Ibovespa segue melhora global e retoma os 118 mil pontos

335

O principal índice da bolsa paulista subiu ​nesta quarta-feira, acompanhando a recuperação dos mercados no exterior, favorecido pela trégua nas fortes perdas no setor bancário.

Segundo dados preliminares de fechamento, o Ibovespa fechou em alta de 0,99%, a 118.179,79​ pontos. Os ganhos foram liderados por Usiminas ​, que subiu 13,4%, e as perdas por Marfrig , em baixa de 2,8%.​>

Entre as ações com maior participação no Ibovespa, Itaú Unibanco evoluiu 0,60%, Bradesco teve ganho de 0,33%. Banco do Brasil teve valorização de 0,50% e Santander Brasil cedeu 0,09%.

Vale fechou em alta de 0,39% e Petrobras PN teve perda de 0,71%, enquanto Petrobras ON caiu 0,29%.

Com o desempenho da​ sessão, o Ibovespa tem valorização de 1,9% no ano. O índice está 14% acima da média dos últimos 200 dias de negócios. Nas últimas 52 semanas, o índice avança 24%.

Dólar tem maior queda de 2020 e volta a R$ 4,17 com alívio externo

SÃO PAULO (Reuters) – O dólar teve nesta quarta-feira a maior queda percentual diária de 2020, voltando à casa de 4,17 reais em ajuste depois de na véspera ter fechado acima do patamar psicológico de 4,20 pela primeira vez desde o começo de dezembro.

A queda do dólar no Brasil nesta sessão espelhou o movimento contra outras divisas emergentes, em dia de alívio nos mercados globais pelo entendimento de que a China está empenhada em conter o surto de um novo vírus que já matou 17 pessoas no país asiático e infectou mais de 540.

O dólar à vista fechou em queda de 0,71%, a 4,176 reais na venda.

É a maior desvalorização percentual diária desde 30 de dezembro do ano passado (-0,91%).

Na B3, o dólar futuro tinha baixa de 0,85%, a 4,1790 reais.