O Jardim Botânico Inhotim, em Brumadinho-MG acompanha, desde sexta dia 14, o florescimento da rara Amorphophallus titanum, ou flor-cadáver, originária da Ilha de Sumatra, Indonésia, e chamada de maior flor do mundo.

Pela segunda vez isso acontece na América Latina e as duas vezes são no fabuloso museu a céu aberto de Minas, que realiza a transmissão do florescimento pelo seu site, ao vivo.

Letícia Aguiar, gerente de Jardim Botânico e Meio Ambiente, diz que a batata (túbera) subterrânea  dessa flor possui cerca de 25 kg e mede 70 cm. Em dezembro de 2010, ela floresceu no Inhotim e durou três dias. Letícia comemora: “Foi uma grande surpresa nascer uma flor outra vez, em tão pouco tempo”.

Conhecida como a maior flor do mundo, na verdade, ela produz uma inflorescência, isto é, um conjunto de flores em uma estrutura compacta. E seu odor terrível, que atrai moscas e besouros (seus polinizadores), é responsável pelo codinome flor-cadáver (corpse-flower).

A espécie foi descrita originalmente por Odoardo Beccari, em 1878, botânico do Jardim Botânico de Florença, que a encontrou na Ilha de Sumatra. Dez anos depois, a espécie floresceu no Jardim Botânico de Kew, na Inglaterra, maravilhando o ocidente. As sementes da  flor do Inhotim foram enviadas pelo jardim botânico Marie Selby, na Flórida.