O governo japonês decidiu cortar o uso de produtos de plásticos em cafeterias e lojas dentro de cerca de 200 órgãos e instituições afiliadas ao governo, tais como universidades nacionais, a partir do ano fiscal de 2019, que tem início em abril.

A decisão tem como objetivo reduzir a quantidade de dejetos de plástico nos oceanos. Ela foi tomada quando as diretrizes para a assinatura de contratos entre o governo e operadoras de cafeterias e lojas estavam sendo revisadas.

Será pedido às operadoras de cafeterias que se evite o uso de talheres e recipientes descartáveis de plástico. No entanto, podem-se excetuar casos de serviço para portadores de deficiências.

Os donos de lojas de conveniência e demais varejistas serão exortados a deixar de fornecer sacolas plásticas, além de canudos e colheres de plástico.

O governo afirma que só irá assinar contratos com entidades capazes de atender os novos padrões, que entrarão em vigor em abril.

O ministro do Meio Ambiente, Yoshiaki Harada, declarou que as novas diretrizes serão rigorosamente aplicadas. Ele expressou esperança de que a campanha do governo nacional incentive autoridades provinciais, municipais e diversos setores industriais a também tomarem ação.

Com NHK