A projeção de analistas de instituições financeiras para a inflação, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), passou por um leve ajuste e ficou em 5,8% este ano. Na semana passada, estava em 5,81%. Para 2014, a estimativa segue em 5,8% há três semanas. As estimativas estão acima do centro da meta de inflação, de 4,5%, e abaixo do limite superior de 6,5%.

Com a decisão do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC) de elevar a taxa Selic em 0,5 ponto percentual, na semana passada, as instituições financeiras elevaram a projeção para os juros básicos ao final do ano, de 8,25% para 8,5% ao ano. A decisão do Copom surpreendeu muitos analistas que esperavam por aumento de 0,25 ponto percentual. Atualmente, a Selic está em 8% ao ano. Para o final de 2014, a estimativa segue em 8,5% ao ano.

A taxa básica de juros é usada pelo BC como instrumento para calibrar a inflação, que tem apresentado alta no país.

A pesquisa do BC também traz a mediana das expectativas para a inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (IPC-Fipe), que permanece em 4,92%, este ano, e em 5%, em 2014.

A projeção para o Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI) segue em 4,36%, este ano, e em 5,1%, em 2014. Para o Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M), a estimativa foi ajustada de 4,4% para 4,27%, em 2013, e de 5,28% para 5,3%, em 2014.