Documentos e estudos do escultor paranaense João Turin (1878-1949) completam o acervo que revela seus bronze inéditos, entre as 130 peças, na mostra que abre no Museu Oscar Niemeyer nesta quinta dia 5, às 20h, quando também será lançado o livro João Turin – Vida, Obra, Arte, do historiador José Roberto Teixeira Leite.

Entre as peças vão estar as que o consagraram como um dos principais escultores de animais: Marumbi, Luar do Sertão, Tigre Pisando na Cobra e Onça à Espreita. Outro destaque é a escultura Frade, presente do governo brasileiro ao papa Francisco em sua recente visita ao Brasil. Outra peça de cunho religioso é Pietá, feita em 1917 para a Igreja de Saint Martin, na França, e que escapou ilesa dos bombardeios da I Guerra. Consta que Turin se inspirou na dor da dançarina Isadora Duncan, que perdeu dois filhos afogados no Sena, para compor as feições da Pietà.

A exposição apresenta ainda uma reconstrução da Casa Paranista, símbolo do paranismo, movimento artístico idealizado pelo mestre.
Visitação até 2 de novembro. Entrada gratuita no vernissage, no primeiro domingo de cada mês, das 10 às 18h, e na primeira quinta-feira do mês.