A gigante chinesa de tecnologia Huawei anunciou que está processando judicialmente o governo dos Estados Unidos (EUA) pela proibição oficial de que órgãos federais adquiram seus produtos.
O presidente em exercício do Conselho de Administração, Guo Ping, e outros dirigentes da Huawei comunicaram o início do processo, durante entrevista coletiva ontem, na sede do conglomerado, na cidade chinesa de Shenzhen.
Guo Ping explicou que o objetivo é questionar a constitucionalidade de um artigo da Lei de Autorização da Defesa Nacional, que foi promulgada no ano passado.
O artigo proíbe órgãos do governo federal de usar qualquer equipamento fabricado pela Huawei. Os Estados Unidos dizem que a medida tem o objetivo de prevenir vazamentos de informações confidenciais.
O presidente da Huawei informou que a petição judicial, apresentada na quarta-feira em um tribunal federal no Texas, pede a revogação do artigo.
Guo Ping afirmou que os EUA não apresentaram nenhuma prova capaz de justificar as restrições aos produtos Huawei, e que a lei foi promulgada sem dar chance de defesa ao conglomerado. Acrescentou que o artigo viola direitos da empresa e, no fim das contas, é prejudicial aos consumidores americanos.
Recentemente foi divulgado que a executiva-chefe da Huawei, Meng Wangzhou, ingressou com ação para obter indenização do governo do Canadá e outras entidades, com o argumento de ter sido interrogada injustamente antes de ser detida em dezembro.