IPC de Curitiba sobe 0,28% na última quadrissemana de fevereiro

314

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) de Curitiba, calculado pelo Ipardes, teve aumento de 0,28% na apuração da última quadrissemana de fevereiro, correspondente ao fechamento do mês. O contraste frente aos valores negativos observados nas quadrissemanas anteriores se deve, principalmente, à aceleração em grupos como Alimentação e Bebidas, Vestuário e Comunicação.

Essa ascensão do IPC também é constatada na comparação com os resultados anteriores de janeiro de 2019 (-0,41%) e de fevereiro de 2018 (-0,18%). Com essa trajetória, o índice acumulado nos últimos 12 meses alcançou a taxa de 3,80%. Entretanto, por conta da variação negativa de janeiro, o índice acumulado durante o ano é de -0,13%.

O avanço do IPC mensal refletiu aumentos em cinco dos nove grupos de despesas. A maior alta foi de 1,66%, em Alimentos e Bebidas, com destaques para reajustes de preços em feijão-preto (28,73%), alface (49,67%), batata-inglesa (35,41%), e ovo de galinha (24,80%).

Na sequência, o grupo Vestuário teve alta de 1,10% devido, principalmente, às variações de 4,02% em terno e de 3,88% em calça comprida feminina. Por outro lado, os preços de tênis adulto e sapato e bota masculinos caíram 3,57% e 1,56%, respectivamente.

Os serviços de telefone fixo residencial, com reajuste médio de 2,02%, resultaram na principal influência sobre o aumento de 1,13% do grupo Comunicação. Já a alta de 4,19% em perfume contribuiu para a aceleração de 0,28% do grupo Saúde e Cuidados Pessoais.

Movimento inverso foi observado em Despesas Pessoais, com retração de 0,27%, correspondendo às influências de pacotes turísticos nacionais (-4,03%), empregada doméstica (-2,24%) e pacotes turísticos internacionais (-3,20%).

Da mesma forma, o grupo Transporte apresentou queda de 0,43%, correspondendo à segunda maior contribuição na formação da taxa do IPC. Nesse segmento, as influências foram os decréscimos de 23,59% em passagem aérea, 13,48% em tarifa de ônibus interestadual, 3,11% em IPVA, 0,76% em gasolina comum e 4,38% em seguro voluntário de veículo.

Os destaques de alta para o grupo foram automóvel nacional usado (0,43%), conserto de veículo (2,30%), automóvel importado zero km (1,83%) e automóvel nacional zero km (0,49%).

O pequeno decréscimo de 0,05% em Artigos de Residência esteve atrelado aos preços menores de televisão (-2,80%) e conjunto estofado (-6,21%). Entre os demais resultados, verificou-se estabilidade, com o grupo Habitação, variando em 0,01%, e Educação, com leve retração de 0,02%.

Confira a tabela completa do IPC de Curitiba, segundo grupos de produtos/serviços (fevereiro 2019).