IPCA de dezembro é o menor para o mês desde o início do Plano Real

450

Daniela Amorim (AE)

A alta de 0,15% na inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) em dezembro foi o resultado mais baixo para o mês desde a implantação do Plano Real, em 1994, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
Como consequência, a taxa acumulada em 12 meses desacelerou de 4,05% em novembro para 3,75% em dezembro. Trata-se da taxa mais baixa em 12 meses desde maio de 2018, quando estava em 2,86%.
O resultado de dezembro ficou dentro do intervalo das estimativas dos analistas ouvidos pelo Projeções Broadcast, que previam desde uma queda de 0,05% a uma alta entre 0,23%, com mediana positiva de 0,12%.
A taxa acumulada pela inflação no ano de 2018 foi de 3,75%, dentro das projeções dos analistas, que iam de 3,54% a 3,82%, com mediana de 3,70%.

Alimentos
O grupo Alimentação e Bebidas registrou aumento de preços de 0,44% em dezembro, após a alta de 0,39% em novembro.
O grupo Alimentação, que responde por cerca de 25% das despesas das famílias, passou de um impacto de 0,10 ponto porcentual para a inflação de novembro para 0,11 ponto porcentual no IPCA de dezembro. O grupo teve o maior impacto na inflação, responsável por mais de dois terços da taxa de 0,15% registrada em dezembro.
Os preços dos alimentos para consumo no domicílio cresceram 0,50% em dezembro, após terem subido 0,34% em novembro.
As famílias pagaram mais em dezembro por cebola (24,03%), batata-inglesa (20,05%), feijão carioca (12,98%), frutas (3,11%) e carnes (2,04%). Por outro lado, ficaram mais baratos o leite longa vida (-7,73%), pão francês (-1,31%) e arroz (-1,19%).
A alimentação fora de casa desacelerou o ritmo de alta, passando de aumento de 0,49% em novembro para 0,33% em dezembro.