Impossível não sentir

350

Ao falar sobre a tragédia ocorrida no município de Brumadinho, em Minas Gerais, onde uma barragem administrada pela empresa Vale se rompeu e deixou a cidade soterrada por rejeitos de mineração, a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, disse que é muito difícil “não se emocionar” diante dos relatos dos parentes das vítimas do desastre. “Não é possível não sentir essa dor. Não é possível ignorar que tem mais de 400 pessoas nessa situação de desaparecimento e, portanto, pessoas que têm parentes, que têm amigos, que são brasileiros como nós. É muito difícil ouvir todo esse relato e não se emocionar”, disse Raquel, sem conter as lágrimas.

Ela está certa! Aliás, é exatamente isso que falta para muitos brasileiros, talvez a maioria. É preciso sentir a dor. É preciso se emocionar. É preciso ser solidário à dor do outro, colocar-se no lugar de quem sofre, de quem perde um parente ou às vezes a família toda, e não apenas em situações pontuais como essa de Brumadinho, mas no dia a dia, quando centenas são assassinados pelo crime ou perecem nas filas do SUS. É isso que falta ao povo e principalmente às autoridades e empresários que estão no topo do poder, seja num cargo público ou no alto escalão de uma grande empresa. É preciso se importar mais com a vida do outro.