Ganhar um bom salário não é garantia de segurança financeira. Infelizmente, há muitas pessoas que, mesmo recebendo uma boa renda, não conseguem administrar muito bem os gastos e acabam se endividando além da conta. O resultado não poderia ser outro senão a inadimplência. Fatos como esse demonstram que a educação financeira no Brasil ainda é muito pouco transmitida de pais para filhos, até porque os próprios pais muitas vezes não possuem a menor habilidade para lidar com dinheiro. Nesses casos, a culpa não está na situação econômica apertada do país ou do mundo, ou até mesmo no aperto fiscal praticado pelo governo, tampouco dos altos preços do comércio.

Pensando em estimular a educação financeira no país, o Banco Central (BC) estuda diminuir os juros no crédito para quem participar de programas de educação financeira. Na opinião do presidente da instituição, Roberto Campos Neto, ao melhorar a educação financeira da população, haverá menor endividamento. Ele está certo! Saber gerir os recursos financeiros é primordial para o cidadão, principalmente quando se leva em conta que imprevistos são mais comuns a cada dia. A educação financeira é tão importante que deveria ser ensinada nas escolas para as crianças.