O imperador Akihito, do Japão, iniciou uma série de rituais que conduzirão à sua abdicação no dia 30 de abril.

As primeiras cerimônias foram realizadas, na terça-feira, em três santuários situados no recinto do Palácio Imperial, em Tóquio.

Vestindo um antigo traje da corte, Akihito esteve primeiramente no santuário principal, chamado de Kashikodokoro.

O imperador se curvou e leu em voz alta um antigo texto para relatar sua abdicação e a data em que ela ocorrerá para a ancestral da família imperial Amaterasu-omikami, a Deusa do Sol, que é venerada no local.

Posteriormente, Akihito desempenhou dois rituais similares nos outros dois santuários, Koreiden e Shinden, que são dedicados às almas de ancestrais da família imperial e também a diversas divindades japonesas.

A Agência da Casa Imperial afirmou que planeja realizar uma série de rituais de abdicação de modo discreto e solene.

Ao contrário dos rituais de ascensão ao trono, o primeiro-ministro e os chefes do Legislativo e Judiciário não estiveram presentes aos rituais de terça-feira.

Com NHK