General Heleno alerta para possível perda de área do Brasil

437

General Heleno, entrevistado no Globo News

Por mais afiados que estivessem para enfrentar com gana o entrevistado da noite de quarta, 2, os jornalistas da Globo News mostraram-se receptivos ao general Heleno, chefe do GSI, que foi responsável por uma das entrevistas mais esclarecedoras sobre aspectos diversos do Governo Bolsonaro.

Acho que a simpatia do general, que comandou nossas tropas no Haiti, e seu longo currículo de 45 nos no Exército, servindo em regiões difíceis – como a Amazônia, que conhece em detalhes -, ajudaram a tornar interessante a conversa de uma hora.

Ele, tido como conselheiro privilegiado do presidente, não fugiu de temas difíceis, como o do ‘amigo Queiroz’, envolvido nas nebulosas transações financeiras em conta corrente, tema de apuração do COAF.

SÓ EM INGLÊS

Impossível não anotar: Heleno contou que, de certa feita, em missão no Amapá e Norte do Pará, para conhecer a realidade indígena, deparou-se com uma situação no mínimo risível: o tuxauá, o chefe, chamado para conversar com o general, avisou: não falava português. Só inglês.

SÓ EM ALEMÃO

Isso, mais ou menos parecido, enfrentei em 1967, quando estive em contato com os índios tiriós (trabalhava para a Revista Esso), Norte do Pará, fronteira com o Suriname. Numa das tribos, a língua dominante era o alemão, resultado de anos de trabalho de missionários franciscanos na área. Quem não falasse alemão…

NOVAS TRIBOS

Já quem se interessa mesmo pelo tema indígena, há que se lembrar: a ONG Novas Tribos (New Tribes), de origem americana, supostamente composta por missionários protestantes americanos que faziam tradução do Novo Testamento para línguas nativas. Atuou por anos na Amazônia.

Pois os ditos missionários – muito mais linguistas do que pastores -, cobriram nos anos 70/80 parte da Amazônia. Muitas vezes sob suspeita de estarem fazendo um mapeamento de nossas riquezas minerais, em tempos em que tais levantamentos não contavam com satélite. Para alguns, não passariam de agentes da CIA.

A situação das Novas Tribos gerou muitas denúncias de que estariam espionando no Brasil e não evangelizando. A tal ponto que o então presidente João Figueiredo as expulsou do país.

BRASIL SOB AMEAÇA

General Heleno acha que os índios brasileiros estão mal atendidos pelo poder público. E que muitas ONGs “fazem a festa” em torno deles, com objetivos não muito claros.

Alertou: o Brasil pode perder uma boa fatia de território, desde que, numa das reservas demarcadas, os indígenas resolvam proclamar “a independência” do seu território. Há decisões da ONU que, disse, respaldam essa possibilidade.

Missão Novas Tribos na Internet

Registros de oferendas

Sinto-me ‘obrigado’ a agradecer a alguns amigos que me presentearam com ‘regalitos’ de raro valor, no Natal. Fico apenas nos presentes do domínio cultural, como o precioso volume ‘T.S.Eliot Poemas’, que René Dotti me entregou com dedicatória preciosa. Histórica.

O volume, capa dura, edição da Companhia das Letras, resulta de organização, tradução e posfácio do curitibano Caetano Waldrigues Galindo, nome hoje associado à edição de grandes obras da literatura mundial no país.

REGISTRO DE OFERENDAS (2)

Da jornalista e afilhada muito querida Michelle de Cerjat recebi outra preciosidade, que não está entre os best-sellers: o livro “Jimmy Carter – Memórias Espirituais”.

O original inglês desse impressionante itinerário de vida do trigésimo nono presidente dos Estados Unidos – campeão dos direitos humanos e do atendimento aos pobres do mundo -, “Living Faith”, foi editado em Nova York, em 1996 pela Times Books.

A tradução para o português é de Eduardo Pereira e Ferreira, jornalista que comigo começou a trabalhar quando ainda estudante da UFPR, no jornal Indústria e Comércio. Foi secretário de Redação ainda sem estar graduado, num pulo que suas excepcionais qualidades profissionais explicam.

Eduardo, que fez curso de tradutor na Escócia, logo depois de 1996 entraria no Instituto Rio Branco. Está na carreira diplomática desde então, servindo ao país no Brasil e exterior. Suponho que seja hoje ministro da “carrière”.

REGISTRO DE OFERENDAS (3)

Ainda sobre “Jimmy Carter – Memórias Espirituais”: Acredito que o livro é de todo recomendável aos que, nestes momentos em que o governo Bolsonaro assume, com fortes definições religiosas, querem entender algumas partes do chamado fenômeno religioso. E isso Carter, hoje um histórico nonagenário, ao lado de sua Rosalynd, nos possibilita, mostrando como foi fiel às suas crenças, ficando distante de radicalismos e exclusivismos teológicos. Isso sem deixar de ser um crente fiel ao Evangelho.

É membro de uma igreja batista, denominação religiosa de cunho congregacional. Quer dizer: cada igreja local é independente, não se vincula a outras senão por fidelidade aos mesmos princípios, e em regime de mera colaboração. No geral, as igrejas adotam filiar-se a uma convenção, que não tem poder sobre elas. No Brasil, a convenção mais importante (de que faz parte a Primeira Igreja Batista de Curitiba, por exemplo) é a Convenção Batista Brasileira.

É impressionante quanto o ex-presidente se envolveu, dentro e fora da política partidária, com causas humanitárias. Um dos mais relevantes legados de Jimmy é o Projeto Habitat, que faz mutirões mundo a fora para a construção de casas para populações absolutamente sem teto. No Brasil, o Habitat toma o nome de “Teto”.

Algumas vezes por ano, Carter ainda participa de mutirões do Habitat, mundo afora.

REGISTRO DE OFERENDAS (4)

Fábio Campana, com o seu bom olhar para artes plásticas, me revelou o pintor Roney Belinho, entregando-me quadro que enriquece minha pinacoteca. O artista, carioca residente em Cascavel, começa a ter sua importância reconhecida em Curitiba.

Enfim, fico com assas citações de oferendas natalinas. Os gestos desses amigos citados também expõem a dimensão cultural deles.


Poesia de qualidade para começar 2019

Wasyl Stuparik

Bom começar o ano ouvindo poesia de qualidade interpretada por gente conhecida nossa. É o que sugiro ao apresentar uma pequena mostra de poemas, cuja produção e gravação é obra do incansável Wasyl Stuparyk. É só acessar ao Youtube:

CHEQUE AO PORTADOR

Texto de DANTE MENDONÇA,

Narração de PAULO BRANCO,

Produção de WASYL STUPARYK.

https://www.youtube.com/embed/DoiTosALDxg ou https://www.youtube.com/watch?time_continue=61&v=DoiTosALDxg

NATAL NATAL

Poema de Helena Kolody

CORAL INFANTO JUVENIL MARIA JARDIM DO SENHOR PARÓQUIA FAZENDINHA – CURITIBA – PARANÁ

Regência: MARIA CRISTINA NOGAS

Acompanhamento: BEATRIZ HELENA FURLANETTO

Narração: FELIX MIRANDA

CATEDRAL METROPOLITANA DE CURITIBA

Imagens RIC – TV

Produção: WASYL STUPARYK

https://www.youtube.com/embed/T2y-oOuHFqw ou https://www.youtube.com/watch?time_continue=38&v=T2y-oOuHFqw

AGRADECIMENTO

Poema de Carmen Carneiro

Interpretado por Dom Pedro Fedalto, Arcebispo Metropolitano de Curitiba.

Produção de Wasyl Stuparyk

https://www.youtube.com/embed/8ltkOIbET50 ou https://www.youtube.com/watch?time_continue=21&v=8ltkOIbET50

Chloris Casagrande Justen

ÁGUA CORRENTE / PASSEIO DA SAUDADE

Poemas e Interpretação de CHLORIS CASAGRANDE JUSTEN,

Produção de Wasyl Stuparyk.

https://www.youtube.com/embed/wSL-UT_Bjv4 ou https://www.youtube.com/watch?time_continue=34&v=wSL-UT_Bjv4

PÉROLAS

Texto de ROBERTO PRADO,

Interpretação de IONE PRADO,

Produção de WASYL STUPARYK.

https://www.youtube.com/embed/cXZe1mLpgKo ou https://www.youtube.com/watch?time_continue=24&v=cXZe1mLpgKo

ABENÇÃO EMÍLIO DE MENEZES

Texto e interpretação de JOSÉ APARECIDO FIORI,

Produção de WASYL STUPARYK.

https://www.youtube.com/embed/ym2UR2mM3zM ou https://www.youtube.com/watch?time_continue=18&v=ym2UR2mM3zM

SEM TÍTULO PRECISA

Texto de ISABEL SPRENGER RIBAS,

Interpretação de JOSÉ PLÍNIO TAQUES,

Produção de WASYL STUPARYK.

https://www.youtube.com/embed/ZRa-8EACMyw ou https://www.youtube.com/watch?time_continue=21&v=ZRa-8EACMyw

Cláudia Lopes Bório

DEUSA, LOUCA E PROSTITUTA

Texto e interpretação de Claudia Lopes Borio,

Produção de Wasyl Stuparyk.

https://www.youtube.com/embed/Cxj78krSUtY ou https://www.youtube.com/watch?time_continue=21&v=Cxj78krSUtY

QUIMERA

Texto de MARIAN PELLIZZER

Interpretação de CARLOS DAITSCHMANN,

Produção de WASYL STUPARYK.

https://www.youtube.com/embed/hOedbkSkV64 ou https://www.youtube.com/watch?v=hOedbkSkV64


Moro quer contar com MP para combater crime no Brasil

Sergio Moro

Alçado ao comando do ministério da Justiça, o ex-juiz Sergio Moro quer contar com a expertise de procuradores e promotores dos Ministérios Públicos estaduais no combate ao crime organizado e a facções criminosas que atuam de dentro dos presídios. Para isto, o ministro e representantes do MP já articulam formas de integrar a pasta da Justiça aos procuradores e promotores por meio de “canais eficientes” de troca de inteligência e informações.

Para tratar do tema, Sergio Moro se encontrou no dia 18 de dezembro com Benedito Torres Neto, presidente do Conselho Nacional dos Procuradores Gerais dos Ministério Público dos Estados e da União. A reunião aconteceu no gabinete de Transição no Centro Cultural Banco do Brasil.

Além de Moro e Neto, participaram do encontro outros quatro procuradores gerais de Justiça.

— Foi um primeiro contato onde falamos do alcance do MP no Brasil em termos de capilaridade; são 13 mil promotores e procuradores, de Leste a Oeste. Vamos fazer essa integração para combater essa violência urbana terrível que assola o Brasil e para combater o crime organizado —, afirmou, ao GLOBO, Benedito Torres.

O Conselho colocou à disposição de Moro a cooperação de um “exército de 13 mil promotores e procuradores” que atuam no MPs estaduais.

(O GLOBO)


DOS LEITORES (1)

“Não gosto de fardas, mas…”

Ericoh Morbis

Caro jornalista,

Não gosto de fardas, mas estou gostando como fazem.

Não estamos acostumados a esse tipo de gestão pública:

– Reunião / aula instruindo o que deve, como e quanto ser feito! (dia 26, o dia todo, com mestre da Escola de Gestão)!

– Meta pra 10 dias, 30 dias, 100 dias!

– Prazos/metas com cobrança!

– Nomeações com critérios. E até 10.janeiro!

– Rever o que os caras que saíram fizeram!

– Apresentar tudo que precisa de lei!

– Relatar o que precisa ser revogado!

– Levantar subsídios e propor cortes!

– Reuniões semanais da equipe de ministros com Presidente!

– 11 de abril de2019: reunião para mostrar e discutir relatório dos 100 dias!

– Em 60 dias, amplo levantamento de conselhos, comitês em que o Ministro faça parte. Sugerir fechar alguns e o que ficar tem que ser enxuto! Isso vai dar certo!

ERICOH MORBIZ – ex-líder sindical patronal, Curitiba


DOS LEITORES (2)

“Deus na garganta”

Caro jornalista,

Acho que a tradução daquele salmo (148) que você citou em recente coluna, – “tendo o nome de Deus na garganta e nas mãos espadas de dois gumes” não está correta. Lendo a Vulgata, chega-se à conclusão de que tradução apropriada fala: “Proclamando o nome de Deus na garganta…”

E viva o estado Teocrático.

EMIL MODESTO KLETEMBERG – São Paulo


Protestar em cartório agora não tem custo para quem cobra dívidas

Com a nova lei, todos os valores para a realização do protesto extrajudicial serão pagos pelo devedor

A partir de agora, quem optar pelo protesto extrajudicial em Minas Gerais não precisará desembolsar qualquer quantia para cobrar, via cartório, uma dívida não paga. A mudança, trazida pela lei Nº 23.204, sancionada em 27 de dezembro, pelo ex-governador Pimentel, transfere os custos relativos ao protesto para o devedor, que deverá quitá-los no ato do pagamento do débito.

“Essa legislação é benéfica para o cidadão, pois abre uma nova possibilidade de cobrança legal e sem custos, para quem precisa receber uma dívida não paga”, explica Evérsio Donizete Oliveira, tabelião e presidente do Instituto de Protesto-MG. Segundo ele, a nova norma vai facilitar o processo, principalmente, para quem já estava com o orçamento comprometido devido a falta de um pagamento que era esperado e também para quem depende desses valores para conduzir seus negócios.

DESAFOGAR O JUDICIÁRIO

Evérsio acrescenta que a nova prática trazida pela lei já era válida para protestos de órgãos públicos no estado de Minas Gerais. Com a nova lei, o recurso fica à disposição, também, dos credores privados. “A novidade pode desafogar o judiciário dando vazão a um processo de desjudicialização, a medida em que mais pessoas poderão recorrer ao protesto extrajudicial para cobrar dívidas, e sem precisar fazer qualquer investimento financeiro, evitando o processo judiciário.

Contribuindo para aliviar o número de demandas e processos que circulam nesse âmbito”, ressalta.

PARA PROTESTAR

O Instituto de Protesto-MG, disponibiliza a Central de Remessa de Arquivos Eletrônicos (CRA), um sistema que facilita não apenas o envio e acompanhamento de títulos protestados, mas também ajuda o devedor a regularizar sua situação. A ferramenta tem todas as orientações necessárias para a quitação de débitos. O acesso pode ser feito por meio do https://protestomg.com.br/. Quem preferir, também pode protestar pessoalmente nos cartórios, é necessário apenas ter um título ou documento que comprove a dívida.


Governador nomeia equipe da Segurança Pública

Foram empossados os principais cargos da Polícia Militar, Civil e Polícia Científica. Decretos foram assinados por Carlos Massa Ratinho Júnior na quarta-feira (2).

Governador Carlos Massa Ratinho Junior (Foto: José Fernando Ogura/ANPr)

O governador Carlos Massa Ratinho Júnior nomeou a nova equipe da área de Segurança Pública do Paraná. Os decretos de nomeação foram editados na quarta-feira (02) e listam os nomes que assumem os principais cargos da Política Militar, Civil e Polícia Científica, além do secretário de Segurança, Comando Geral da PM, Polícia Civil e Corregedoria, que já haviam sido indicados antes da posse do governador.

No Comando-Geral da Polícia Militar do Paraná assume o Coronel Péricles de Matos, que chefiava o Comando Regional de Curitiba. O subcomandante-geral é o coronel Antonio Carlos de Morais, que respondia pelo Comando de Maringá. A Chefia do Estado-Maior da Polícia Militar passa a ser ocupada pelo coronel Lanes Randal Prates Marques e a Corregedoria-Geral pelo coronel Ênio Soares dos Santos.

Na Polícia Civil, o novo delegado-geral é Sílvio Jacob Rockembach e Leon Grupenmacher é o diretor-geral da Polícia Científica.

EX-COMANDANTES

Com as novas nomeações anunciadas, a coronel Audilene Rosa de Paula Dias Rocha, ex-comandante-geral da Polícia Militar, e o Coronel Arildo Luis Dias, ex-subcomandante- geral, passam à condição de adidos da Diretoria de Pessoal da PMPR. A mesma função que será assumida pelo ex-comandante da Academia Policial Militar do Guatupê, Coronel Mauro Celso Monteiro.

Conheça os nomeados para comandar a Segurança Pública do Estado Polícia Militar do Paraná

Coronel Péricles de Matos – Comandante-Geral

Coronel Antonio Carlos de Morais – Subcomandante-Geral

Coronel Lanes Randal Prates Marques – Chefe do Estado-Maior

Coronel Ênio Soares dos Santos – Corregedor-Geral

Coronel Eudes Camilo da Cruz – Diretor-Geral de Pessoal

Coronel Maurício César de Moraes – Diretor de Finanças

Coronel Carlos Eduardo Rodrigues Assunção – Diretor de Apoio Logístico

Coronel Antonio Zanatta Neto – Diretor de Desenvolvimento, Tecnologia e Qualidade

Coronel Ronaldo de Abreu – Comandante da Academia Policial Militar do Guatupê, em São José dos Pinhais

Coronel Luiz Roberto Costa – Comandante do 2o. CRPM/Sede, em Londrina

Coronel José Carlos Mazurkievicz Graciano – Comandante do 3o. CRPM/Sede, em Maringá

Coronel Nivaldo Marcelos da Silva – Comandante do 5o. CRPM/Sede, em Cascavel

Tenente-Coronel Renato Luiz Marini Filho – Chefe do Centro Odontológico, em Curitiba

Tenente-Coronel Hudson Leôncio Teixeira – Comandante do 1o. CRPM/Sede, em Curitiba Polícia Civil

Sílvio Jacob Rockembach – Delegado Geral Polícia Científica

Leon Grupenmacher – Diretor-Geral


Onyx: Movimentação financeira suspeita do governo Temer

Onyx Lorenzoni

O ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, afirmou nesta quinta-feira, após uma reunião ministerial com o presidente Jair Bolsonaro, que será feito um pente-fino em todas as nomeações, transferências e movimentações financeiras realizadas nos últimos 30 dias da gestão de Michel Temer. Ele disse que foram detectadas movimentações “incomuns” e que cada ministro vai analisar o que ocorreu na sua área de atuação. O anúncio confirma a promessa de se rever logo no início da gestão os últimos atos do governo Temer.

NADA COMUM

– Fomos além, verificando que houve uma movimentação incomum de nomeações e exonerações nos últimos 30 dias, assim como também houve movimentação incomum de recursos destinados a ministérios nos últimos 30 dias. Foi solicitado que todos os ministros fizessem revisão pasta por pasta quer nomeações, exonerações e transferências, quer sobre a movimentação financeira dos últimos 30 dias, particularmente dos últimos 15 dias, porque causou estranheza e vamos acompanhar. O presidente quer relatório de cada um de pra onde foi o dinheiro, por que isso foi feito e se tem suporte para ter sido feito – disse.

(O GLOBO)