Uma criança com medo do bicho-papão, o que parece ser universal, busca abrigo embaixo dos lençóis. E eis  a mão de Steven Spielberg no novo Jurassic Park, mesmo que não dirigido por ele, mas pelo espanhol Juan Antonio Bayona , que traz o filme de terror O Orfanato em seu currículo. Ainda que com dinos mais ferozes e humanos mais gananciosos, a presença da infância é o aspecto relevante do filme e o provável mote para a sequência.

Outras presenças afetuosa de Sperberg em Jurassic World- Reino Ameaçado: referências a filmes de monstros e ao próprio Jurassic Park de 25 anos atrás, seja em replique de  cenas de suspense seja no retorno de atores/personagens:  Jeff Goldblum/cientista Ian Malcolm, por exemplo.

Nesta quinta sequência, um vulcão ameaça explodir a ilha e levar os dinossauros à extinção. Enquanto o Congresso dos EUA debate a questão, se salvam ou não os animais  pré-históricos,  uma empresa decide fazer  resgate clandestino para ganhar dinheiro. Mas uma cientista abnegada (Bryce Dallas Howard) e um domador de velociraptor (Chris Pratt) decidem salvá-los.  

O filme tem muita ação e sustos com a ferocidade dos dinos, claro, mas uma história humana, que dá o aspecto sombrio e que justifica Geraldine Chaplin numa fugaz aparição, é o DNA da questão. Fica o suspense para o sexto Jurassic.