O governador Ratinho Junior elogiou o desempenho do chefe da Casa Civil, deputado Guto Silva (PSD), no Governo do Estado. “ (O Guto Silva) tem sido um baita de um secretário sem dúvida nenhuma. Ele tem a responsabilidade de coordenar todas as secretarias, fazer o link com a Assembleia Legislativa e colocar esses programas que nós vamos planejando em pé. Tem dado certo”, disse Ratinho Junior.

Ratinho Junior destacou ainda a experiência do chefe da Casa Civil e sua vivência em outros países como Inglaterra e Portugal. “Ele tem uma cabeça de mundo que é muito importante e que é o que nós estamos passando e querendo implantar no Paraná. Quero agradecer ao Guto Silva, ao seu talento, de fazer desse Paraná o estado mais moderno e inovador desse país”, disse o governador.

Centro contábil
A Penitenciária Estadual de Piraquara, na região metropolitana de Curitiba, foi convertida por lideranças do PCC (Primeiro Comando da Capital) no centro contábil da facção. É do presídio que ao menos dois chefes do PCC elaboram planilhas e verificam a arrecadação da quadrilha, que surgiu em São Paulo na década de 1990 e hoje tem membros espalhados por todo o país.

20 anos
A Fundação Osvaldo Cruz (ICCFIOCRUZ), comemorou vinte anos de atuação no Paraná. E, por consequência, o Instituto Carlos Chagas, comemora uma década de relevantes serviços aos paranaenses. A solenidade aconteceu na Cidade Industrial de Curitiba, com a presença do vice-governador Darci Piana.

Gleisi desabafa

Em pouco mais de dois anos, a deputada federal Gleisi Hoffmann (PT-PR) testemunhou o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT), a prisão do líder maior do seu partido e a derrota nas urnas que escancarou uma força antipetista no país. Enquanto o PT enfrentava sua maior crise, Gleisi entrou para a lista de investigados da Operação Lava Jato, trocou o Senado pela Câmara, se tornou a primeira mulher a assumir a presidência do Partido dos Trabalhadores e se separou do ex-ministro Paulo Bernardo, com quem estava casada desde 1998 e com quem tem dois filhos, de 17 e 13 anos.

Fundo eleitoral

O relator da LDO na Comissão Mista de Orçamento, deputado Cacá Leão (PP-BA), modificou o trecho da proposta enviada pelo governo que trata da destinação de recursos para o Fundo Eleitoral para as eleições municipais de 2020. Segundo ele, o texto original do Executivo não estabelecia limite para os repasses. Em seu parecer, Cacá Leão definiu teto de 0,44% da Receita Corrente Líquida (RCL) deste ano, equivalente a R$ 3,7 bilhões.

Eduardo aprovado

O presidente Bolsonaro indicou que deve enviar o nome de Eduardo ao Congresso no início da semana que vem. “Pode ser segunda, terça”, disse. Antes de assumir o posto, Eduardo Bolsonaro precisa passar por uma sabatina na Comissão de Relações Exteriores. Ao final da sabatina, o colegiado submete a indicação à votação secreta. A indicação também precisa ser votada no plenário do Senado.

STF rejeita ação do PSL

Em um julgamento com recados ao presidente Jair Bolsonaro e à bancada conservadora do Congresso, o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu nesta quinta-feira, 8, rejeitar por unanimidade os pedidos formulados pelo PSL para suspender dispositivos do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), em vigor desde 1990. O partido de Bolsonaro questionava o atendimento da criança infratora por conselho tutelar e contestava a possibilidade de internação de jovens só quando houver grave ameaça ou violência ou quando infrações graves forem reiteradas. Com informações do Terra.

Eike Batista manipulou

Investigação do Ministério Público Federal (MPF) revela que o empresário Eike Batista, preso na manhã de hoje (8) na Operação Segredo de Midas, manipulou bolsas de valores no Brasil, Canadá, Estados Unidos e Irlanda. Os crimes que teriam sido praticados entre 2010 e 2015 foram explicados pelo procurador da República, Almir Teubl Sanches. As investigações, segundo ele, foram possíveis graças aos acordos de delação premiada firmados com executivos da gestora de recursos Opus Investimento, incluindo o sócio-fundador Eduardo Plass.

LDO prevê reajuste

A Comissão Mista de Orçamento (CMO) aprovou o projeto de lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para 2020. O texto ainda precisa ser aprovado em sessão conjunta do Congresso Nacional antes de seguir para a sanção do presidente Jair Bolsonaro Constitucionalmente, deputados e senadores deveriam ter aprovado a LDO pelo Congresso antes do recesso legislativo. No entanto, o recesso, que começaria dia 18 de julho, foi antecipado após a conclusão da votação do primeiro turno da reforma da Previdência sem a análise do parecer na CMO.

Cala-te boca

Depois de ter celebrizado a expressão “conje”, o ministro Sérgio Moro, da Justiça e Segurança Pública, por ocasião do 13º aniversário da Lei Maria da Penha, disse que “hoje, os homens se sentem intimidados pelas mulheres e partes deles recorre, infelizmente, à violência”. Foi o suficiente para ficar debaixo de fogo cerrado. O mínimo que entidades de defesa das mulheres lhe ofereceram foi que “ele perdeu uma grande chance de ficar calado”.

Na esteira do tropeção de Moro, a Ministra Damares Alves, especialista em frases descabidas, foi além: “Me permitam mandar um recado para agressores de mulheres; acabou a palhaçada no Brasil!”. Primeiro, porque está longe de acabar a fúria sanguinária contra mulheres: 4.254 feminicídios no país no ano passado, fora agressões que podem chegar à desfiguração das mulheres (e até amputação de membros). Segundo, porque esse trágico quadro nacional está longe de ser “uma palhaçada”.

“Interdição”

O jurista Miguel Reale Jr., um dos autores do impeachment de Dilma Rousseff, acha que agora o caso de Bolsonaro é de “interdição”. Considera o que vê e escuta “um quadro de insanidade dos mais absolutos” e recomenda reunir junta médica. Ao mesmo tempo, grupo de psicólogos e psiquiatras da Universidade Federal de São Paulo (já fizeram o mesmo com Lula, no passado), examinando uma coleção de atos e falações do Chefe do Governo, estimam que possa ser mesmo “caso de interdição”.

Imoralidade

A Febraban continua estampando nos jornais propaganda de página dupla anunciando a segunda edição do livro Como fazer os juros serem mais baixos no Brasil, onde só defende maiores generosidades às instituições financeiras como forma de alcançar a sonhada redução dos juros. De novo, a Febraban não apresenta qualquer medida que os bancos possam tomar e enquanto isso, juros do cheque especial e cartões de crédito giram em torno de 300% ao ano, uma imoralidade.

Festa de nudez

A nova série Shippados, de Fernanda Young e Alexandre Machado, em exibição através do Globloplay, é uma verdadeira festa de nudez – frontal e au grand complet. Tatá Werneck participou de diversas cenas e ficou impressionada: parecia um campo de nudistas. No ar, as partes estratégicas mereciam borrões digitais.

Almanaque

Para quem tem memória curta: Fernanda Young, autora de Shippados (divide com o marido Alexandre Machado), apareceu toda nua num ensaio publicado em Playboy em 2009. Não era exatamente um ensaio erótico: parecia mesmo uma apologia às tatuagens dela. Foi uma das primeiras a tirar a roupa por empoderamento.

Tirando o sono

Os vídeos e as fotos publicados nesses dias, depois da aprovação da reforma da Previdência em segundo turno, mostrando Rodrigo Maia, presidente da Câmara, sendo abraçado (e considerado “o grande autor da proeza”) por Paulo Guedes e aplaudido por Onyx Lorenzoni, que não trabalhou nem um pouco para esse resultado, tirou o sono de Bolsonaro. Queria estar no lugar de Maia e sabe agora a quantidade de poder que ele ganhou.

Esforço fiscal

O ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, disse que está otimista para a aprovação do projeto de lei que trata da aposentadoria militar. Disse que é necessário que os militares também contribuam para a economia do Brasil. “Torna-se urgente e necessária a reestruturação da carreira militar e também faremos uma reforma no Sistema de Proteção Social, contribuindo com o esforço fiscal”.

Sem radicalismo

O presidente Jair Bolsonaro afirmou que existem pelo menos cinco nomes (fortes) na disputa para ocupar a Procuradoria-Geral da República, entre eles o da atual procuradora Raquel Dodge. E avisa que busca um nome que trate a questão ambiental sem radicalismo.

Afronta

Quando acusa governadores do Nordeste de querer a divisão do país, quando na verdade é ele mesmo que alimenta a desunião quando brinda os governadores da região com expressões preconceituosas e diz que o do Maranhão não receberá nada dele, Jair Bolsonaro afronta a Constituição que, em seu artigo 78, diz que o presidente tem o compromisso de “sustentar a união e a integridade” do Brasil. Ele não está preocupado com isso. “Quem manda aqui sou eu, eu sou o presidente” – e levanta sua Bic como se fosse uma metralhadora.

Excessos de Bolsonaro

O presidente Jair Bolsonaro que todos os jornalistas estariam presos se “excesso jornalístico desse cadeia”. A fala do presidente foi acompanhada de aplausos de apoiadores, que o aguardavam na porta da residência oficial da Presidência. Ele não detalhou a que se referia ao falar em “excesso jornalístico”, mas são constantes em suas falas afirmações em tom crítico ao trabalho da imprensa. A declaração foi feita pelo presidente depois de Moro explicar em que consistia o projeto de excludente de ilicitude apresentado por ele ao Congresso.

A proposta faz parte do pacote anticrime, considerado prioridade do Ministério da Justiça, mas que enfrenta resistência dos parlamentares. Moro estava explicando aos repórteres que o texto tem como objetivo retirar “excessos” de punições em alguns crimes. Ele citou como exemplo o caso da modelo Ana Hickmann, apresentadora da TV Record que foi atacada por um homem que se dizia seu fã em um hotel em Belo Horizonte, em 2016. O responsável pelos ataques acabou morto – depois de efetuar disparos – por reação do cunhado da apresentadora. Ele se referia ao fato de o cunhado ter de responder a um processo por ter matado o responsável pelo ataque.

Ilicitudes

“A proposta [de excludente de ilicitude] que existe no projeto é bastante específica. Esse caso que foi mencionado pelo presidente envolvendo aquela famosa atriz, modelo, é um caso característico. Aquela pessoa não pode ser tratada como assassina, defendeu a família. As pessoas não são máquinas, eventualmente podem ali cometer algum excesso. Não tem nenhuma extravagância nisso”, disse Moro.

À tarde, Bolsonaro postou mensagem em seu perfil no Twitter sobre o tema.

“Queremos tirar o ‘excesso’ do Código Penal, afinal atirar num bandido duas ou mais vezes deve ser motivo de comemoração (sinal que o policial está vivo), e não de condenação. Já os excessos dos jornalistas…”, escreveu.

Desenlace

Diplomatas com maior carreira e melhor cérebro já antecipam o que acontecerá com o Fundo da Amazônia que o ministro Ricardo Salles, do Meio Ambiente, insiste em comandar: acabará expirando com a retirada da Noruega e suas grandes doações a entidade. Salles prefere essa alternativa do que discordar com Bolsonaro – e arriscar a perda de sua cadeira.

Sala especial

O Supremo foi rápido quando suspendeu a mudança de Lula da sala-cela da Superintendência da PF de Curitiba, autorizada pela juíza Carolina Lebbos. Fora a expectativa do habeas corpus (mais um) impetrado pela defesa do ex-presidente, sonhando com sua liberdade em decorrência de ações do ex-juiz Sérgio Moro, Lula também exigiria uma Sala Especial de Alto Comando em São Paulo. No caso de Lula é um espaço com mesa, cadeira, cama, banheiro com chuveiro quente e vaso sanitário, pia e esteira. Frigobar ele não conseguiu até agora.

Memória

Com o fim do Instituto e Conselho do Cinema, em 1974, a Embrafilme passou a bancar o cinema brasileiro com dinheiro público. O então neopetista, Celso Amorim que pretendia ser cineasta, presidiu a Embrafilme durante a ditadura militar e – quem diria – no governo Lula virou ministro da Relações Exteriores. Quando acabou a farra, voltou a sonhar em produzir e dirigir filmes – e ficou no sonho.

Abstenção

O deputado federal Alexandre Frota (PSL-SP) se absteve de votar no segundo turno da reforma da Previdência. Queria mandar um recado a Bolsonaro que, na véspera, pediu seu afastamento da vice-liderança do partido e da coordenação da reforma tributária (ainda não válida). E Frota também perdeu o controle do PSL em Cotia (SP), onde mora.

Não desiste

Empolgado pela aprovação da Nova Previdência na Câmara, o ministro Paulo Guedes resolveu não desistir e incluir a capitalização no projeto no Senado, mesmo sabendo que as chances não lhe serão favoráveis. A maioria dos senadores estão entupidos de informações de que a capitalização da Previdência não deu certo em todo o mundo – e até em algumas investidas em cidades pequenas do país.

Juntos

O que parecia impossível aconteceu na votação do Supremo contra a remoção do ex-presidente Lula: Gilmar Mendes e Luís Roberto Barroso ficara do mesmo lado e o recurso da defesa foi acatado por ampla maioria: 10 a 1. Nos bastidores, Cármen Lúcia brincou e disse que “a nova dupla” merecia até um champanhe.

Sem aumento

Em seu depoimento o ex-ministro Antonio Palocci revelou quem a Ambev fazia “pagamentos indevidos” aos governos do PT, Lula e Dilma Rousseff, para impedir o aumento dos impostos sobre as bebidas alcoólicas. É a primeira vez que o nome da multinacional de bebida aparece citado na Lava Jato.

Johnny Bravo

Em mais uma reação não aceitando críticas à nomeação do filho como embaixador, Bolsonaro resolveu referir-se a si mesmo como “Johnny Bravo”, personagem de desenho animado na televisão dos anos 90. Era uma figura egocêntrica – e nem um pouco inteligente. Nem assessores (os mais jovens menos ainda) se lembravam da figura que tinha super topete louro e óculos escuros. Mais: no mesmo acesso de fúria, Bolsonaro soltou uns gritos de “porra!” no microfone, o que incomodou até seus fanáticos seguidores.

Olho em Boston

Boston é hoje a cidade norte-americana que abriga maior colônia de brasileiros (450 mil imigrantes), superando em cerca de 50 mil Flórida e Nova York que abrigam 400 mil. Em Boston, esse aumento cria problemas: o consulado, em vez de ajudar, resolveu reduzir horas de atendimento (agora, só três horas diárias). E só tem WhatsApp e e-mail, nada de telefone. O único telefone que funciona é para desaparecimentos ou mortes. Qualquer documento, o tempo de espera é de dois meses.

Prevenção e combate

O grupo J&F vai fazer um evento sobre compliance, com palestras que tratam de prevenção e combate à corrupção no próximo dia 16. Participam especialistas ligados a empresas como Odebrecht, Deloitte e KPMG. Entre os painelistas, Leandro Daiello, ex-diretor-geral da Polícia Federal.

Exemplo

A história da (não) transferência do ex-presidente Lula da sala-cela da Superintendência da PF de Curitiba para São Paulo, possivelmente para Tremembé, movimentou as mídias eletrônicas e as redes sociais. De um lado, os que defendiam sua remoção para São Paulo; de outro os favoráveis à sua permanência lá. Entre os que defendiam a permanência, estava o ex-prefeito de São Paulo e candidato derrotado ao Planalto Fernando Haddad que usou o também ex-presidente Michel Temer como exemplo de sua defesa, ao lembrar que Temer teve direito a cela especial quando foi preso. “Lula também é ex-presidente e não pode ser tratado como um preso comum”.

Ainda não

Ainda não emplacou o programa jornalístico matinal do SBT, Primeiro Impacto, apresentado por Dudu Camargo e Marcão do Povo. Dudu Camargo, à propósito, foi vítima dos 88 anos de Silvio Santos, patrão e apresentador, que no ar, lhe perguntou “se ele gostava de pinto” (era uma metáfora), o que conseguiu infernizar a vida do funcionário nos bastidores da emissora.

Quem manda

No episódio da transferência de Lula, o Supremo agiu rápido, como uma corte política: cancelou tudo e passou o caso Lula à frente de milhares de outros só para anular a decisão da juíza Carolina Lebbos. De quebra, segundo observadores mais lúcidos, ministros mal disfarçavam a intenção de “mandar recado” ou fazer uma advertência à Lava Jato, mostrando “quem manda no país”.

Traidores

O presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, em nota afirmou que os 10 deputados da sigla que votaram a favor da reforma da Previdência no segundo turno “devem explicações aos brasileiros”. Nada de advertência ou expulsão, nada que reduza a bancada e na sequência, a votação anual partidária.

Cabeça raspada

Enquanto acompanhava a movimentação de processos e da proibição de sua transferência para São Paulo, o ex-presidente Lula imaginava na sala-cela da Policia Federal em Curitiba, que poderia ser transferido para um presídio comum (não tem curso superior) e até ter seus (poucos) cabelos raspados à máquina, além de ser obrigado a usar uniforme.

A menor

A inflação registrada no mês de julho foi de 0,19%. É a menor taxa para o mês dos últimos cinco anos. A taxa acumulada em 12 meses é de 3,22%.

Agradecimento.

Ainda sobre a possível transferência de Lula para São Paulo: a presidente do PT, Gleisi Hoffman foi uma das mais dedicadas a permanência do ex-presidente em Curitiba. Depois da confirmação de que ficaria na sede da PF, Gleisi agradeceu ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia pela interferência junto ao presidente do STF, Dias Toffoli, que recebeu alguns deputados para uma reunião antes da decisão final.

Terá a chance

Ainda sobre Gleisi Hoffmann: antes de decisão a presidente do PT e o governador de São Paulo trocaram farpas pelas redes sociais. Gleisi alegava que a vida de Lula seria colocada em risco numa prisão em São Paulo “sob o comando da polícia de João Doria”. E Doria não deixou por menos e respondeu: “Inclusive, se o seu companheiro Lula, se desejar, terá a oportunidade de fazer algo que jamais fez na vida: trabalhar!”.

Frases

“Se o excesso jornalístico desse cadeia, todos vocês estariam presos agora, tá certo?”

Jair Bolsonaro ao lado de Sergio Moro