Entre as estreias nacionais da Mostra 2019 do Festival de Curitiba está o espetáculo Relatos Efêmeros da França Antártica, do dramaturgo, diretor e filósofo Francisco Carlos, que conta um episódio da história do Brasil. Para ninar gente grande, a peça trata da tentativa de criação de uma colônia francesa, na baía de Guanabara, perpetrada pelo colonizador Nicolas Durand de Villegagnon no Rio de Janeiro, entre 1555 e 1560.
No palco, ludicamente cenografado por Miguel Aflalo, elenco estão os atores Ondina Clais, Begê Muniz, Conrado Costa, Débora Sttér, Elisa Telles, Gabriel Muglia, Guilherme Leme, Hércules Morais, Lucas Fiorello, Majeca Angelucci, Roberto Borestein e Vinícius Franzolini.
A França Antártida serve a Francisco Carlos para abordar temáticas em torno das diferentes formas de colonialismo. O texto passa pelo atrito da convivência entre diferentes etnias e culturas, com foco na questão indígena; mitologia; tempo passado, presente e futuro, além dos extremos da modernidade ocidental.
Francisco Carlos, que dirigiu mais de 40 espetáculos de sua autoria, além de shows, óperas e vídeos, formado em Filosofia pela Universidade do Amazonas, faz um teatro que chama de “poético-mítico-filosófico-etnográfico”. Atualmente ele coordena o projeto cênico-teórico Paisagens Indígenas e outros debates cênicos, no Instituto de Psicologia- USP (Rede Indígena).
Agende-se: 31 de março às 19h e 1 de abril às 21h, no Teatro da Reitoria. Bilheterias no ParkShoppingBarigüi e Shopping Mueller. Venda de ingressos a 76 reais (inteira) também pelo site www.festivaldecuritiba.com.br, pelo aplicativo “Festival de Curitiba 2019”.