O simples ato de ir a um supermercado tornou-se um pesadelo para os cidadãos de todas as classes, principalmente aos que ganham menos. Praticamente todos os produtos subiram de preço e continuam em elevação. Está complicado comprar o que é básico para uma boa alimentação e para os cuidados gerais com a casa. Numa simples ida ao mercado para adquirir poucos itens gasta-se mais de cinquenta ou quase cem reais. A situação chega a ser ridícula e desesperadora. E não apenas a comida está comprometida, como também outros produtos essenciais à vida cotidiana, como os combustíveis.

De acordo com informações divulgadas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de maio variou 0,13% e ficou 0,44 ponto percentual abaixo da taxa de abril (0,57%). Esse foi o menor resultado para maio desde 2006 (0,10%). O IPCA é a inflação oficial do país. Em maio de 2018, a taxa havia sido de 0,40%. A variação acumulada no ano ficou em 2,22% e em 12 meses chegou 4,66%, abaixo dos 4,94% registrados nos 12 meses imediatamente anteriores. Apesar do alívio, os preços ainda continuam causando uma pressão considerável. É preciso mudar esse panorama, pois se a economia continuar como está, a vida do cidadão continuará cada vez mais complicada.

COMPARTILHAR
AnteriorDesdobrando o pacto
PróximoCharge 10-06-2019