Foto: Alexandre Marchetti

A Itaipu Binacional vai apoiar a criação de um Centro Integrado de Inteligência em Foz do Iguaçu, no Paraná. Na próxima semana, representantes da empresa terão um encontro com o Ministério da Justiça e Segurança para tratar do assunto.

A informação foi adiantada na quinta-feira (23) durante encontro inédito da diretoria da binacional com todas as forças de defesa e órgãos de segurança da região onde está a usina. O projeto-piloto foi idealizado pelo ministro Sérgio Moro e reforça o trabalho de integração e inteligência entre as forças de segurança no combate ao crime organizado.

Para o diretor-geral brasileiro de Itaipu, general Joaquim Silva e Luna, os 187 km de fronteira da região trinacional (Brasil, Paraguai e Argentina) geram a necessidade de uma defesa conjunta e constante.

Ele recebeu pela primeira vez de forma conjunta todas as forças de defesa e os órgãos de segurança que têm atuação na região para falar da cooperação mútua entre essas instituições e da participação da Itaipu. Só em convênios e parcerias, a usina investiu R$ 27 milhões em segurança, desde 2015, e prevê outros R$ 13 milhões para a mesma finalidade.

Outros projetos importantes para reforçar a segurança na região são o apoio à implantação do sistema E-gates, de controle migratório na fronteira com a Argentina, e a implantação de um sistema de monitoramento por câmeras de reconhecimento facial e de placas de veículos na Ponte da Amizade, entre Brasil e Paraguai.

“Nesta área de inteligência é preciso construir confiança para dividirmos as informações e isso é um trabalho constante. Nada melhor para a construção da confiança do que manter o contato pessoal, estar junto e olhar no olho das pessoas”, afirmou Joaquim Silva e Luna.

De acordo com ele, a empresa aproveita a sua reputação e seu peso institucional para ajudar a criar os vínculos entre as instituições. “Na Itaipu, o ambiente de cooperação não é opção, é impositivo. Precisamos trabalhar juntos, trocando informações e inteligência.”

O encontro reuniu representes das Forças Armadas; dos órgãos de segurança pública, como Polícia Federal, Rodoviária, Civil, Militar e Ambiental; além de Receita Federal, Corpo de Bombeiros, Departamento de Trânsito (Detran), Núcleo Especial de Polícia Marítima (Nepom) e a Agência Brasileira de Inteligência (Abin).