. Na última eleição, elegeu-se deputado federal pelo PSD. Em sua trajetória parlamentar destaca- se por projetos importantes nas áreas de saúde, educação e desenvolvimento social. Foi autor da Lei da Ficha Limpa no Paraná e da Lei da Transparência.


Leomar: exemplo nacional de inclusão na universidade

Leomar Marchesini: dois prêmios de uma só vez…

A psicóloga e professora Leomar Marchesini recebeu das mãos do prefeito de Curitiba, em solenidade na Prefeitura Municipal, em 3 de dezembro, dois prêmios no Concurso Viva Inclusão, escolhidos pela Comissão de Avaliação da Assessoria dos Direitos das Pessoas com Deficiência de Curitiba.

GLOSSÁRIO LIBRAS

Um dos troféus foi conquistado com o trabalho de Criação do Glossário Jurídico em Libras, realizado em parceria com grupo de surdos da área jurídica – liderado por Tiago Carneiro Junior, acadêmico de Direito da UNINTER – e com a Comissão de Acessibilidade do TRT 9ª Região, presidida pelo Desembargador Ricardo Tadeu Marques da Fonseca, o primeiro juiz cego do Brasil.

PROFESSOR INCLUSIVO

O segundo prêmio foi obtido pela prática Professor Inclusivo, implantada por Leomar na UNINTER, onde coordena o SIANEE, área responsável pelo atendimento educacional dos alunos com deficiência da Instituição. A Prof.ª Marchesini foi a fundadora do SIANEE no ano de 2006, hoje referência no Brasil em inclusão educacional no nível superior de educação, com 860 alunos com diversidades cadastrados no ano de 2018.

PERSONAGEM DE VOZES

Leomar foi personagem de meu livro Vozes do Paraná, volume 9.

Para contatos com ela: Serviço de Inclusão e Atendimento aos Alunos com Necessidades Educacionais Especiais|Reitoria: leomar.z@uninter.com. (41) 2102-3372


DOS LEITORES (1)

Não esquecer outros prefeituráveis

Caro jornalista:

Ney Leprevost e Fernando Franceschini

Muito oportuna a notícia que esse blog/coluna publicou sobre os primórdios da possível candidatura de Cláudia Silvano, advogada, diretora do Procon, e o vereador Goura Nataraj. Os dois estariam no páreo para concorrer à Prefeitura, numa dupla “sem vaidades”: cada um dos dois muito disposto a concorrer a prefeito ou a vice. Posições não importam. É gente desprendida.

A notícia é auspiciosa, pelo conteúdo: quer dar um chega pra lá na chamada velha política.

Mas é oportuno também não esquecer que dois nomes muito sólidos já estariam no páreo para 2020 –o deputado federal Ney Leprevost e o deputado estadual Fernando Franceschini. Entre outros. Eles também querem ser prefeito da Capital.

MARIA EDUARDA VIOTTI SANTOS, Curitiba


DOS LEITORES (2)

“É dando que se recebe…” (São Francisco de Assis)

Caro Murá, colaboradores e familiares,

Desejamos um Feliz Natal e venturoso 2019, que o Brasil saia do mal e comece a entrar no bem, isto é o que temos que torcer e rezar que aconteça.

Não tive a satisfação de encontrá-lo, mas estava lá o meu querido amigo Scalco; sei que eventos como este são magníficos, com grandes homens, entretanto o traje Black tie é muito chato, fui um dos poucos que não usei, pelo direito da idade nos dá o privilégio.

Agradeço a oportunidade que tive de contribuir com o Natal das crianças, do Instituto Ciência e Fé de Curitiba. Fiquei satisfeito com a mensagem das irmãs, Miriam, Ana Maria, Elizabete, Maria Aparecida, Terezinha, Maria e Rosana (do Mosteiro do Encontro, de Mandirituba*), estendo os meus cumprimentos a elas.

Agradeço a bela medalha, que ficará na minha mesa de cabeceira, se Deus quiser.

MÁRIO JOSÉ GONZAGA PETRELLI

Fundador e Presidente Emérito do Grupo RIC PR SC, FLORIANÓPOLIS

Mosteiro do Encontro

OBSERVAR (*): As religiosas do Mosteiro do Encontro, em Areia Branca dos Assis, Mandirituba, distribuem anualmente parte dos gêneros alimentícios e cestas de Natal comprados e/ou recebidos como doação pelo Instituto Ciência e Fé de Curitiba; é resultado da campanha anual natalina da instituição.

Também certas populações carentes de Curitiba e de bairros de Piraquara são atendidas pelas doações que, no final beneficiam aproximadamente 120 famílias. Algumas delas são atendidas além do Natal, ao longo do ano, com alimentos. Tudo apoiado pelos resultados da campanha anual à qual respondem diversos benfeitores. Seus nomes serão registrados oportunamente.

(fotos de Hélio Martins de Freitas)

Foto Histórica: A suíça Madre Maria Chantal, 99, fundadora do Mosteiro (em 1964), recebendo o enviado do Instituto Ciência e Fé de Curitiba, depois da entrega da primeira remessa de alimentos para populações assistidas pela casa beneditina. Aparecem também as irmãs Tereza Paula (E), e a superiora da instituição, madre Ana Maria. Em 8 de dezembro de 2018
Agradecimentos da madre superiora a todos os benfeitores, num simbólico aperto de mão e promessas de orações aos doadores.

DOS LEITORES (3)

Encontro anual dos ex-Telepar

Caro jornalista:

Trezentas e cinquenta pessoas participaram desse encontro magnífico – entre teleparianos, convidados, diretores e equipe da Astelpar – ocorrido nesse último sábado (08 dezembro 2018) no Restaurante Dom Antônio em Santa Felicidade.

Dentre as várias atividades aconteceram homenagens ao Presidente e Diretores que deixaram a Diretoria pelo cumprimento de mandato; homenagens aos coautores do Livro “Telepar, a revolução das telecomunicações no Paraná”; agradecimento e balanço das atividades – triênio 2016/18 – pelo Presidente Luiz Fernando Torres Cardozo; impressões e perspectivas ao próximo triênio 2019/21 pelo Presidente empossado Cleomar Gaspar; e sorteio de valiosos brindes, dentre eles 06 exemplares do Livro “TELEPAR, a revolução das telecomunicações no Paraná. E, como atração surpresa o conjunto da Escola de Samba Mocidade Azul que, com muita competência, fez vários participantes a caírem no samba.

Foram momentos de muitos abraços, sorrisos, cumprimentos, recordações, reencontros, felicidades, …

JOSÉ FRANCISCO CUNHA, Curitiba

Encontro de associados da Astelpar

DOS LEITORES (4)

Instituto de Medicina e Cirurgia

Caro Aroldo,

Minha mãe, dona Waly, foi enfermeira no Instituto de Medicina durante 10 anos e ali viu nascer a Simone Wolokita, filha do Sale e Flora Wolokita e alguns netos de Júlia e Salvador Graciano – para os que não sabem, Nho Belarmino e Nhá Gabriela – meus queridos e adoráveis companheiros de trabalho na Rádio Guairacá!

WASYL STUPARYK (*), memorialista de Curitiba, dono de um dos maiores acervos audiovisuais sobre a cidade e sua gente

(*) A explicação de Wasyl vem a propósito da notícia publicada pela coluna informando que serão leiloados imóveis em que tem sede o Instituto de Medicina e Cirurgia do Paraná, no dia 7 de fevereiro. Na foto Wasyl Stuparyk.

FATO/FOTOS

Para Petrelli, todas as honras

Na noite em que a revista TopView homenageou personalidades da vida paranaense, na Ópera do Arame, na semana, o grande centro de atenções da festa foi o empresário Mário Petrelli.

As fotos mostram momentos do evento em que se celebraram a vida e a obra desse homem de negócios que, ao mesmo tempo, foi um dos construtores do Paraná moderno. Ele teve capital importância no debate de ideias com notáveis da vida nacional, especialmente no âmbito político e econômico, no século 20. E continua atuante, sendo ouvido e com sua opinião acatada…

Para o Paraná e Santa Catarina, um dos legados de Petrelli foi a criação do grupo RIC de Comunicação, do qual é presidente emérito.

O filho Leonardo foi o condutor do acontecimento centrado em Mário.

(fotos Marcelo Elias e Naideron Junior)

Rosimar, Marcello, Monica, Mário, Luciana, Leonardo e Mário José Petrelli.
Mário Petrelli
Eduardo, Leonardo, Mário José e Karla Petrelli e Mário Petrelli Neto.

Vaquinha online pelos desabrigados de Vila Corbélia

Voluntários do TETO na Vila Corbélia

Na madrugada da última sexta-feira, dia 07 de dezembro, os moradores da Vila Corbélia, localizada na Cidade Industrial de Curitiba (CIC), acordaram com uma notícia devastadora. Um incêndio destruiu mais de 300 casas da comunidade. Ainda não há qualquer confirmação sobre o motivo do incêndio, mas a consternação tomou conta dos curitibanos que acompanharam o caso. O que se sabe, é que existem famílias desabrigadas, animais abandonados, crianças desamparadas, todas vítimas de uma tragédia sem fim.

DEVOLVER DIGNIDADE

Diante do acontecimento, em uma ação histórica e urgente, a organização internacional TETO quer devolver a dignidade para as centenas de famílias que habitam a região. A ideia da organização, que atua em favelas precárias de 19 países da América Latina e Caribe para superar a pobreza por meio de projetos de moradia e infraestrutura, é construir 150 casas. Para atingir o objetivo, o TETO acaba de lançar uma vaquinha online: Veja http://juntos.com.vc/pt/29resiste.

R$ 5 MIL POR CASA

Como cada casa construída pela organização custa R$ 5.000, o número de moradias construídas na Vila Corbélia vai depender da arrecadação. A seleção das famílias prioritárias para construção seguirá critérios de urgência e a previsão é de que a construção aconteça no próximo mês de fevereiro.

MAIOR DO BRASIL

A ação do TETO na Vila Corbélia será a maior ação do TETO em sua história no Brasil. “Queremos dar um alento para essas famílias que perderam tudo no fogo. Muitas dessas casas destruídas, inclusive, tinham sido construídas pelo TETO no último mês de julho. Conhecemos muito bem as famílias, o que nos deixou ainda mais chocados e preocupados com tudo o que aconteceu. Temos que agir rápido e adiantar nossos processos para que essas pessoas voltem a sorrir o quanto antes. Para isso, precisamos muito da ajuda de todos os brasileiros”, comenta Lucas Kogut, gestor do TETO Paraná.

Incêndio na Vila Corbélia (RPC)

Dia 30, Livraria Saraiva fechará portas em Curitiba

Livraria Saraiva

Na tarde desta sexta-feira, 14, confirmei com vendedores da Livraria Saraiva, do Shopping Crystal, que aquela livraria só funcionará em Curitiba até o dia 30 deste mês. O mesmo ocorrerá com a Saraiva do Shopping Mueller.

As duas lojas têm o total de 20 funcionários.

O movimento na loja do Crystal caiu vertiginosamente nos últimos 30 dias, o que se atribui a todo o quadro de crise da empresa, uma das três maiores, no país, do mundo dos livros, e que já pediu medida judicial para negociar dívidas.

Em consequência, o Café da Esquina, uma casa de lanches que funciona desde 2001 na Saraiva Crystal, está se despedindo dos clientes.


HISTÓRIAS INSPIRADORAS

Quase uma noite de fiasco

A incrível história de “Noite Feliz”, a canção de Natal mais famosa do mundo. Como foi que a “Noite Silenciosa” de um sacerdote austríaco se tornou tão popular a ponto de ser declarada Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade

Redação da Aleteia | Dez 18, 2017

Franz Xaver Gruber, compositor, e padre Joseph Mohr autor da poesia

“Noite Feliz” é uma das canções de Natal mais populares do mundo inteiro, com traduções registradas em pelo menos 45 idiomas. De tão conhecida, tornou-se um clássico declarado Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade pela UNESCO em 2011!

NUMA PEQUENA PARÓQUIA DA ÁUSTRIA…

O compositor da canção foi o padre Joseph Mohr (1792-1848), da paróquia de São Nicolau, na pequena cidade austríaca de Oberndorf.

Os registros apontam que a canção foi executada pela primeira vez na Missa do Galo de 1818, naquela mesma paróquia e num contexto peculiar: o sacerdote estaria um tanto inquieto porque o órgão da igreja estava quebrado – os foles teriam sido roídos pelos ratos. Em tais condições, a cantata de Natal corria o perigo de ser um fracasso.

A fim de remediar a situação, o sacerdote saiu à procura de um amigo, o músico Franz Xaver Gruber. O padre Mohr havia escrito um poema de Natal dois anos antes e precisava que Gruber criasse para ele a melodia. Algumas versões do relato, porém, dizem que o padre compôs a letra em pleno caminho até a casa de Gruber.

MELODIA SIMPLES

Quando Franz viu a letra, confirmou que poderia, sim, musicá-la, já que era simples e a melodia precisava ser fácil para que os paroquianos aprendessem rapidamente a cantá-la. Além disso, a canção teria que ser tocada em violão e flauta, porque não havia tempo para nada mais elaborado – sem falar que o órgão estava fora de questão naquele momento.

O padre Mohr agradeceu ao músico e correu de volta à paróquia para terminar de organizar a Missa do Galo. À noite, Franz chegou à igreja com o violão e reuniu o coral para ensinar a música improvisada.

Naquele Natal de 1818, os fiéis da igreja de São Nicolau cantaram, maravilhados, a melodia singela e envolvente que, sem imaginarem, viria a se tornar a canção de Natal mais conhecida de todo o planeta.

DE UMA PEQUENA PARÓQUIA PARA O MUNDO

Novos arranjos foram feitos por Gruber pouco antes de sua morte, em 1863. Em 1845, já tinha surgido o primeiro arranjo para orquestra, e, em 1855, um novo para órgão. Em 1900, a música já era mundialmente conhecida.

Em 1918, foi celebrado o centenário da composição. O seguinte cartaz, em alemão, foi uma das homenagens do jubileu:

O Cartaz

Mas como foi que uma canção tão simples se espalhou dessa forma pelo mundo todo?

Um relato popular diz que o técnico que foi consertar o órgão da paróquia de Oberndorf havia ouvido a história do padre e pedido que lhe tocassem aquela canção. Ele ficou tão impressionado que passou a repartir a melodia por todas as igrejas por onde passava.

O que tinha começado no improviso e sob uma perspectiva de “fiasco” em plena Missa de Natal se revelou um belíssimo presente natalino para toda a humanidade em forma de canção!

A CAPELA

Quanto à igreja de São Nicolau em Oberndorf, ela não existe mais: foi demolida no começo do século XX porque, estando perto do rio Salzach, sofria constantes alagamentos. Para substituí-la, foi construída na década de 1920, num lugar 800 metros mais alto, a Capela Memorial da Noite Silenciosa (em alemão, Stille-Nacht-Gedächtniskapelle – cf. foto abaixo), que, apesar de acolher somente vinte pessoas por vez, recebe no fim do ano cerca de 7 mil peregrinos para a Missa de Natal!

A Capela, hoje: Da “Noite Silenciosa” à “Noite Feliz”

Aliás, “Noite Silenciosa” é o título original da música em alemão: “Stille Nacht“. A tradução literal foi mantida na versão “Silent Night”, em inglês. Outras línguas, porém, tiveram que adaptar a letra para fazê-la caber na música: é o caso, por exemplo, do francês “Douce Nuit” (“Doce noite”) e do português “Noite Feliz”.

AS DUAS LETRAS EM PORTUGUÊS

Em nosso idioma, a primeira versão foi feita por Pedro Sinzig por volta de 1912. Algum tempo depois, surgiu ainda a versão anônima “Noite de Paz“. Confira ambas as letras:

NOITE FELIZ – Versão de Pedro Sinzig, c. 1912

Noite feliz! Noite feliz!
o Senhor, Deus de amor,
pobrezinho nasceu em Belém.
Eis, na lapa, Jesus, nosso bem!
Dorme em paz, ó Jesus!
Dorme em paz, ó Jesus!

Noite feliz! Noite feliz!
Oh! Jesus, Deus da luz,
quão afável é teu coração
que quiseste nascer nosso irmão
e a nós todos salvar!
e a nós todos salvar!

Noite feliz! Noite feliz!
Eis que, no ar, vêm cantar
aos pastores os anjos dos céus,
anunciando a chegada de Deus,
de Jesus Salvador!
de Jesus Salvador!

NOITE DE PAZ – Versão Anônima

Noite de paz! Noite de amor!
Tudo dorme em derredor.
Entre os astros que espargem a luz,
proclamando o menino Jesus,
brilha a estrela da paz!
brilha a estrela da paz!

Noite de paz! Noite de amor!
Nas campinas ao pastor
lindos anjos, mandados por Deus,
anunciam as novas dos céus:
Nasce o bom Salvador!
Nasce o bom Salvador!

Noite de paz! Noite de amor!
Oh! que belo resplendor
ilumina o Menino Jesus!
No presépio do mundo eis a luz,
sol de eterno fulgor!
sol de eterno fulgor!


Paraná está preparado para liderar inovação na agricultura

A governadora Cida Borghetti participa do encerramento do programa Empreendedor Rural. (Foto: Orlando Kissner/ANPr)

Afirmação é da governadora Cida Borghetti, que participou do programa Empreendedor Rural, que reuniu 5 mil produtores e trabalhadores. Ela disse que o Paraná será o primeiro em tecnologia e inovação porque já há vários ambientes preparados para isso

O Paraná está preparado para liderar, no Brasil, os projetos de inovação do setor agropecuário. A afirmação é da governadora Cida Borghetti, que participou nesta sexta-feira (14) do encerramento do programa Empreendedor Rural, no Expotrade Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba. O evento, promovido pela Federação da Agricultura do Estado do Paraná (Faep), reuniu cerca de 5 mil produtores e trabalhadores rurais.

“A cadeia produtiva do Paraná é a mais próspera do Brasil e com o trabalho feito pela Secretaria da Agricultura e do Abastecimento nos últimos meses, vamos deixar o Estado pronto para assumir a agricultura digital no País”, disse Cida. “O Paraná será o primeiro estado em tecnologia e em inovação porque estamos deixando vários ambientes preparados para isso”, disse a governadora.

HOMENAGEM

Durante o evento, que busca incentivar o empreendedorismo no campo e trouxe nesta edição o tema “Líderes Rurais e Agricultura Digital”, Cida Borghetti foi homenageada pela Faep pela sua contribuição com o agronegócio. Ela recebeu do presidente da entidade, Ágide Meneguette, uma placa com mensagem alusiva ao reconhecimento pelo trabalho realizado.

As iniciativas junto ao Ministério da Agricultura para tornar o Paraná área livre de febre aftosa sem vacinação, a modernização da legislação sobre o uso de agrotóxicos e a regulamentação dos procedimentos para regularização ambiental das propriedades rurais estão entre os motivos da homenagem. “São atitudes que representam um grande avanço para o futuro da produção agropecuária paranaense”, disse Meneguette.