Parte do mix de produtos de La Violetera expostos no evento

No limiar de seus 90 anos, a serem completados em 2018, a La Violetera, empresa paranaense fundada pelo imigrante libanês Hassan Mohamed Raad, consolida sua posição no mercado brasileiro com o foco principal em três segmentos: o das azeitonas, o carro-chefe, o das frutas secas e snacks e o dos azeites e óleos. Os produtos, importados “dos quatro cantos do mundo”, são processados em sua planta de 18 mil metros quadrados na Cidade Industrial de Curitiba, de onde partem para a comercialização em todo o país.

Uma panorâmica da trajetória da La Violetera foi apresentada pelo presidente de seu Conselho de Administração e filho do fundador, Faissal Raad, em evento que reuniu, na Forneria Copacabana, uma legião de clientes, representantes de vendas e a imprensa. No encontro, coordenado pelo CEO da empresa, Félix Boeing Jr., foi também exibida toda a reformulação gráfica da marca e dos rótulos dos produtos, com características mais leves e funcionais.

Fundada em 1928, a história da família Raad, no Brasil, no campo da alimentação, remonta, porém, a 14 anos antes, tempos do início da primeira Guerra Mundial, quando o recém-chegado Hassan Raad começou a comercializar frutas que comprava no litoral do Paraná. O primeiro centenário, sob esse enfoque, já teria sido cumprido. Em 1928, marco zero da história oficial, foi criada a Imperatriz das Frutas, pioneira na importação de frutas frescas da Argentina.

Em 1967, a empresa passou a se chamar Importadora de Frutas Filomena, ampliando o arco de países de onde importava, incluindo Chile, Estados Unidos e quatro europeus: Portugal, Espanha, França e Itália. Nesse mesmo ano, abriu sua loja no Mercado Municipal de Curitiba, hoje destaque na paisagem na esquina da avenida Sete de Setembro com rua General Carneiro.

O nome atual, La Violetera, segundo contou Faissal, surgiu em 1973, numa viagem à Espanha. A inspiração nasceu a bordo de um jato da Iberia, ao se deparar com uma foto na revista da companhia aérea, uma bela espanhola. “Achei a mulher que estava procurando”, disse consigo mesmo. Lembrou, também, de outra bela espanhola, a atriz e cantora Sara (Sarita) Montiel, que, anos antes, havia estrelado o filme La Violetera, um sucesso mundial. Raad combinou uma coisa com a outra, passou as informações à equipe de marketing e nasceu a nova marca. Na recém-concluída modernização visual, a bela “Sarita” pode ser apreciada nas peças publicitárias, em rótulos e  embalagens.

A empresa conta, ainda, com outras marcas, como a La Preferida, para produtos com boa relação de custo/benefício; Mastroniani, voltada ao segmento premium; e Nootz, dedicada à comercialização de snacks. O mix de produtos chega hoje a mais de 350 itens, incluindo conservas e condimentos, massas, molhos, frutas em calda, entre outros, comercializados também pelo serviço de televendas.  Em 2016, foi encerrado o segmento de frutas frescas.


Culinária tailandesa vegana, atração da semana

Chef Sommay: jantares, aulas shows e preparos veganos

Uma semana dedicada à culinária tailandesa vegana será desenvolvida em Curitiba de 2 a 8 de outubro, com a participação da chef Sommay Jaijong, proprietária da escola de gastronomia May Kaidee, com sede em Bangkok e filial em Nova York.

Dias 2 e 6, segunda e sexta-feira, ela prepara dois jantares, a partir das 19h, no restaurante Tuk Tuk (r. Camões, 1888): serão dois cardápios diferentes, cada um com nove preparos. Os convites custam R$ 85 por pessoa, com pagamento antecipado, ou R$ 95 no dia do evento, no restaurante. A refeição será servida com chá tailandês de limão. Outras bebidas serão cobradas à parte.

Na terça-feira 3, May ministra um curso básico de culinária tailandesa vegana na Casa Curitiba Honesta (r. André Zanetti, 199), das 19h às 22h, com inscrição a R$ 205.

Para a quinta 5/10, estão programadas duas aulas de Fruit Carving, a arte de esculpir frutas, no Espaço Lab.Thai (av. João Gualberto, 776), em dois horários: 8h e 19h. Com a ajuda de May, os alunos aprenderão a esculpir folhas de pepino, cenoura, abóbora e até uma flor de melancia gigante. Inscrição a R$ R$ 285, incluindo os instrumentos.

No sábado 7/10, haverá almoço vegano e orgânico na chácara Terra Graciosa (estrada antiga da Graciosa, 7125), em Quatro Barras. Segue-se uma ecoaula para as crianças presentes: numa visita guiada, elas aprenderão sobre relógio solar, sazonalidade da estação, plantios e colheitas, entre outros. O valor é de R$ 95 para adultos e R$ 55 para crianças.

Encerrando a Semana Thai Veg, no domingo 8, também na chácara Terra Graciosa, haverá aula de cozinha tailandesa vegana dirigida a estudantes de gastronomia e cozinheiros (amadores ou profissionais), a partir das 9h, com duração de quatro horas. Inscrição a R$ 255 para quem optar pelo translado ou R$ 205 para quem for por conta própria.

A iniciativa da 1ª Semana Thai Veg é do chef Yuri Ferrari Orgurtsova, que estudou na escola de May em Bangkok e é proprietário do restaurante Tuk-Tuk, especializado nas culinárias tailandesa e indiana em Curitiba. Informações e inscrições no portal Curitiba Honesta.


Carne suína tem festival até 8 de outubro

Pork Ribs na salsa chipotle, no cardápio do Zapata
Foto: Brava Creative Studio

Dez restaurantes de Curitiba estão participando, até 8 de outubro, do Festival Prime Rib Alegra, com menus a base de carne suína, ao preço único de R$ 39,90. O Prime Rib é um corte especial de carne retirado do lombo central e inclui a costela e o noix.

A Alegra é uma empresa formada pelas cooperativas Frísia, Castrolanda e Capal, com unidade industrial em Castro (PR). O horário de disponibilidade dos pratos (almoço e/ou jantar) depende de cada estabelecimento.

A relação: Cantina do Délio (r. Itupava, 1094): Prime Rib Alegra suíno ao chutney de abacaxi e tagliatelle com legumes na manteiga; Cana Benta (r. Itupava, 1431): Prime Rib Alegra ao molho de melado e laranja com batatas.; Jabuti (r. Professor Assis Gonçalves, 1506): Jabuti Prime Rib Alegra Suíno – Prime Rib Alegra Suíno grelhado, com molho barbecue caseiro e batatas rústicas com alecrim; Zapata (r. José Sabóia Cortês, 383): Pork Ribs na salsa chipotle; Happy Burguer (av. Marechal Humberto Castello Branco, 251): Prime Rib Alegra temperado com ervas finas com maionese de batata, farofa de banana da terra e arroz à grega.

E mais: O Fornari (r. Fernando de Noronha, 181): Pasta&Prime – Prime Rib Alegra suína ao molho de pimentões e tomates assados, acompanhados de nhoque de mandioquinha ao molho de limão; Pistache Pizza & Gastronomia (av. N. S. da Luz, 1525): Chapa Prime Rib Alegra –  Prime Rib Alegra cozido lentamente com ervas, grelhado e servido na chapa de ferro, acompanhado de batatas rústicas ao murro cobertas com molho de pimenta defumada e legumes puxados na manteiga; Restaurante do Peruano (Av. Marechal Humberto Castelo Branco, 675): Chuleta da Vó Sally – Prime Rib Alegra, assado rusticamente e caramelizado na grelha com temperos orientais. Guarnição: puré amarelo de batatas andinas, maçã assada com almibar de canela e cravo e mel de maçã; Limoeiro Casa de Comidas (av. Marechal Humberto Castelo Branco, 669): Prime Rib Alegra com farofa de milho e ovo, banana à milanesa e chimichurri; Quitutto GastroPub (av. dos Estados, 481): Prime Rib Alegra regado ao molho demi-glace e pimentas verdes, servido com batatas fritas crinckle e alecrim.

 


MESA&GÔNDOLA

CAFÉ L’OR, EM SEIS VERSÕES

Cápsulas de alumínio compatíveis com as máquinas Nespresso, dois sabores de café solúvel, três blends de café torrado e moído e grãos torrados para espresso compõem o portfólio da Jacobs Douwe Egberts (JDE), companhia global de cafés e chás com sede na Holanda, que traz ao Brasil o que qualifica de “padrão ouro em café” – a marca francesa L’OR, apresentada como “referência em café premium no mundo”. Os produtos já estão disponíveis nas principais redes de supermercados do país. As cápsulas, importadas da França, chegam em seis versões, com diferentes intensidades: num crescendo de grau 6 a 12, Satinado, Sontuoso, Forza, Extremo, Ristretto e Onix, apresentadas em embalagens de 10 unidades, com exceção da Ristretto, também vendida em embalagens de 20 cápsulas. O L’OR torrado e moído é comercializado em embalagens pouch de 250g, com um sistema exclusivo de fechamento para garantir o aroma. Tem as versões Classique, Intense e Extra fort, com intensidades 8, 10 e 12.

SOLÚVEIS E GRÃOS TORRADOS

A linha de solúveis, fabricada no Brasil, com grãos torrados, moídos e transformados num extrato líquido de café e depois levados a uma estação de congelamento, é composta de embalagens de 140 gramas ou sachês de 50 gramas nas versões Classique – Refinado e Aromático & Intense – Rico & Aromático. Os grãos torrados para espresso – L’OR Forza – é desenvolvido para ser moído e preparado em máquinas de café espresso. Sua torra média resulta em “uma bebida encorpada com notas de caramelo e uma leve acidez cítrica”. A presidente da JDE Brasil, Lara Brans, diz que o país é um mercado estratégico para a empresa e integra o movimento global da companhia. “Esse lançamento reflete claramente a filosofia da JDE em promover a democracia do café e estamos confiantes de que a partir de agora nasce um novo conceito para o consumo da bebida, o Padrão Ouro em Café”.

VINHOS DE PRIMAVERA

As importadoras Porto a Porto e Casa Flora sugerem cinco vinhos para celebrar a Primavera, que podem ser degustados sozinhos ou acompanhando refeições: Veuve du Vernay Brut, espumante francês, ideal para acompanhar queijos, embutidos, peixes e frutos do mar em geral; Chan de Rosas Clássico, espanhol, da uva Alvarinho, lançado há pouco no Brasil, combina com risoto de limão siciliano, pratos com salmão defumado ou mariscos;  Le Rosé de Floridene, francês, de uvas Merlot, Cabernet Sauvignon e Cabernet Franc, que vai bem com saladas verdes, carpaccio, queijos, paella ou lagosta; Emilia Nieto Senetiner Malbec, argentino, indicado para acompanhar as carnes vermelhas não tão gordurosas, como os cortes mignon e fraldinha, elaboradas na grelha; Cefiro Pinot Noir, um chileno eclético do Vale de Casablanca, que harmoniza com peixe grelhado temperado com ervas, por exemplo.

GRANA PADANO

Em cartaz até 7 de outubro a segunda edição do Festival do Fettuccine no Grana Padano do Ernesto Ristorante (r. Miltho Anselmo da Silva, 1483, Mercês). O fettuccine é preparado dentro de um queijo Grana Padano, produzido em Padana, Itália, e finalizado pelo chef Dudu Sperandio no meio do salão. O prato, servido apenas no jantar, a partir das 19h30, custa R$ 49.

GLASSO TAP CO.

Inaugura neste sábado 30/9, na Mercadoteca (r. Paulo Gorski, 1309, Curitiba) a Glasso Tap Co., uma cervejaria inspirada em bares da Suécia, Dinamarca e Noruega. Terá três torneiras para servir coquetéis, como Negroni, Gin Tonica e Aperol Spritz, uma de sidra, além de 14 dedicadas a jorrar chopes artesanais. No cardápio, três tipos de petiscos: batata frita servida com trufa (R$ 19), com batata frita tradicional (R$ 14) e com uma pururuca artesanal (R$ 12). O empreendimento é dos sócios Raphael Zanette e Ilze Marie Fugmann.