Ben Ross Schneider, cientista político e professor internacional de Ciência Política da Ford no Massachusetts Institute of Technology e keynote do painel de abertura

Sob o tema Indústria X.0 – As (re)evoluções que transformam a sociedade e mercados, a Conferência ANPEI de Inovação 2019, maior evento de inovação multissetorial do país ancorado em geração de negócios, espera reunir nesta edição mais de 1,2 mil profissionais, entre representantes de empresas, agências do governo e instituições de ciência, tecnologia e inovação, nos dias 25 a 27 de setembro no Rafain Palace Hotel & Convention, em Foz do Iguaçu.

Neste ano a proposta da Conferência debaterá a necessidade de compreender a estratégia de inovação com um novo olhar, muito além do conceito de Indústria 4.0 e discutirá como as empresas de todos os setores podem inovar nesse novo cenário. As apresentações serão centralizadas em quatro assuntos principais: Inovação em Modelo de Negócio, Inovação Tecnológica, Inovação de Impacto Social e Ambiental e Ecossistemas de inovação.

Entre os destaques da programação estão Ben Ross Schneider, cientista político e professor internacional de Ciência Política da Ford no Massachusetts Institute of Technology e keynote do painel de abertura; Ben Reid, Diretor Executivo da NESTA, fundação inovadora voltada para Ciência, Tecnologia e Artes e Jefferson Oliveira, Presidente do IPT (Instituto de Pesquisas Tecnológicas).

“A Conferência ANPEI configurou-se ao longo dos anos como um marco da discussão da inovação no país. Por ser um espaço com discussões emergentes e enriquecedoras, é uma excelente oportunidade para aprender e fomentar novas conexões. Na edição 2019, a ANPEI discutirá as novas estratégias para inovar, que se encaixam no contexto de transformações aceleradas no qual estamos vivendo.” observa Humberto Pereira, Presidente da ANPEI e Vice-Presidente da Embraer.

Durante a Conferência serão realizadas mais de 35 palestras com especialistas nacionais e internacionais, além de apresentação de cases de inovação de empresas e instituições, debates, networking, rodadas de negócios além das visitas técnicas em algumas empresas e instituições do ecossistema local de inovação. Mais informações:www.conferenciaanpei.org.br/

Reforma da Previdência  é prioridade

Hilgo Gonçalves, presidente da ACREFI: “Cadastro Positivo irá gerar impactos importantes na economia do País”

A nova edição da pesquisa Perspectivas 2019: ‘Expectativa dos Brasileiros com o Cenário Político & Social”, realizada pela parceria ACREFI/Kantar, constatou que a Reforma da Previdência já é considerada como principal prioridade para os entrevistados (21%). Educação (18%) e Saúde (14%), que nos levantamentos anteriores lideravam a lista, aparecem em segundo e terceiro lugar.

O objetivo da pesquisa ACREFI/Kantar é capturar as expectativas e impressões da população brasileira em relação à situação econômica do país, aos primeiros meses do governo federal e ao impacto do cenário nas decisões pessoais dos entrevistados.

“A impressão geral é de que a situação do Brasil é melhor, embora a maioria ainda faça avaliação negativa, por pequena margem (2 pontos percentuais) em relação aos demais”, destaca Viviane Varandas, diretora de atendimento ao cliente da Kantar divisão Insights.

De acordo com a pesquisa, 44% estão otimistas em relação ao futuro, mesma fatia do que se mostram preocupados com as perspectivas, enquanto 6% se mostram resignados e 6% estão pessimistas

A pesquisa ACREFI/Kantar revelou também que as percepções positivas em relação à oferta de crédito e ao consumo das famílias estão elevadas. No comparativo com o levantamento do 1º semestre de 2018, a porcentagem quanto à oferta de crédito cresceu de 24% para 36%; e o consumo das famílias passou de 27% para 38%.

O presidente da ACREFI, Hilgo Gonçalves, considera que existem motivos para sustentar essa percepção: “Há dados que apontam que a aprovação do Cadastro Positivo irá gerar impactos importantes na economia do País – aumentando volume de crédito e inclusão. É um passo muito importante no aumento de competitividade no Sistema Financeiro Nacional (SFN), na inclusão no mercado de crédito, de pequenos e médios empresários, redução da inadimplência e taxa de juros. Impacta também na melhora da experiência no relacionamento entre clientes e instituições financeiras”, pontuou.

Grupo curitibano lança rede de cafeterias

A primeira loja da Mais1 tem como previsão ser inaugurada em agosto, em Curitiba

Café quentinho, fornadas de pão de queijo, croissants e cookies a um clique. Por meio de um totem com touch screen, instalado em compactas lojas de até 15 m², o cliente pode solicitar o pedido, pagar e buscar no balcão com o atendente – tudo em até 05 minutos, aproximadamente. Esta é a principal proposta da nova marca da holding PDMG, a Mais1 – Coffee To Go.

Criada em Curitiba (PR), reduto de torrefadoras de café, a nova rede vem com o intuito de facilitar o dia a dia das pessoas unindo tecnologia e autoatendimento. “Seremos cafeterias de rua, em espaços compactos, com um cardápio de alta qualidade. Tudo isso atrelado a uma experiência de autoatendimento, para entregar maior agilidade aos consumidores e a preços justos. O café espresso, por exemplo, custará R$ 3,50, e café gelado R$ 7,00”, explica Hilston Guerim, sócio-fundador da Mais1.

A primeira loja da Mais1 tem como previsão ser inaugurada em agosto, na cidade-sede da franqueadora, em Curitiba (PR) – as outras quatro já negociadas devem estar em operação plena nos meses seguintes. Os empreendedores interessados em investir em uma loja Mais1 de qualquer cidade do Brasil devem se preparar para investimento inicial de R$ 90 mil (já com taxa de franquia), com faturamento médio bruto entre R$ 40 mil a R$ 50 mil e lucro de 15%.

De acordo com ele, a ideia de criar a empresa surgiu a partir de viagens pelas principais capitais do mundo. “Tivemos como objetivo trazer o conceito to go para o Brasil, unindo o rápido com o prático. Por isso, criamos um plano de negócios simples, de fácil operação, fácil controle de estoque e caixa, pequenos pontos com aluguéis menores e uma equipe de atendimento simplificada e reduzida”, pontua Guerim.

O conceito por trás do nome Mais1 remete à ideia de facilidade que existe na proposta da rede e também do objetivo de expansão. “Pedir mais 1 café, mais um pão de queijo ou qualquer outro produto de nosso cardápio em poucos cliques. Essa facilidade e nova experiência de consumo em estabelecimentos físicos nos dá boas expectativas de revolucionar este mercado de cafés e lanches rápidos com a abertura de mais e mais unidades Mais1 pelo país”, define Gare Marques, sócio e diretor de marketing da rede.

Encontro mundial de programação e tecnologia

Um dos grandes encontros mundiais de programação e tecnologia, a Conferência mundial de desenvolvedores(as) do Projeto Debian, a DebConf 2019, será realizada em Curitiba no Campus Central da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR). A empresa paranaense NHS será uma das patrocinadoras silver no evento, que acontecerá entre os dias 21 e 28 de julho. A programação é voltada para palestras técnicas, sociais e políticas, dando a oportunidade de desenvolvedores, apoiadores e usuários se encontrarem pessoalmente para trabalharem juntos na discussão sobre o futuro do sistema operacional Debian.

O mercado de Infraestrutura de Tecnologia está em crescimento e participar de projetos deste porte fortalece o segmento como um todo, segundo o administrador de redes da NHS, Cleber Ianes, que também é um dos organizadores da conferência no Brasil. “A base do evento é o sistema operacional Linux Debian, um dos muitos softwares livres que a NHS utiliza no dia a dia. É consenso nas áreas de tecnologia da NHS, que o software livre é essencial para o desenvolvimento das soluções da empresa e é do nosso interesse o fomento desse tipo de tecnologia”.

Ele ainda reforça a importância de patrocinar a conferência para aprimoramento e proximidade com este mercado, que tem um potencial a ser explorado por atuar junto à profissionais e empresas ligados à área. “Eventos como esse são fundamentais para o aprimoramento técnico das pessoas envolvidas no projeto, que são feitos, de forma voluntária, por membros de comunidades ligadas ao segmento, por isso é importante estarmos ativos e que outras empresas também tenham consciência da importância desse tipo de software. E por outro lado, também reforçam sua representatividade apoiando o mercado de Tecnologia da Informação junto com grandes marcas”.

A última DebConf18 foi realizada em Taiwan, na cidade de Hsinchu, contando com 298 pessoas de 44 países. Neste ano, pela segunda vez, a conferência retorna ao Brasil, depois de 15 anos. A primeira edição ocorreu em 2004, na cidade de Porto Alegre.

Desafios com a reforma tributária

As obrigações tributárias em um ambiente empresarial competitivo estão entre os principais desafios para quem procura empreender no Brasil. A estrutura complexa atrelada às mudanças frequentes e ao custo elevado pode sobrecarregar os preços de produtos e serviços e pôr negócios em risco.

De acordo com uma pesquisa do Insper e do Santander, 39,23% dos pequenos e médios empresários acreditam que o maior obstáculo para a evolução do seu negócios é a carga tributária do país. Já segundo a Sondagem Especial, pesquisa mensal da Confederação Nacional da Indústria (CNI), para 86% dos empresários industriais a tributação excessiva é o principal problema do sistema de impostos brasileiro.

O avanço da reforma tributária no Congresso tem provocado diferentes sensações nos empreendedores, como expectativas quanto a simplificação e a redução da carga de tributos e dúvidas a respeito do fim de benefícios fiscais e alíquotas.

A discussão sobre as distorções nos tributos geradas pelo aumento da demanda por arrecadação já está em pauta há 30 anos, mas o tema ganhou novo folêgo a partir de um estudo realizado pelo economista Bernard Appy, que serviu como base para a criação da PEC 45/19 cujo propósito é embasar a reforma tributária. A alteração foi aprovada em maio pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados e agora passa pela análise de uma Comissão especial para ir ao Plenário.

De acordo com Giovani Mainhardt, CEO do escritório contábil J. Mainhardt e palestrante do We Are Omie 2019, evento de empreendedorismo que acontece no dia 8 de agosto em São Paulo, “é importante haver um planejamento para não ser pego de surpresa.”

O Governo também está trabalhando em sua própria proposta de reforma tributária, que, para Mainhardt, “só ganhará impulso quando a reforma da Previdência deixar o protagonismo, já que por enquanto ainda não houve aprovação do CCJ. Em comum, as propostas defendem a unificação de impostos e o fim dos benefícios setoriais, que distorcem o livre comércio. O fim do Simples Nacional também é uma possibilidade.”